Qual é a importância da documentação ortodôntica para o seu tratamento?

7 minutos para ler
Clínico geral: sempre uma solução ideal pra cuidar de você

Se você já foi ao dentista para fazer algum procedimento, desde tirar uma cárie até colocar um aparelho, com certeza, precisou fazer uma documentação ortodôntica, não é mesmo? É muito comum que os profissionais solicitem exames e radiografias para entender qual é o procedimento mais indicado para o seu caso, como o melhor tipo de ortodontia para alinhar sua arcada dentária.

Para entender tudo sobre esses documentos, fizemos este artigo sobre o assunto, no qual explicamos em detalhes tudo o que envolve essa documentação. Acompanhe na sequência!

O que é documentação ortodôntica?

A documentação ortodôntica é conhecida como um grupo de exames, que contempla:

  • radiografias;
  • fotografias intra e extrabucais;
  • modelos em gesso das arcadas dentárias;
  • análises cefalométricas e de modelos computadorizadas.

A sua solicitação é feita pelo dentista e tem por objetivo oferecer uma visão completa sobre o paciente, permitindo maior detalhamento e entendimento quanto às necessidades da consulta pelo profissional.

Para que serve a documentação ortodôntica?

Podemos dizer que a documentação serve tanto para a identificação dos melhores e mais adequados tratamentos odontológicos para os dentes de uma pessoa, quanto para estudar a evolução e os resultados de procedimentos feitos por um dentista. 

Isso inclui, por exemplo, a necessidade de uso de aparelhos ortodônticos. Assim, o dentista tem mais precisão para definir quanto tempo o paciente terá que ficar com o aparelho e outros detalhes.

As radiografias mesmo permitem entender como estão as raízes dos dentes e qual será a força necessária usada em um aparelho para que aconteça a movimentação dos dentes. Ou seja, é superimportante!

Cabe lembrar, também, que o diagnóstico obtido por esses exames é o que permite ao dentista atuar da maneira adequada de acordo com as necessidades de cada pessoa. Por exemplo, caso seja necessário usar um alinhador, você precisa da documentação para que o dentista possa fazer o aparelho que melhor se encaixe nos seus dentes.

Quando ela é necessária?

Como já destacamos, a documentação ortodôntica traz mais detalhes a respeito da saúde bucal do paciente, e isso faz com que o dentista consiga entender melhor a situação.

Ter esse diagnóstico é essencial e obrigatório ainda no início do tratamento. Sem esses documentos, que incluem exames e raios-x, não é possível saber da estrutura dentária, nem identificar outras complicações ou particularidades do paciente.

Lembrando que cada pessoa tem uma estrutura de arcada; logo, um tratamento não necessariamente será o mesmo de um indivíduo para outro, mesmo que o problema seja bem parecido.

Um exemplo da necessidade da documentação é na identificação de cáries invisíveis a olho nu (como as que surgem entre dentes), mas que, se não forem tratadas de forma adequada, podem causar grandes problemas.

Outro caso muito comum de necessidade de todo esse material é para crianças e adolescentes que colocam aparelho. A estrutura óssea da arcada vai se desenvolvendo ao longo da vida; por isso, ter moldes e exames de raios-x da área ajudará na projeção do tratamento futuro e de intervenções que podem ser necessárias mais para frente.

Além disso, o dentista poderá ver quais movimentações dentárias foram feitas e trabalhar em cima das partes do aparelho ortodôntico, aumentando a sua eficácia.

Quais são os riscos de não ter essa documentação?

documentação ortodôntica

A falta da documentação ortodôntica pode interromper um tratamento odontológico (ou, até mesmo, impedir seu início). Além disso, leva à ineficácia do procedimento e até à falta de objetividade no que está sendo realizado, o que acarreta uma demora para sua finalização.

Outro problema é a possibilidade de evolução da condição para uma forma mais grave. Como a gente já falou, esse é o caso das cáries, que, caso não sejam identificadas a tempo, podem evoluir para a necessidade de um canal. Já com os aparelhos, um dos problemas de não ter a documentação é aumentar os custos e tempo do tratamento, visto que passa a não ser possível fazer uma previsão certeira de seu término.

Não contar com os documentos também faz com que o diagnóstico seja mais superficial e, até mesmo, equivocado, dificultando a intervenção e influenciando, inclusive, a estética final. Enfim, o trabalho do profissional não será tão eficiente e completo, perdendo em qualidade.

Como é feita a documentação ortodôntica?

Para saber como é feita a documentação ortodôntica, você precisa entender como ela se divide. Basicamente, está composta por:

  • radiografia panorâmica: por meio dela, o dentista consegue visualizar todos os dentes e ter uma ideia da sua condição óssea;
  • telerradiografia lateral: nesse caso, é uma radiografia da lateral do crânio e que dá uma boa noção do queixo, estrutura que tem um forte impacto em muitos tratamentos;
  • periapical: radiografia dos dentes incisivos;
  • radiografia panorâmica: é fundamental para a avaliação daqueles dentes que estão fora do padrão ou, mesmo, daqueles que não tiveram um desenvolvimento normal;
  • radiografia carpal: radiografia usada para identificar a idade óssea do paciente, usada especialmente em crianças e adolescentes em fase de desenvolvimento;
  • modelos de gesso: ajudam a avaliar a mordida e a visualizar em 3D a posição dos dentes na arcada dentária;
  • fotografias intra e extrabucais: as fotos são importantes para que se possa fazer uma avaliação da estética do sorriso, mas também para identificar assimetrias na face, bem como auxiliar no planejamento de movimentação dos dentes durante o tratamento.

Lembrando que nem sempre todas vão ser solicitadas — isso varia entre cada tratamento, ok?

Como uma clínica odontológica deve atuar nesse sentido?

É muito importante que você procure uma clínica odontológica de confiança antes de iniciar qualquer tratamento bucal. Afinal, trata-se não só de uma questão estética, mas, também, de saúde.

De acordo com o Código de Ética Odontológica, o profissional deve criar um prontuário clínico para cada paciente, com datas e informações atualizadas a respeito dos procedimentos realizados durante todo o tratamento.

É considerado infração ética negar qualquer documentação referente ao atendimento do paciente, que poderá pedi-la quando precisar mediante a assinatura de um recibo. Logo, ao final do tratamento, você tem direito de ficar com a sua documentação ortodôntica.

Caso possa realizar os exames e radiografias na própria clínica, é ainda melhor. Na Odontoclinic, por exemplo, muitas dessas documentações ortodônticas são feitas no próprio espaço, o que facilita (e muito!) a vida do paciente, além de trazer toda a segurança necessária para o sucesso do seu tratamento, seja ele qual for.

Esperamos que você tenha tirado suas principais dúvidas sobre documentação ortodôntica. Como vimos, realizar esse procedimento é meio caminho andado para a eficácia de qualquer procedimento odontológico.

Gostou? Para continuar lendo conteúdos como este e recebê-los no seu e-mail em primeira mão, assine a nossa newsletter!

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário