Conheça os 8 diferentes tipos de aparelho e como escolher o melhor para você

17 minutos para ler
agendamento

O aparelho ortodôntico é um tratamento indicado não só para melhorar a estética do sorriso, mas também para garantir a manutenção da saúde bucal. A correção pode ter o objetivo de ajustar a mordida, alinhar dentes tortos e melhorar a qualidade de vida do paciente. Existem diversos tipos de aparelho, com diferentes indicações de uso, e é sobre essas características e diferenças que falaremos neste artigo.

Afinal, quais são os diferentes tipos de aparelho disponíveis no mercado? Como saber qual deles é o mais adequado às suas necessidades? Existem aparelhos específicos para pacientes adultos? Será que o paciente pode escolher o aparelho usado no tratamento? Existem contraindicações? Qualquer pessoa pode usar um aparelho ortodôntico? Existem aparelhos invisíveis?

Neste artigo, você vai ter acesso a um panorama completo sobre o assunto. Vamos te mostrar 8 tipos de aparelhos mais conhecidos, suas principais características, indicações, tratamento, vantagens e desvantagens. Acompanhe e descubra!

Quais são os principais tipos de aparelho ortodôntico?

É possível encontrar diferentes tipos de aparelho ortodôntico no mercado, cada um deles com suas particularidades.

Desde o tradicional aparelho fixo metálico, até o popular alinhador transparente, são muitas opções. A seguir, elencamos os 8 modelos mais comuns e vamos te mostrar as principais informações sobre cada um deles. Ficou curioso? Confira!

1. Aparelho fixo metálico

O aparelho fixo metálico é, sem dúvida, o modelo mais convencional e conhecido por muita gente. Mesmo quem nunca usou um, certamente conhece ou já viu alguém usando. Confeccionado em aço inoxidável, esse tipo de aparelho é altamente resistente e versátil, já que pode ser usado para tratar diversos problemas de desalinhamento dental.

Estruturalmente, ele é composto por bandas, fios e braquetes, sendo que os últimos podem ser de metal, plástico ou porcelana. As bandas são fixas em volta dos dentes e funcionam fazendo a ligação com o aparelho, enquanto os braquetes ficam na parte externa.

Os fios, tem a função de ligar as bandas e os braquetes, gerando uma tração entre os dentes o que permite a realização da movimentação dentária desejada.

Uma das suas principais vantagens é o custo, já que ele costuma ser mais em conta do que os outros tipos de aparelho à disposição no mercado. Durante o tratamento, o aparelho vai puxando gradualmente os dentes até a posição correta, isso é feito com a ajuda de ajustes realizados pelo ortodontista.

O resultado pode demorar um pouco para aparecer e o paciente deve, obrigatoriamente, ir até o consultório do ortodontista periodicamente para fazer os ajustes no aparelho. É um dos tipos de aparelho mais comuns entre os jovens e, por isso, é comum a personalização, que é feita com borrachas coloridas acopladas nos braquetes.

A desvantagem dos aparelhos fixos é que eles podem causar feridas na gengiva. Além disso, o cuidado com a higiene bucal deve ser muito rigorosa, pois quando a limpeza é mal feita há um risco maior de gerar acúmulo de sujeira, favorecendo o surgimento de cáries e doenças gengivais.

É importante ter em mente que o aparelho fixo demanda um processo de adaptação do paciente, que deverá ter disponibilidade para ir às consultas periódicas de revisão e manutenção.

O processo de manutenção — que inclui “apertar o aparelho” — pode causar sensibilidade, mas é uma etapa essencial do tratamento. Os resultados são lentos, podendo se estender por 24 meses ou mais. O tempo de duração do tratamento vai depender da evolução do paciente e das orientações do ortodontista.

2. Aparelho fixo estético

Uma das principais reclamações dos pacientes, principalmente entre os adultos que usam aparelhos fixos é a questão estética. Isso porque existe uma ideia de que o aparelho fixo tradicional dá um aspecto de adolescente.

Foi justamente em razão dessa reclamação recorrente que surgiu o aparelho fixo estético. Ele foi um dos primeiros aparelhos ortodônticos criados com o objetivo de melhorar a estética, entregando a discrição desejada por alguns pacientes.

Mantendo função de corrigir problemas de alinhamento da arcada dentária, a sua principal vantagem é um tratamento que alia correção dental e estética. O paciente vai conseguir passar por todo o processo e ainda deixar um aspecto mais discreto do sorriso durante o uso do aparelho.

O aparelho fixo estético, em termos funcionais, é muito parecido com o anterior, tanto nas vantagens quanto desvantagens. A diferença entre eles está apenas nos braquetes, que podem ser de porcelana, policarbonato ou safira e no custo do tratamento, que poderá ser mais elevado.

Entenda quais são as principais diferenças e características dos três tipos de braquetes a seguir.

Braquetes estéticos de porcelana

Também conhecidos como braquetes de cerâmica, eles são uma excelente opção para quem preza pela estética. A sua cor se mantém durante todo o tratamento, não havendo escurecimento com o passar do tempo.

Ele oferece poucos riscos de danos ao esmalte, mas a dificuldade de remoção pós-tratamento é uma desvantagem a ser considerada.

Além disso, o custo é mais elevado se comparado como os modelos de policarbonato, acerca do qual falaremos a seguir.

Braquetes estéticos de policarbonato

Os braquetes de policarbonato são outra opção para pacientes em uso de aparelho fixo estético. O material é uma espécie de plástico, por isso, algumas desvantagens merecem atenção:

  • pode haver alteração na cor durante o tratamento;
  • não permite um acabamento perfeito;
  • tem maior atrito entre o braquete e o arco, aumentando a duração do tratamento.

Por outro lado, a sua principal vantagem é que se apresenta como o aparelho estético mais barato do mercado.

Braquetes estéticos de safira

Por fim, os braquetes estéticos de safira, em termos de funcionalidade e aparência, são os mais indicados pelos especialistas.

Produzidos com um tipo de cerâmica, passam por um processo de função que modifica a sua estrutura molecular, fazendo com que se tornem altamente resistentes e muito similares a uma safira natural.

Em razão do alto grau de polimento eles não mancham com a ingestão de alimentos escuros e oferecem mínimo atrito com os arcos, o que favorece resultados mais rápidos. O ponto negativo é o custo, eles são os mais caros entre os tipos de braquetes estéticos.

Independentemente do material escolhido, os braquetes de aparelhos estéticos vão ser sempre transparentes, o que torna o aparelho muito mais discreto. Além disso, o processo de higienização desse tipo de aparelho também é mais simples, o que facilita a rotina de cuidado diário do paciente.

3. Aparelho autoligável

tipos de aparelho

O sistema de aparelho autoligável é uma evolução dos aparelhos fixos. Adaptado tanto à versão tradicional quanto à estética, no sistema autoligável os braquetes não precisam mais das borrachas para prender os fios ou arcos ortodônticos.

O que isso significa? Basicamente, que o aparelho autoligável é uma opção mais discreta. Ainda, o sistema utiliza diferentes arcos, que são produzidos com ligas metálicas diferentes das tradicionais, o que pode favorecer a redução do tempo de tratamento, bem como da realização das manutenções.

Nos aparelhos autoligáveis não é necessário realizar trocas de borrachas, apenas dos arcos. Entre as vantagens, sem dúvida merece destacar que esse tipo de tratamento é mais rápido, confortável, menos dolorido e demanda menos visitas ao dentista.

Outro ponto de destaque é o controle na posição dos dentes, que é melhor quando comparado aos bráquetes dos aparelhos ortodônticos tradicionais.

4. Placas invisíveis

As placas invisíveis, também conhecidas como alinhadores transparentes, integram um dos tratamentos ortodônticos mais procurados da atualidade e que tem feito muito sucesso entre os pacientes, especialmente o público adulto.

O alinhador é um aparelho que permite o alinhamento dos dentes sem a necessidade de fazer uso do aparelho ortodôntico tradicional.

Por meio de um tratamento desenhado de acordo com as necessidades de cada paciente, são produzidos várias placas transparentes e removíveis, que alinham os dentes sem a necessidade de braquetes ou fios.

Cada placa é produzida precisamente para adaptar-se aos dentes em cada etapa do tratamento. A medida que ela é utilizada e os dentes se movimentam, sendo feita a substituição do alinhador, até alcançar o resultado pretendido.

As trocas das placas geralmente são feitas a cada quinze dias, mas a indicação vai depender da particularidade de cada paciente, por isso é importante manter o acompanhamento ortodôntico.

Entre as vantagens, além da estética, já que o alinhador é praticamente imperceptível, o paciente tem a liberdade de removê-lo para alimentar-se, escovar os dentes e realizar atividades físicas.

Além do fato de serem removíveis e muito confortáveis, os alinhadores tem uma espessura que varia em torno de 0.75mm, o que torna a experiência de uso extremamente positiva.

Outro ponto de destaque é a alimentação, como o aparelho pode ser removido, o paciente em tratamento tem liberdade para consumir qualquer alimento, sem a preocupação de causar danos ao aparelho.

Os alinhadores transparentes são uma ótima opção estética, principalmente para adultos, já que as crianças, que estão com arcada dentária em fase de desenvolvimento, podem não se adaptar a esse tipo de aparelho.

Ainda, é importante ter em mente que, quanto maior o tempo de uso, menos será o período de tratamento e a principal desvantagem desse tipo de aparelho é o custo, um dos mais altos do mercado.

5. Aparelho lingual ou aparelho invisível

O aparelho ortodôntico lingual é outra modalidade que pode ser considerada pelos pacientes que buscam um aparelho mais discreto.

Esse tipo de aparelho tem braquetes e fios metálicos como no modelo tradicional, a diferença é que eles ficam localizados atrás dos dentes.

O grande ponto de atenção do aparelho lingual é que ele não é recomendado para crianças, pois, além de ser mais caro e delicado, demanda um cuidado extremo com a higienização bucal.

Por ficar preso na face interna dos dentes, o cuidado com a limpeza deve ser redobrado, a fim de evitar o surgimento de cáries ou outras doenças gengivais. Os ortodontistas costumam indicar aparelhos do tipo lingual para o tratamento de casos mais rápidos.

Durante o período de adaptação o paciente poderá sentir alguns incômodos, que passam em poucos dias. A vantagem, além da estética, é que ele minimiza o risco do paciente sofrer com lesões ou cortes na boca, mas, o seu custo é mais alto do que os modelos de aparelhos tradicionais.

6. Aparelho móvel

O aparelho móvel é outro tipo de aparelho muito conhecido. Geralmente indicados para inibir, direcionar ou estimular o posicionamento, ou o crescimento da mandíbula e da maxila, é muito indicado para crianças e adolescentes em fase de crescimento.

São aparelhos bem específicos e que geralmente estão associados a tratamentos de pacientes que têm arcada inferior recuada com relação à superior ou que apresentam a mordida aberta.

A técnica que corrige problemas de mordida desalinhada em crianças é conhecida como ortopedia facial. Nela, se corrigem também problemas de mastigação e fala, direcionando o crescimento ósseo facial e preparando a boca para a posição dos futuros dentes em permanentes.

Entre as suas vantagens, vale destacar:

  • permite o estímulo do desenvolvimento ósseo em crianças;
  • facilidade para a higienização;
  • possibilidade de remover o aparelho antes das refeições;
  • conforto durante o tratamento;
  • contribui para a manutenção dos resultados obtidos após tratamento com aparelho fixo.

O aparelho removível pode ter vários tipos de desenhos que vão variar de acordo com o problema de cada paciente.

Feito em placa de resina acrílica, ele leva alguns fios de aço que têm a função de posicionar e encaixar os dentes, direcionando o desenvolvimento dos dentes e dos ossos dos maxilares.

7. Aparelho extrabucal

Outro tipo de aparelho removível, o extrabucal é utilizado principalmente em crianças, com o propósito de controlar o movimento dos dentes superiores e o crescimento da arcada superior, caso eles estejam se projetando para frente.

Como o nome sugere, o aparelho extrabucal é externo e fica para fora da boca. Um arco facial externo e uma cinta de nylon são apoiados atrás do pescoço ou na cabeça do paciente.

Apesar de não ser um tipo de aparelho muito visto nos dias de hoje, ele ainda existe e pode ser usado em alguns tratamentos, especialmente em pacientes em fase de desenvolvimento. Sem dúvida é o modelo menos discreto de todos e a questão estética talvez seja uma das principais razões que esse tipo de aparelho não é tão utilizado.

Entretanto, é importante conhecer e saber que em alguns casos ele é uma excelente solução, já que pode ter a função de até mesmo evitar a necessidade de extração de dentes ou realização de procedimentos cirúrgicos mais invasivos. O tratamento odontopediátrico deve ser feito sempre considerando as particularidades de cada paciente.

Destacamos ainda que é muito importante manter visitas frequentes ao consultório do dentista, além de avaliar a saúde bucal da criança ele poderá indicar a necessidade de consulta com um especialista. Quanto mais cedo é feito o tratamento ortodôntico mais fácil alcançar os resultados pretendidos.

8. Aparelho de contenção

A contenção de aparelho é considerada a parte final do tratamento ortodôntico pelo qual devem passar alguns pacientes pacientes que já utilizaram aparelho dentário.

Ele é colocado na fase final do tratamento e tem como objetivo manter os dentes na sua posição final. Ele é essencial para garantir que os dentes permaneçam na posição correta. Isso porque, ao retirar o aparelho ortodôntico, existe uma tendência natural de que os dentes retornem à posição que estavam no início do tratamento.

Isso acontece porque as fibras periodontais e ósseas são altamente elásticas, e têm um tipo de memória. Assim, quanto o aparelho é retirado e não existe mais nada para “segurá-los”, eles tendem a voltar para a posição original.

O aparelho de contenção reeduca o organismo para que ele reponha as fibras e reconheça que aquela é a nova disposição natural dos dentes. As contenções podem ser fixas ou removíveis.

No caso da contenção fixa, ela é feita de fios de aço que são presos na face interna dos dentes anteriores, geralmente na arcada inferior. Elas podem ser usadas por um longo período e são imperceptíveis, não causando nenhum tipo de comprometimento estético.

Já a contenção removível é muito parecida com o aparelho móvel. Ela pode ser usada tanto na arcada inferior quanto na superior e sua principal vantagem é que se trata de uma opção muito mais higiênica.

A indicação quanto a necessidade de uso da contenção vai depender das particularidades de cada paciente. Somente o seu dentista poderá orientar quanto ao tratamento mais adequado de acordo com as suas necessidades.

Posso escolher o aparelho que vou usar?

Como você pode ver, o uso do aparelho está associado a diversos fatores, sendo que alguns deles são recomendados para casos específicos.

Por isso, nem sempre é o paciente quem escolhe qual será o aparelho utilizado em seu tratamento. O ortodontista poderá explicar quais são as suas necessidades, oferecendo às opções que atendem o tratamento.

Dito tudo isso, mesmo que você queira usar um alinhador transparente, por exemplo, só poderá realmente utilizá-lo se for adequado ao tratamento das suas necessidades atuais e devidamente indicado pelo profissional responsável.

Em relação aos pacientes que sofrem com problemas mais graves de desalinhamento, o uso o aparelho fixo pode ser imprescindível, já que é por meio dele que o ortodontista consegue ter um controle mais eficaz da movimentação dos dentes.

Independentemente das suas necessidades ou objetivos, é importante ter em mente que o cuidado com a saúde bucal é muito importante para a sua qualidade de vida. Ter dentes bonitos e bem cuidados é sinônimo de saúde para todo o corpo.

Por isso, muito além da questão estética, o uso de aparelhos é um cuidado com a sua saúde.

Quais cuidados que devo ter com o aparelho?

Cada aparelho tem as suas particularidades e demandam cuidados específicos. Enquanto alguns são mais fáceis de higienizar, outros modelos demandam atenção redobrada, inclusive com a necessidade de uso de escovas e fios dentais específicos.

No caso dos aparelhos móveis, por exemplo, é importante guardá-los na caixinha específica, evitando deixá-los enrolados em guardanapos ou papel higiênico. Além disso, antes de usar, sempre fala a higienização da boca e do aparelho.

Para quem usa aparelho fixo, é preciso melhorar os hábitos de higienização da boca. Além de usar a escova interdental e do fio, tenha cuidado redobrado durante a escovação dos dentes. O aparelho fixo torna o processo de limpeza mais difícil, o que pode favorecer a formação de placas bacterianas.

Além disso, após a colocação do aparelho fixo é comum identificar o surgimento de aftas e lesões na boca, em razão do atrito entre o aparelho e a mucosa. Para esse tipo de situação você pode conversar com o seu dentista, que vai recomendar o uso de ceras ou resinas visando proteger a mucosa e evitar o surgimento de aftas.

Ainda, é interessante cuidar com a alimentação. Evite alimentos duros, grandes e pegajosos, como caramelo e goma de mascar. Tudo que ficar grudado nos dentes pode favorecer o surgimento de cáries e placas bacterianas.

Ainda, se você vai usar um alinhador transparente, o principal cuidado é com a constância no tratamento. Use o aparelho pelo máximo de horas possível, retirando apenas para fazer as refeições e realizar a higienização bucal. Lembre-se também de higienizar o aparelho sempre antes de colocá-lo de volta na sua boca.

O suporte de um dentista é essencial em todo o processo de tratamento ortodôntico. Além de orientar com relação aos cuidados que devem ser mantidos no seu dia a dia, ele vai oferecer todo o suporte profissional para que você alcance os resultados pretendidos no menor prazo possível.

Cada tratamento deve ser feito de acordo com as necessidades e objetivos do paciente, sempre prezando pelo cuidado com a manutenção da saúde que deve ser o foco central de qualquer tratamento dentário.

A colocação de aparelhos é um tratamento que pode ser feito por qualquer pessoa, já que hoje existem opções a custos que atendem a diferentes perfis. Por isso, não tenha receio de procurar um suporte profissional e realizar uma avaliação ortodôntica.

Agora que você já conhece os tipos de aparelho, que tal agendar uma consulta com um especialista da Odontoclinic? Entre em contato conosco e solicite informações sobre o nosso atendimento especializado.

Aparelho na vida adulta: o guia completo e as principais dúvidas
Posts relacionados

Deixe um comentário