Perda óssea: entenda melhor sobre o assunto!

7 minutos para ler

A saúde dos dentes e o aspecto do sorriso dependem bastante dos tecidos que sustentam a dentição. O osso alveolar, que envolve a raiz dos dentes, tem uma grande importância nesse conjunto e é por isso que a perda óssea precisa ser tratada com muita atenção.

Ela acontece quando ocorre uma reabsorção do osso que sustenta os dentes. Em casos mais graves, existe o risco de perder o elemento dentário. Sendo assim, é fundamental observar os sintomas, identificá-los ainda no começo e procurar a ajuda de um dentista.

Preparamos este artigo para explicar com mais detalhes o que é a perda óssea, os sintomas que ela desencadeia, suas principais causas, como evitar esse problema e de que maneira ele pode ser tratado. Fique por dentro do assunto, que é essencial pra um sorriso bonito e saudável!

O que é perda óssea?

A perda óssea acontece quando ocorre uma reabsorção do osso alveolar. Ele fica desgastado, mais fino e mais baixo, o que traz prejuízos para os demais tecidos e também para os dentes.

O fato é que, para que os dentes se mantenham fixos na boca, eles são envolvidos pelo periodonto. Essa estrutura é composta por diferentes tecidos, que mantêm os dentes presos na arcada dentária e também atuam como uma espécie de amortecedor natural, garantindo conforto na hora de mastigar.

Um dos tecidos que compõem o periodonto é o osso alveolar. Nele, fica presa a raiz dentária, por isso, é fundamental que tenha uma boa saúde e qualidade, só assim para proporcionar a fixação adequada da dentição.

O problema é quando esse osso é acometido por problemas, que se originam especificamente na cavidade bucal ou atingem todo o organismo. Vamos tratar esse tópico em detalhes ao longo do texto, continue a leitura!

Quais são os sintomas?

A perda óssea pode ser identificada por meio de sintomas vistos a olho nu ou pelos desconfortos que o paciente começa a manifestar. Alguns indícios de que esse problema está em curso são:

  • mobilidade dentária;
  • sensibilidade nos dentes;
  • dor de dente;
  • sangramento gengival;
  • mau hálito;
  • retração da gengiva;
  • apinhamento;
  • formação de espaços entre os dentes (diastemas).

A pessoa com esse problema pode sentir um pouco mais de dificuldade para mastigar, porque, com a movimentação dos dentes, pode perder um pouco da força mastigatória. Vale dizer que esse problema é uma das causas da perda de dentes na terceira idade.

Afinal, é mais comum que a perda óssea aconteça acompanhando o processo natural de envelhecimento. Mesmo assim, existem outros fatores que podem levar a esse quadro, inclusive em pessoas mais jovens.

Quais são as principais causas de perda óssea?

perda óssea

Como a gente disse, existem diversos fatores que podem causar a perda óssea, mas o principal deles é a periodontite. Ela é uma inflamação que pode ser infecciosa e que ocorre nos tecidos periodontais, em geral, como agravamento de uma gengivite que não foi bem tratada.

Na manifestação de gengivite e periodontite, é fundamental procurar um dentista para já controlar esse quadro e evitar suas complicações. Alguns sinais dessas doenças são:

  • inchaço e vermelhidão gengival;
  • gengiva sangrando;
  • retração da gengiva;
  • sensibilidade nos dentes;
  • mau hálito;
  • dentes mais alongados;
  • espaços entre a gengiva e os dentes.

Em casos mais raros, a perda óssea pode ser decorrente de problemas sistêmicos, como o diabetes. A osteoporose também ajuda a favorecer a manifestação dela, quando associada a problemas como a gengivite e a periodontite.

Quando há um esforço muito grande ou sobrecarga dos tecidos periodontais também existe o risco de a reabsorção do osso acontecer. É o caso, por exemplo, de alterações na mordida e outros problemas ortodônticos mais complexos, bem como traumas e bruxismo.

Outro fator é o avanço da idade, quando existe uma tendência natural para a perda óssea. Sendo assim, o processo de envelhecimento também leva a essa perda. Foi por isso que dissemos que ela costuma ser um dos motivos para perda de dentes em pessoas idosas.

Para finalizar, deficiências nutricionais também podem acarretar a má qualidade do osso que sustenta os dentes. Portanto, uma alimentação desequilibrada leva à perda óssea, em especial quando a dieta é pobre em cálcio e vitamina D. Nesse caso, uma dieta nutritiva e check-ups médicos frequentes ajudam demais!

Como evitar esse problema?

Uma vez que a perda óssea está relacionada com o equilíbrio da saúde bucal, uma das principais formas de evitar esse problema é por meio da higienização adequada. Assim, eliminamos os resíduos de alimento e prevenimos a formação da placa bacteriana.

Isso é fundamental, porque a placa é a causadora do tártaro, da gengivite e da periodontite. Portanto, é preciso escovar os dentes após cada refeição e usar o fio dental todos os dias, a fim de garantir que as bactérias não se proliferem.

Também é muito importante fazer o acompanhamento médico, para garantir que a saúde, como um todo, esteja em equilíbrio. Afinal, explicamos que problemas sistêmicos, além de deficiências nutricionais, podem levar à perda óssea.

Mais uma medida preventiva é tratar condições como o bruxismo, as alterações na mordida e outros problemas ortodônticos. Dessa forma evitamos a sobrecarga nos tecidos periodontais, garantido a adequação da força mastigatória e o encaixe correto das arcadas dentárias.

Tudo isso precisa ser complementado pelo acompanhamento com um bom dentista. Esse profissional vai ajudar na adoção de medidas preventivas para que inflamações e infecções não se manifestem. Também identifica fatores de risco e os primeiros indícios de problemas, interferindo precocemente para que não se agravem. Então, agende visitas a cada 4 meses em média, pra garantir que está tudo bem.

Quais são os possíveis tratamentos?

Existe tratamento para perda óssea, e a técnica que será utilizada depende da gravidade do problema. A princípio, se houver inflamações e infecções, elas devem ser controladas. E ainda, é feita a higienização da área caso exista a presença de tártaro ou placa bacteriana.

Quando houver uma perda sutil do osso, é possível fazer o tratamento com medicações utilizadas, por exemplo, para casos de osteoporose. A reposição nutricional em caso de deficiências é indispensável para desacelerar o processo de perda.

Outra medida importante é tratar os quadros que estão levando à perda óssea de maneira secundária. Como explicamos, são eles o bruxismo, as alterações na mordida, os problemas ortodônticos e, em alguns casos, também o diabetes e a osteoporose.

Porém, quando há uma perda significativa do osso o tratamento mais recomendado é o enxerto ósseo. Nele, uma pequena porção de osso natural ou sintético é posicionada no local que precisa de intervenção e o próprio organismo se encarrega de absorver esse material, agregando ao osso do paciente.

Embora a perda óssea tenha tratamento, a melhor medida ainda é prevenir esse problema. Por isso, cuide bem da sua saúde bucal e orgânica e faça o acompanhamento periódico com um bom dentista, para que ele dê o suporte necessário identificando problemas de maneira precoce para evitar complicações maiores.

Na Odontoclinic você encontra um time de especialistas de diferentes áreas para cuidar do seu sorriso. Entre em contato conosco para agendar uma visita!

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário