Periodontia: tudo o que você deve saber sobre essa especialidade da odontologia

22 minutos para ler

Quer saber tudo sobre periodontia? Então, você veio ao lugar certo! Confira todas as informações necessárias sobre essa especialidade.

Quando você vai ao dentista, ele costuma perguntar se você notou a gengiva sangrando, não é? Além disso, o profissional examina esse tecido, por meio da análise visual e do toque, para identificar possíveis alterações, certo? Todo esse cuidado mostra a importância da periodontia para garantir o equilíbrio da saúde bucal.

Não podemos esquecer que as doenças da boca não atingem apenas os dentes: elas podem se manifestar em qualquer estrutura e tecido da cavidade bucal. A periodontia é uma especialidade odontológica muito importante, porque cuida dos tecidos que dão sustentação para os dentes.

Você sabia que a abordagem dessa especialidade vai além da parte clínica? Também existe a abordagem estética. Explicamos tudo sobre periodontia neste post. O dentista e cirurgião geral Luís Henrique Sessel, que também é coordenador da Odontoclinic de Campo Limpo, nos ajudou a produzir este conteúdo repleto de informações importantes. Acompanhe!

O que é periodontia?

Periodontia é a especialidade odontológica que trata dos tecidos do periodonto, ou seja, aqueles que dão sustentação para os dentes. Seus procedimentos objetivam prevenir, diagnosticar e tratar problemas e doenças que atingem a gengiva, o ligamento periodontal e o osso alveolar. O especialista dessa área é o periodontista. 

Segundo Luís Henrique, esse profissional atua “nas doenças gengivais, na estética, em caso de cirurgias e na função, também, como em quadros de retração de gengiva, ou se precisar dar mais volume a ela”.

Quais são as áreas da periodontia?

Pela explicação do especialista, você pôde perceber que a periodontia tem diferentes ramos. Ela pode ser dividida em duas áreas, sendo a periodontia clínica, que também envolve a médica, e a periodontia estética. A seguir, falamos sobre cada uma delas.

Periodontia clínica e médica

Essa área é voltada para a prevenção e o tratamento das doenças na gengiva e demais tecidos periodontais. Os procedimentos são terapêuticos, visando, principalmente, ao equilíbrio da saúde da boca.

“A área clínica cuida das doenças de gengiva mesmo, atuamos diretamente na boca do paciente. Falamos muito da área médica, como medicina periodontal, e da relação com doenças sistêmicas que agravam o problema periodontal, como diabetes e tabagismo.”, conta o especialista.

Essa explicação dada por ele é muito importante, porque nem todo mundo sabe, mas a saúde orgânica também afeta a saúde dos tecidos periodontais. A diabetes, citada por Luís Henrique, é um dos grandes facilitadores das inflamações que atingem essas estruturas de base.

Isso acontece porque o acúmulo de açúcar no sangue prejudica a microcirculação do periodonto. Com isso, a gengiva fica mais suscetível ao ataque das bactérias e reage, de forma exagerada, à presença delas, levando a quadros inflamatórios. Também existe uma dificuldade maior de cicatrização por conta da diabetes fora de controle.

Não é só isso: há outras doenças sistêmicas que se relacionam aos problemas periodontais, como o Alzheimer, a aterosclerose e o tabagismo. Não podemos esquecer que as gestantes estão mais suscetíveis aos problemas periodontais, por causa das variações das taxas de hormônio.

Logo, a periodontia médica oferece um atendimento específico a esses pacientes com condições especiais. O acompanhamento é feito de maneira rigorosa, com medidas adequadas às necessidades do organismo de cada um e, muitas vezes, em parceria com especialistas da área médica.

Pessoas com qualquer um desses quadros que citamos precisam acompanhar ainda mais de perto a saúde bucal e das gengivas.

Periodontia estética

A periodontia estética, por sua vez, é aquela que objetiva promover simetria entre os tecidos do periodonto, os dentes e a face da pessoa de um modo geral. São realizados procedimentos e tratamentos para harmonizar o conjunto.

É o que acontece, por exemplo, com pessoas que apresentam sorriso gengival. Nesse caso, muitas vezes, há um crescimento exagerado da gengiva, e o periodontista realiza intervenções para reduzir o tamanho dela, a fim de promover um aumento da coroa e deixar os dentes mais evidentes.

De toda forma, os tratamentos com objetivos estéticos também acabam favorecendo a saúde bucal. Com a remoção de tecido gengival em excesso, por exemplo, a escovação é facilitada, minimizando o acúmulo de resíduos e, consequentemente, prevenindo inflamações.

Sem falar que a periodontia estética ajuda muito a manter a autoestima do paciente, em função da harmonia que promove para a imagem. Isso gera satisfação com a própria aparência e mais autoconfiança no paciente.

Quais são as principais doenças periodontais?

As principais doenças periodontais são a gengivite, a periodontite e o abscesso dentário. São processos inflamatórios e/ou infecciosos que podem ficar limitados à gengiva ou atingir todos os tecidos do periodonto, levando a um quadro mais grave.

Além de entender o que é periodontia e suas diferentes áreas, é importante saber mais sobre essas doenças, para que você possa identificar os primeiros sintomas e procurar a ajuda de um periodontista o quanto antes. A seguir, falamos um pouco sobre elas. Confira!

Gengivite

“A gengivite é a inflamação da gengiva, causada, no geral, por acúmulos bacterianos, placa e biofilme em volta dos dentes.”, explica Luís Henrique. Esse é um problema muito comum de ver nos consultórios e que pode atingir pessoas de todas as idades — principalmente por causa da má higienização.

A gengivite se inicia de uma forma muito sutil, provocando pouco ou nenhum sintoma, então, você pode nem percebê-la. Ela também acaba limitada a apenas um dente ou uma pequena região da boca, mas, quando não recebe tratamento, se agrava, atingindo áreas maiores.

Periodontite

Quando não tratada, a tendência da gengivite é continuar se agravando. Essa inflamação, então, pode alcançar outras estruturas e evoluir para a periodontite, que afeta tecidos mais profundos do periodonto.

Esse quadro é bem mais severo e pode se tornar infeccioso, atingir os ligamentos periodontais e o osso alveolar, que mantêm os dentes presos à boca. Quando não tratada, a periodontite pode levar à perda dentária.

Abscesso dentário

O abscesso também é um tipo de inflamação, só que, nesse caso, existe a produção de pus em um ponto específico da boca — ao redor do dente ou na raiz dele. Existem dois tipos de abscesso: periodontal e periapical.

Em ambos os casos, ocorre a formação de um nódulo purulento, que provoca dor e incômodo. Ele é causado por uma infecção bacteriana que não recebeu o tratamento adequado, levando ao acúmulo de bactérias, líquido inflamatório e células mortas.

Quais são os sintomas das doenças periodontais?

Os sintomas das doenças periodontais podem variar de acordo com o problema desenvolvido e a gravidade do quadro. A gengivite, por exemplo, que é menos grave, costuma manifestar:

  • sangramento gengival;
  • inchaço na gengiva;
  • alteração de tonalidade do tecido;
  • gosto ruim na boca;
  • mau hálito.

A periodontite, por sua vez, pode provocar todos esses sintomas de uma forma mais intensa. Além deles, ocorre:

  • impressão de dentes mais longos;
  • descolamento da gengiva;
  • sensibilidade dentinária;
  • motilidade dentária.

No caso do abscesso, conforme explicamos, pode-se perceber, principalmente, a formação de um nódulo, ou seja, um pequeno caroço na região da gengiva. Há, também, inchaço na face e/ou no pescoço.

É muito importante ressaltar que o abscesso é um problema que requer tratamento urgente. Essa é uma infecção mais intensa e que pode levar a um quadro infeccioso generalizado, trazendo complicações para todo o organismo.

E quanto aos tratamentos que a periodontia realiza?

Você está no caminho para saber tudo sobre periodontia, então, vale a pena entender quais são as técnicas empregadas pelo profissional para reequilibrar a saúde da boca. Vamos começar pela principal delas, que é a raspagem no dente (tartarectomia), para fazer a retirada do tártaro — também conhecido como cálculo dental.

Esse tratamento é essencial porque tanto a gengivite quanto a periodontite se manifestam em função do acúmulo de resíduos. Assim, eles precisam ser retirados para controlar a proliferação de bactérias e evitar a progressão das inflamações e da infecção.

periodontia

De acordo com Luís Henrique, em casos de gengivite, a raspagem é feita na região supragengival, removendo o tártaro que está visível, como aquele que se acumula entre os dentes. Também se faz a retirada da placa bacteriana e do biofilme bacteriano.

Ainda segundo o especialista, para tratar a periodontite, é feita a raspagem subgengival, pois os resíduos podem se acumular logo abaixo da gengiva, onde o fio dental e a escova não alcançam. A técnica, então, é aplicada para retirar o tártaro localizado nessa área mais escondida.

Além da raspagem periodontal, o periodontista faz a indicação de medicamentos ou produtos bucais com função terapêutica, para controlar os processos inflamatórios, receitando anti-inflamatórios, antibióticos e pastas de dente ou enxaguantes bucais com função medicamentosa.

Quais são as cirurgias que o periodontista faz?

Para sabermos tudo sobre periodontia, é preciso entender os procedimentos envolvidos nessa especialidade.

As cirurgias que o periodontista faz objetivam tratar problemas ou valorizar a estética do paciente. Esse especialista realiza, por exemplo, a gengivectomia, a gengivoplastia, o enxerto gengival e a frenectomia.

Cada uma delas tem suas indicações. A seguir, você confere em quais casos elas podem ser realizadas.

Gengivectomia

Por meio da gengivectomia, é feita a retirada do excesso de gengiva — como para os pacientes com sorriso gengival, sobre os quais já falamos. Segundo Luís Henrique, essa remoção pode ser feita, ainda, no último dente, quando sobra um pouco de gengiva que provoca desconforto ou inflamação.

Essa cirurgia periodontal não fica restrita à gengiva. Existem casos em que são necessárias intervenções ósseas, para promover uma melhor simetria — e isso também é feito pelo periodontista.

Gengivoplastia

Muita gente confunde a gengivectomia com a gengivoplastia, mas essa última técnica é voltada um pouco mais para a estética. Basicamente, ela envolve uma plástica no tecido gengival, para alcançar uma melhor simetria e harmonia.

É feita, também, a retirada de um pouco de gengiva, mas bem menos do que no caso da gengivectomia. Nesse procedimento, o intuito da remoção é trabalhar a borda gengival, para que ela seja mais arredondada e tenha o mesmo tamanho em todos os dentes.

Enxerto gengival

Esse tratamento periodontal é indicado para pacientes que apresentam algum tipo de retração da gengiva, problema que se caracteriza pelo encolhimento do tecido. Ele fica pequeno demais e não consegue recobrir a raiz dentária como deveria. Essa condição provoca, entre outros problemas, a sensibilidade.

Nessa cirurgia, em vez de retirar tecido, ele é acrescentado às regiões onde está faltando. O enxerto gengival também pode ser feito para dar mais volume em um local em que a gengiva seja muito fina. Isso favorece tanto a saúde bucal quanto a estética do sorriso.

Frenectomia

Quando puxamos o lábio superior ou inferior, ou levantamos a língua, conseguimos perceber uma pele muito fina de uma extremidade a outra, já reparou? Ela é um tipo de membrana conhecida como freio. Em algumas pessoas, essa membrana é grande demais, mas o periodontista pode solucionar esse problema.

Para tanto, ele realiza a frenectomia, com o objetivo de fazer a remoção dessa membrana ou apenas reduzir o tamanho dela. Isso é válido quando o freio provoca problemas como limitação dos movimentos da língua ou alterações na fala, ou caso atrapalhe as correções ortodônticas e a boa adaptação de próteses dentárias.

O Guia completo da saúde da gengiva

Você sabe qual é a importância da periodontia?

Ao longo deste post, explicamos que os problemas tratados pela periodontia atingem os tecidos que sustentam os dentes. Os tratamentos odontológicos que listamos são fundamentais para garantir que a dentição tenha uma boa base para se fixar.

Como esses tecidos que compõem o periodonto requerem um tratamento diferente daquele que é destinado aos dentes, é necessário contar com um profissional que tenha conhecimentos mais aprofundados, para trabalhar especificamente com os problemas que atingem esse conjunto.

As inflamações e infecções tratadas pelo periodontista, embora se iniciem na boca, podem se tornar quadros muito graves. Se as bactérias presentes nessas situações atingirem a corrente sanguínea e se espalharem por todo o organismo, podem provocar infecções generalizadas, como já falamos aqui.

Essa especialidade também trabalha com a prevenção de problemas. O periodontista ajuda a manter a saúde bucal em equilíbrio, inclusive, fazendo um acompanhamento muito próximo dos pacientes que são mais suscetíveis a apresentar problemas periodontais.

A periodontia também é uma grande aliada de outras especialidades odontológicas. Em alguns casos, é necessário fazer a frenectomia, por exemplo, para possibilitar o uso do aparelho ortodôntico e a reabilitação oral, substituindo dentes perdidos por próteses.

Então, quando procurar um periodontista?

Quanto mais cedo o tratamento periodontal for iniciado, melhor. Como explicamos, esses problemas podem tomar grandes proporções, fazendo com que a recuperação seja cada vez mais complexa. Vale a pena procurar o periodontista quando você notar os primeiros sinais e sintomas.

“Se tem dor, sangramento, inflamação ou inchaço, é importante procurar o especialista para começar esse tratamento.”, aconselha Luís Henrique. Criar o hábito de analisar os dentes, as gengivas e outras estruturas da boca é essencial para que você consiga identificar alterações quando elas ainda estiverem no começo.

O ideal não é esperar que os problemas apareçam para, depois, procurar atendimento. É recomendado fazer um acompanhamento periódico, conforme o especialista orienta: “Pode ser a cada 3 ou 6 meses. Isso depende muito da colaboração do paciente e da resposta do organismo.”.

Essas consultas de rotina são fundamentais. Nelas, o periodontista pode identificar sinais precursores de problemas. Além disso, ele trabalha com a parte de conscientização e educação, explicando com mais detalhes o que é doença periodontal e como fazer a prevenção, e dando as recomendações mais adequadas para cada paciente.

Quais são os benefícios de ser acompanhado por um periodontista? 

Agora, chegou o momento de falarmos sobre as principais vantagens de ter acompanhamento de um profissional especializado em periodontia. Confira!

Possibilita o controle do tártaro 

O cálculo dental, conhecido também como tártaro, representa o acúmulo e o “endurecimento” da placa bacteriana sobre os dentes. No longo prazo, isso pode gerar uma série de prejuízos à saúde, inclusive o agravamento de quadros de gengivite e o surgimento de cáries.

Sendo assim, ter o acompanhamento do periodontista ajuda na prevenção desse problema, já que ele fará limpezas periódicas e cuidará do controle da placa bacteriana.

Evita a perda dentária

Outro problema que pode ser gerado pelo acúmulo de tártaro é a perda dentária. Ela acontece a partir da sucessão de vários problemas. A placa se transforma em doença periodontal, que evolui para casos de cárie que podem, então, virar um problema sério — que exige a extração dos dentes afetados.

O acompanhamento se faz imprescindível para evitar esse tipo de problema, que pode ocasionar alterações na mastigação, dores de cabeça e até mesmo o desalinhamento dos demais dentes, fazendo com que seja necessário o uso de aparelhos ou a colocação de implantes.

Aumenta a autoestima

A autoestima é um dos fatores mais afetados quando o assunto é a doença periodontal. Além de causar alterações estéticas, já que o tártaro e suas consequências são visíveis a olho nu, esse problema é responsável pela possível perda dentária (como vimos no tópico anterior), pelo desalinhamento dentário e pela halitose (mau hálito).

Não queremos lidar com essas questões, certo? Então, fazer um acompanhamento adequado com um especialista é o melhor caminho!

Proporciona melhor qualidade de vida

As consequências dos problemas periodontais não acabam na autoestima. Os impactos também são sentidos na saúde, com questões que podem prejudicar a qualidade de vida dos pacientes.

A mastigação é bastante afetada com a perda dos dentes, que também pode gerar pressão nos nervos e dores de cabeça frequentes. Além disso, as dores causadas pelos problemas periodontais são bem intensas e costumam atrapalhar consideravelmente o dia a dia de quem sofre com elas.

Melhora as relações interpessoais

Problemas com dores e queda na qualidade de vida afetam diretamente o nosso humor e podem, portanto, prejudicar o modo como nos relacionamos com as outras pessoas. Isso também pode atrapalhar o nosso desempenho profissional, assim como os estudos.

Além disso, questões dentárias podem fazer com que nos sintamos inseguros e menos suscetíveis a começar conversas e manter relacionamentos.

Proporciona acompanhamento exclusivo e especializado

Uma das grandes vantagens de fazer acompanhamento com um profissional especialista em Periodontia é a particularidade e exclusividade dos tratamentos propostos. Esse dentista está focado unicamente em aprender sobre questões voltadas à periodontia, portanto, é o mais indicado para lidar com essas situações.

Além disso, ele terá acesso às novidades do setor e poderá prescrever tratamentos e fazer procedimentos que são tendências nas principais regiões do mundo. Assim, você tem acesso ao que há de melhor e mais moderno na periodontia! 

periodontia

Quais são os principais conselhos que o periodontista pode dar a você?

Explicamos que o periodontista também tem o importante papel de ajudar os pacientes a evitar as doenças periodontais, certo? Como elas podem alcançar grandes proporções, é fundamental ouvir os conselhos do especialista, para garantir que a sua saúde bucal esteja em equilíbrio.

Cada paciente pode precisar de uma recomendação específica, conforme as necessidades do seu organismo e o seu quadro clínico, de um modo geral. De toda forma, existem alguns conselhos que são válidos. Confira quais são eles!

Evite o tabaco

O cigarro contém muitas toxinas que trazem prejuízos para todo o organismo. A boca é a primeira que sente esses impactos negativos, pois entra em contato direto com a fumaça. Em função disso, fica mais suscetível ao desenvolvimento de inflamações e da doença periodontal.

Inclusive, quem já está com algum problema em curso, tem mais dificuldade para reequilibrar a saúde bucal quando é fumante. Isso acontece porque o cigarro, entre outros malefícios, afeta a circulação sanguínea e atrapalha a cicatrização dos tecidos, como explica Luís Henrique.

“A nicotina influencia demais. O ato de fumar causa uma série de alterações no ambiente bucal, o que traz uma piora do quadro clínico. O fumante está mais exposto à evolução ruim da doença”.

Vá ao dentista com frequência

O acompanhamento com o dentista é indispensável porque, mesmo quando caprichamos na higiene bucal, podem permanecer resíduos na boca — eles também se acumulam na região abaixo da gengiva, de onde não conseguimos retirá-los. Ali, dão origem ao tártaro, que, por fim, favorece a doença periodontal.

Realizando a limpeza no consultório com frequência, mantemos a boca, de fato, higienizada. Além disso, o especialista acompanha o quadro de saúde de um modo geral, identificando alterações que, muitas vezes, não conseguimos perceber, e isso possibilita um tratamento precoce.

Capriche na higiene bucal

Como a placa bacteriana e o tártaro são grandes causadores das doenças periodontais, o periodontista também aconselha a manter uma boa higiene bucal. Os dentes precisam ser escovados após cada refeição.

É importante usar uma escova com cerdas macias, para não ferir as gengivas, e preferir um creme dental enriquecido com flúor, evitando aqueles branqueadores sem a indicação do dentista. Esses produtos têm um alto potencial abrasivo, que, além de prejudicar o esmalte, podem causar pequenas lesões na gengiva. Também é importante escovar de forma suave, sem força, para não danificar o esmalte dos dentes e a gengiva.

Por fim, não se esqueça do fio dental, que é indispensável para complementar a higiene. Ele deve ser usado em todas as escovações, especialmente à noite, para que a boca fique limpa e as bactérias não se proliferem durante seu sono.

Mantenha a saúde orgânica em equilíbrio

Como a saúde do organismo pode favorecer a doença periodontal, é muito importante que ela seja mantida sob equilíbrio. Assim como fazemos o acompanhamento com o dentista, devemos fazer os exames de rotina com o médico.

Se você receber o diagnóstico de algum problema sistêmico, como hipertensão ou diabetes, é fundamental cumprir o tratamento conforme a indicação do especialista. Não se esqueça de que essas condições trazem desequilíbrios para todo o corpo, não apenas para a boca.

E quanto aos riscos de não procurar um periodontista?

É válido ressaltar que as doenças periodontais evoluem de forma gradativa. Elas começam de uma maneira muito sutil, quase imperceptível, e, quanto antes forem descobertas, mais fácil é o tratamento, e menos agressões vão provocar no conjunto bucal.

Procurar um periodontista é importante para que você passe por uma avaliação com o especialista de forma periódica, identificando possíveis situações de risco que poderiam levar a essas doenças.

Quando os sintomas já estão se manifestando, é ainda mais importante buscar ajuda profissional com urgência. A inflamação que começa na gengiva pode parecer inofensiva no começo, por não incomodar muito, mas não custa repetir: se não tratada, ela pode tomar grandes proporções.

Aos poucos, a inflamação se espalha em todo o tecido gengival, as reações do organismo se agravam e a intensidade fica maior. Então, ela se estende para os outros tecidos do periodonto, causando a periodontite, da qual já falamos.

Essa doença é um grande risco para a saúde bucal, pois tem a característica de promover a destruição dos tecidos do periodonto. Isso significa que, aos poucos, a pessoa com doença periodontal vai sofrer com problemas nessas estruturas que sustentam os dentes, inclusive, a perda óssea.

A base que sustenta a dentição terá uma má qualidade e não vai conseguir manter os dentes presos na boca. “De maneira gradativa, a periodontite vai destruindo o osso que sustenta o dente, podendo até perder toda a sustentação. Ele vai amolecer, e a pessoa pode perder o dente.”, alerta Luís.

Por que optar por uma clínica odontológica?

Convém explicarmos que consultórios e clínicas odontológicas apresentam algumas diferenças entre si. No consultório, costumamos encontrar apenas um especialista, enquanto as clínicas dispõem de vários profissionais que atuam em áreas diferentes, tendo uma estrutura mais completa.

É interessante que você prefira se consultar em uma clínica odontológica, inclusive para fazer o acompanhamento de rotina. Dessa forma, o seu histórico ficará registrado, o que permitirá um atendimento personalizado.

Ainda, uma boa clínica odontológica, como a Odontoclinic, avalia todas as suas necessidades, observando as características dos seus dentes, da sua boca, de um modo geral, e do seu histórico clínico orgânico.

Com isso, você tem o suporte de uma equipe multidisciplinar, com especialistas que vão interagir entre si. Assim, não vai ser preciso procurar um dentista em cada lugar: tudo que você precisa estará na mesma clínica.

No caso daqueles que já têm uma doença periodontal, Luís Henrique ressalta que terão um acompanhamento muito mais próximo, para observar a evolução do caso. O monitoramento constante é essencial para a recuperação, porque a doença periodontal tende a ser crônica.

Lembre-se de analisar muito bem a clínica na qual você vai fazer os seus tratamentos de periodontia e odontologia em geral. Prefira aquelas mais completas, para ter uma boa estrutura. Analise a qualificação dos profissionais, o investimento em tecnologia e a qualidade do atendimento, para ter certeza de receber o melhor cuidado para os seus dentes.

Gostou de saber tudo sobre periodontia? Agora, é hora de cuidar bem da saúde dos seus dentes e, sempre que possível, buscar a opinião de um especialista para garantir prevenção e tratamentos atualizados para você!

Na Odontoclinic, você encontra tudo isso e muito mais. Acesse o nosso site para conferir os tratamentos que estão à sua disposição!

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário