Fluorose infantil: conheça as causas e os tratamentos

Apesar de não ser um problema grave, a fluorose infantil pode ter sérios impactos emocionais por afetar a estética dos dentes. Além disso, esse problema pode desencadear outras doenças bucais. Por isso é tão importante entender o que é e como prevenir.

Já reparou que algumas pessoas têm manchas brancas ou amarelas nos dentes? Isso ocorre devido à alimentação da pessoa, seja por consumo de muitos refrigerantes e doces, seja no caso de adultos por bebidas alcoólicas e cigarros.

Mas essas manchas podem ocorrer também por outro motivo: uma condição que acontece na maioria dos casos em crianças e pode ser gerada pela fluorose infantil. Apesar de ter um nome um pouco fora do comum e até um pouco difícil para muitas pessoas, essa condição ocorre devido ao uso excessivo de flúor.

A condição pode ser tratada e abaixo daremos mais informações sobre a fluorose dentária infantil, tratamento, suas causas, como pode ser evitada e o que fazer se for preciso tratar. Acompanhe!

O que é fluorose infantil?

A fluorose infantil é uma condição que atinge a camada de esmalte dos dentes da criança, podendo gerar manchas esbranquiçadas ou amareladas e opacas na região. Surge devido ao uso excessivo de produtos com flúor em sua composição, como pastas dentais e enxaguantes bucais com flúor.

Durante o crescimento é importante cuidar da higiene bucal para não gerar cáries e outras condições nos dentes ou boca, mas é necessário ter atenção para não haver exageros e causar outros problemas, como bruxismo e fluorose. Isso pode influenciar a dentição definitiva do futuro adulto.

O problema é muito comum de acontecer durante a infância e pode gerar problemas emocionais devido a estar muito ligado a um dos pontos fortes da autoestima, o sorriso. Quem nunca ouviu que o sorriso é a janela da alma ou teve vergonha de sorrir quando estava com os dentes sujos? Por isso, uma pessoa com fluorose pode desenvolver problemas emocionais.

O que é flúor?

O flúor é um mineral que pode auxiliar no organismo humano de diversas maneiras. Estando presente em vários produtos do dia a dia, especialmente na água usada e ingerida pela população, ele pode prevenir e até eliminar bactérias nocivas para a boca e o organismo.

Logo, além de promover a saúde bucal, o flúor colabora com a saúde de todo o corpo, mas consumida além da quantidade necessária pode prejudicar, em vez de ajudar o organismo humano.

Quais são os sintomas da fluorose infantil?

A fluorose é caracterizada pelo aparecimento das manchas em formato de linhas finas, manchas grandes ou ainda mudar toda a cor do dente. Não há padrão para a condição, sendo que podem surgir em alguns dentes, e não todos, assim como um pouquinho em cada dente por toda a boca.

Nos casos agravados, as cores das manchas podem ser mais escuras, passando de amareladas para castanho ou marrom. É importante atentar à condição porque, mesmo surgindo na infância com os dentes de leite, as manchas podem não sair, ficando no sorriso até a idade adulta, o que costuma gerar abatimento no paciente.

Em alguns poucos casos, geram defeitos anatômicos que podem ou não ser descobertos com as manchas. São desde uma sensibilidade até problemas gengivais e, em casos muito graves, a perda de parte da arcada dentária.

Como a fluorose infantil surge?

Realizar a higiene bucal do bebê e das crianças desde cedo é muito importante para evitar qualquer condição na boca ou nos dentes. No entanto, tão importante quanto fazer essa higiene, é usar os produtos corretos e as quantidades necessárias de acordo com cada fase do crescimento.

O uso exagerado de produtos que têm flúor na sua composição pode gerar problemas no crescimento da dentição definitiva da criança, resultantes da fluorose infantil. Como o flúor também está presente em vários itens do dia a dia, como a água e alguns alimentos, é preocupante quando há a junção de muitos desses elementos com os produtos de limpeza bucal.

A fluorose infantil surge quando há uso excessivo de flúor na higiene bucal da criança. Neste caso pode ser devido à grande quantidade de produto ou utilização de um item não específico para a idade definida.

A fluorose dental infantil pode fazer com que o esmalte dental fique hipomineralizado e tenha características porosas e frágeis. Assim, maiores problemas como desgastes, perda de parte da arcada dentária e sensibilidade são possíveis consequências.

Lembrando que a fluorose infantil não é contagiosa, portanto não há problema quanto ao compartilhamento de pratos e talheres entre as crianças. Depois de adulto, o uso de produtos com flúor não acarreta em uma piora do quadro ou na criação de uma nova situação, já que a condição, em geral, é gerada na infância e o paciente leva para o restante da vida.

Quais são os principais danos causados pela fluorose infantil?

Em geral, a fluorose infantil tem um impacto maior na estética do sorriso, afinal, como explicamos, seu principal sintoma é o aparecimento de manchas nos dentes permanentes, que formam um contraste muito marcante.

Portanto, o primeiro dano causado por esse problema é o estético, que traz insatisfação com a aparência da dentição. Afeta também a autoestima e a autoconfiança, interferindo em outras áreas de desenvolvimento e bem-estar.

Quando a fluorose dentária é mais grave e afeta a estrutura dos dentes, a dentição de uma pessoa é mais frágil e propensa a quebrar e rachar. Além disso, ela poderá desenvolver maior vulnerabilidade a outras doenças bucais, como a cárie.

Dependendo do grau de alteração na estrutura dentária, é possível que o problema cause, ainda, outras complicações decorrentes do encaixe incorreto das arcadas dentárias.

Como prevenir a fluorose dentária na infância?

Como vimos, a fluorose infantil é uma condição que pode ser adquirida e não vem do nascimento ou da genética familiar. Dito Isso, é possível realizar uma prevenção para que não haja esse diagnóstico.

Como diz aquele ditado de vó, a prevenção é o melhor remédio. Somente com algumas mudanças já é possível precaver as crianças, tendo atenção a alguns pontos durante a higiene bucal infantil. Outra recomendação é levar os pequenos para uma visita ao dentista ao menos uma vez por ano.

Atentar à quantidade de flúor ingerido

Considerando que a fluorose surge devido à quantidade exagerada de flúor durante a higiene bucal, é muito importante ter atenção a este ponto. Sobretudo enquanto a criança estiver entre os 15 e 30 meses de vida.

A maioria das crianças tem o costume de engolir um pouco da pasta de dente usada por ter um gostinho bom, mas é necessária a atenção a essa questão. É a partir dessa ação que, feita em grande quantidade, pode gerar a fluorose infantil.

A fase informada, de 15 a 30 meses de vida da criança, é a época em que há a formação do esmalte dos dentes permanentes. Por isso, ter uma atenção redobrada em relação à quantidade de pasta dental que o pequeno engole é essencial para prevenir a fluorose dental infantil, evitando qualquer tratamento maior no futuro.

Quantidade ideal de flúor por idade

É importante redobrar os cuidados a respeito da quantidade de pasta utilizada para cada idade. Para crianças com 1 ano de idade, por exemplo, o máximo a ser colocado na escova é 0,05g de pasta dental, que equivale à metade de um grão de arroz. Além disso, a escovação deve ser feita 2 vezes ao dia.

Já para crianças de 2 anos, a quantidade dobra, então a escovação 2 vezes ao dia passa a ter uma quantidade equivalente a um grão de arroz de pasta sobre a escova. Nos casos daquelas acima de 3 anos, o ideal é usar uma quantidade equivalente a uma ervilha sobre a escova. Portanto, conforme a criança cresce, a porção a ser utilizada aumenta.

Como o flúor é um item que está presente em vários produtos utilizados no dia a dia, você pode verificar também a quantidade presente na água da residência, podendo fazer alterações nos outros produtos para controle da quantidade ingerida. Essa informação é encontrada entrando em contato com a sua distribuidora de água.

Caso a criança faça uso de fórmulas e vitaminas, esteja alerta ao rótulo e converse com o médico especialista sobre a opção de usar itens que não contenham flúor ou que tenham concentração bem pequena.

Ter uma boa higiene bucal

Para a prevenção da fluorose dentária infantil, é essencial ter uma boa higiene bucal. É indicado, portanto, realizar a escovação dos dentes 2 vezes ao dia com uso de escova e pasta dental recomendados para cada idade e tamanho.

Enquanto a criança não tiver mobilidade completa para realizar o processo sozinha, você deve realizá-lo. E quando ela já puder fazer os movimentos, ainda assim é preciso ter atenção durante a ação.

É importante observar e mostrar os movimentos corretos durante a escovação, além de ensinar que é preciso fazer o bochecho e cuspir todo o produto ao final do processo, mesmo que a pasta tenha gostinho bom.

Por último, lembre-se de usar o fio dental em todas as escovações, após o nascimento e crescimento dos dentes, e de um enxaguante bucal se seu dentista recomendar.

Usar uma pasta de dente de qualidade

Como informamos, usar os produtos adequados também é uma forma de prevenir a fluorose infantil, e isso inclui as escovas infantis, mas também as pastas dentais. É sempre bom ter acompanhamento de um profissional da área, um especialista em crianças é ainda melhor, para que ela faça indicações e ensine aos pais como realizar a movimentação da escova durante a escovação.

Mas se você estiver em um mercado procurando por uma pasta para a criança e não se lembra de nenhuma das recomendações feitas, tenha atenção aos rótulos das embalagens e busque por produtos que tenham concentração máxima de flúor de 1100ppm. Essa concentração previne a formação de cáries e ajuda a manter uma quantidade de flúor mais baixa no corpo da criança, caso haja a ingestão do produto.

Certificar-se da quantidade de flúor na água

Há diversos produtos utilizados no dia a dia que contêm flúor, então ter ciência disso e tentar diminuir a quantidade consumida pode ajudar a prevenir a fluorose infantil.

A água distribuída para as casas dos brasileiros, em maioria, contém flúor, de acordo com a Lei n°6.050 promulgada em maio de 1974. O objetivo foi ajudar a prevenir e tratar a grande quantidade de cáries que ocorriam na época.

Essa foi uma decisão em que o governo ajudou a saúde de toda a população.

Com a Lei, todos os locais que recebem água através de uma companhia de distribuição passam a receber água fluoretada. Mas a quantidade de flúor contida em cada local varia de agências sanitárias, portanto procure a companhia que faz o abastecimento da sua residência para verificar o nível da que você recebe.

Diminuir o consumo de alimentos ricos em flúor

A água é um dos principais itens consumidos no dia a dia que contém flúor, mas existem também diversos alimentos onde o mineral está presente. Um exemplo é a famosa combinação do brasileiro, o arroz com feijão, além da cebola e do alho.

É claro que esses alimentos não podem ser retirados da alimentação porque têm grandes propriedades e vitaminas responsáveis por manter a saúde e o crescimento, especialmente das crianças. No entanto, pode ser escolhida no mercado uma opção com menor quantidade de concentração de flúor.

Outros alimentos que podem conter grande quantidade de flúor em sua composição são os refrigerantes e produtos superprocessados, como biscoitos. Por serem feitos com água fluoretada e muitos corantes, podem acrescentar muito à quantidade de flúor ingerida no organismo.

Como são alimentos que não têm contribuição na saúde, eles podem ser cortados ou haver uma diminuição em seu consumo, ainda mais no dia a dia da família.

De que forma é feito o tratamento da fluorose infantil?

Caso perceba alguma manchinha branca ou amarela nos dentes da criança, procure o dentista para verificar o que pode ser e se precisa ser feito algo.

A condição da fluorose dentária infantil não gera nenhuma sensibilidade ou dor no dente, somente as manchas no esmalte dentário. Sendo assim, o tratamento pode variar de acordo com o estágio do quadro, após o diagnóstico ter sido realizado por um dentista especializado.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico é feito a partir da observação e atenção de acordo com o próprio histórico do paciente. Por isso a importância de ter acompanhamento com um odontopediatra, especializado em crianças desde o nascimento do bebê.

Os tratamentos existentes da fluorose infantil, em muitos casos, não tratam as manchas de maneira completa, mas amenizam a situação. Mas mesmo não retirando de forma total, a aparência pode melhorar muito, contribuindo para o desenvolvimento emocional e a autoestima.

Após uma consulta com o dentista, ele pode definir o tratamento a ser realizado. Caso as manchas sejam poucas e não muito visíveis, a preferência é não fazer nenhum tratamento, já que podem ser invasivos para crianças.

Já se for uma condição mais visível e agravada, que pode gerar problemas com a autoestima e a visão de si mesma da criança, podem ser realizados alguns procedimentos por cirurgiões-dentistas.

Podem ser feitos, para diminuição da visibilidade das manchas, procedimentos como restaurações com resina e coroa dentária, além de microabrasão do esmalte dentário. Outra possibilidade é a implantação de facetas de porcelana.

Procedimentos

O procedimento menos invasivo seria a microabrasão, em que o dentista realiza um pequeno desgaste no esmalte, como se fosse uma raspagem, retirando uma camada fina e trazendo mais harmonia ao sorriso. Esse procedimento é o mais indicado para casos leves ou médios.

Se a condição for mais agravada, já são indicadas as reestruturações com coroa, resina ou implantação de facetas. Esses procedimentos são realizados através de um desgaste realizado na estrutura dentária, o que não é tão recomendado devido à idade dos pacientes. Podem ser procedimentos mais sensíveis para uma criança.

Junto aos procedimentos citados, realizar um clareamento dental pode deixar o sorriso mais harmônico e os dentes mais claros. É importante ressaltar que o clareamento por si só apenas ameniza as manchas advindas da fluorose dental infantil, mas pode ajudar a potencializar procedimentos feitos para isso.

Por que é importante criar uma rotina de higiene bucal desde cedo?

Ter uma rotina de higiene bucal desde antes do nascimento dos dentes é algo que pode ser muito importante na saúde da boca no futuro. Esse cuidado com o bebê, unindo passos de limpeza e escovação, garante um desenvolvimento mais saudável dos dentinhos que ainda virão.

Rotina de limpeza para bebês

A princípio, o ideal é usar gaze e água para realizar a limpeza das gengivas e de qualquer resíduo vindo da amamentação. Após a saída dos dentinhos, pode-se começar a utilização de escovas dentais, específicas para o tamanho da criança, junto com a pasta dental na quantidade indicada pelo especialista.

É sempre bom lembrar que, mesmo enquanto bebês, a limpeza bucal deve ser feita, pelo menos, 2 vezes ao dia. E quando já houver o uso de escova e pasta, tentar evitar ao máximo a ingestão da pasta de dente.

Rotina de limpeza para crianças

Já no caso de crianças com a dentição completa, é importante ter atenção à limpeza diária. É indicado que a escovação seja feita sempre após as principais refeições. Não é recomendado o uso de pasta de dente de adultos na escovação dental dos pequenos, pois ela costuma ter dosagens inapropriadas de flúor para uso de crianças e adolescentes.

É importante que a criança seja educada a lavar a boca com água sempre ao final das escovações. Caso esse passo não seja feito, podem ficar excessos de pasta com flúor por longos períodos, desencadeando um problema maior. Sendo assim, é importante a supervisão dos pais e responsáveis durante a limpeza dental nos primeiros anos de vida.

Para que a limpeza dental infantil fique completa, deve-se seguir algumas recomendações, então acompanhe as principais abaixo.

  • Em primeiro lugar, é importante usar o fio dental em todos os dentes. Essa prática quando iniciada logo cedo diminui as chances do desenvolvimento de cáries, placas dentárias, mau hálito e inflamação nas gengivas.
  • Em seguida, aplique uma pequena quantidade de creme dental infantil com flúor. Vigie sempre para não correr o risco de a criança engolir o creme.
  • Opte por uma escova de cerdas macias. Ao começar a escovação, limpe primeiro as superfícies internas dos dentes, onde há maior acúmulo de placa. Neste momento, as cerdas da escova devem estar de frente para a parte interna dos dentes e deitadas em relação à língua. Escove para frente e para trás suavemente.
  • Depois, escove as superfícies dos dentes voltadas para a bochecha, e não se esqueça de escovar todos os lados. As cerdas da escova devem estar de frente para os dentes e com as costas para a bochecha. De novo, escove para frente e para trás de modo suave.
  • Por fim, limpe a superfície de mastigação dos dentes e finalize escovando a língua para frente e para trás.

Como deu para perceber, embora a fluorose infantil possa ser tratada, a prevenção ainda é o melhor remédio. Isso porque, se o problema for muito amplo, exige medidas mais invasivas, o que pode ser um pouco desagradável para as crianças, dependendo da idade. É pior quando a mancha atinge muitos dentes porque o tratamento será mais demorado e delicado.

A partir deste artigo foi possível entender o que é fluorose infantil e quais são os seus impactos na saúde bucal. Que tal agora compartilhar este post nas suas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso a essas informações? Compartilhe!

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agende sua avaliação

Materiais Grátis

Posts relacionados

Inscreva-se para receber novidades

O que você procura?
Últimas publicações
O atestado odontológico é válido para abonar faltas? Quantos dias? E horas? Esclareça suas dúvidas nesse post!
Feridas no céu da boca? Leia o post para saber o que pode ser, quais são as principais causas e o que fazer!
Dente infeccionado ou inflamado? O que fazer se o dente estiver inflamado? Leia o post e tire suas dúvidas!