Minha gengiva está inflamada. E agora, o que fazer?

6 minutos para ler

O tecido que envolve os dentes demanda atenção quando o assunto é saúde bucal. Saiba agora como prevenir e tratar a gengiva inflamada.

A facilidade para observar os tecidos da boca não impede que certos problemas passem despercebidos. A gengivite, ou gengiva inflamada, por exemplo, é um quadro que merece atenção porque nem sempre vem acompanhado de dor. Estudos apontam, inclusive, que já atinge 1 em cada 2 adultos.

As consequências vão de leves a graves, com alterações que afetam desde o hálito até o aspecto dos dentes. Nos casos mais avançados, quando a pessoa não procura ajuda ou deixa de cumprir as orientações dos profissionais da saúde, a doença pode evoluir para periodontite.

O principal caminho para evitar complicações é cuidar da higiene. A seguir, vamos discutir o assunto para que você saiba como prevenir, identificar e tratar a gengivite.

O que caracteriza a gengiva inflamada?

É um processo inflamatório que afeta os tecidos gengivais. Dependendo da causa e do tempo de duração, ele pode ficar limitado a determinado ponto ou se estender por toda a arcada dentária. Em todo caso, precisa ser controlado para não prejudicar a saúde e a estética bucal.

Muitas pessoas demoram a notar os sintomas devido à ausência de dores. No entanto, alguns sinais podem ser captados com observação atenta. Eles incluem:

  • inchaço;
  • mudança de coloração;
  • sangramentos na gengiva;
  • mau hálito;
  • percepção de gosto desagradável na boca.

Quais são as causas da gengivite?

Diversas razões estão por trás do problema, sendo a higienização incorreta ou insuficiente a principal delas. Outras doenças, como o tabagismo, também contribuem para a inflamação das gengivas. Essa variedade de fatores faz com que indivíduos de todas as idades estejam sujeitos a desenvolver o quadro.

Veja exemplos de causas da gengiva inflamada.

Escovação inadequada

Na intenção de caprichar na limpeza bucal, algumas pessoas cometem o erro de aplicar força excessiva na escova de dentes. Aliado a movimentos bruscos e repetitivos, esse hábito pode ferir a gengiva e abrir espaço para que micro-organismos se instalem nos tecidos.

Ainda que não sinta dores e outros desconfortos durante a escovação, você pode machucar sua boca. Para ter certeza sobre a pressão adequada, converse com o dentista e procure observar o aspecto das gengivas após a higiene. Elas nunca devem ficar irritadas ou avermelhadas.

Higienização insuficiente

Esse descuido está por trás de vários casos de gengiva inflamada. Ao mastigar os alimentos, você deposita pequenas partículas entre os dentes e os tecidos que os sustentam. Se não remover bem os resíduos que ficaram presos, criará o ambiente propício para a proliferação de bactérias.

Como resultado, há rápida formação de placa bacteriana e do temido tártaro, ambos favoráveis ao surgimento de um processo inflamatório. Lembre-se, portanto, de que o uso de fio dental e a escovação eficaz após as refeições representam o combo perfeito para a manutenção da saúde bucal.

O Guia completo da saúde da gengiva

Alterações hormonais

Mudanças no funcionamento do organismo podem tornar uma pessoa mais suscetível à gengivite. Gestação, menopausa e até a puberdade aumentam o risco para a doença, visto que alteram as taxas de diferentes hormônios.

Quem faz reposição hormonal ou utiliza contraceptivos orais também deve redobrar os cuidados. Isso porque as variações nas substâncias presentes no corpo deixam diversos tecidos mais sensíveis a inflamações, incluindo as gengivas.

Outros fatores

Alguns medicamentos, como é o caso dos esteroides e das drogas antiepiléticas, também tendem a aumentar a chance de desenvolver gengivite. Assim, pacientes que fazem o tratamento de doenças com esses remédios devem estar cientes do risco.

Outro detalhe a ser considerado é a característica da dentição. Pessoas com dentes apinhados (desalinhados, sobrepostos ou tortos) têm mais dificuldade para realizar a limpeza completa da boca, por isso podem sofrer com inflamações recorrentes.

gengiva inflamada

O que fazer quando a gengiva está inflamada?

O primeiro passo é intensificar os cuidados com a limpeza bucal, sempre lembrando que a condição de gengiva inflamada deixa os tecidos locais mais sensíveis. Além disso, vale a pena agendar uma consulta com o dentista de sua confiança assim que notar qualquer alteração.

O profissional da ortodontia saberá, por meio de conversa e análise da região afetada, reconhecer a causa por trás do problema. Essa interação é crucial para definir o melhor tratamento. As práticas de cuidado podem começar no consultório e continuar na sua residência.

Enquanto não visita o especialista, você pode aumentar a frequência de escovação e de uso do fio dental. Esse reforço na higiene evitará que novas bactérias se acumulem na boca e retardará processos prejudiciais, como a formação de bolsas, a retração gengival e a sensibilidade nos dentes.

Também é importante considerar a substituição da sua escova por um modelo com cerdas mais macias e, durante a limpeza, evitar fazer pressão exagerada sobre a arcada dentária. Pense que os movimentos devem ser firmes, mas leves, de modo que não machuquem a área inflamada.

Por que consultar um dentista?

Bons hábitos de higiene bucal são extremamente eficazes para evitar a gengivite. Ainda assim, é importante ir ao consultório odontológico com frequência para garantir uma prevenção mais duradoura. O objetivo é complementar os cuidados com o suporte de um profissional da área da saúde.

Nos casos em que a gengiva inflamada for resultado de placa bacteriana endurecida, por exemplo, o dentista precisará remover o material na clínica. O procedimento odontológico varia de um caso para outro, podendo envolver desde raspagem até prescrição de medicamentos que contenham a inflamação.

Cremes e enxaguantes bucais terapêuticos também são grandes aliados no processo de tratamento, mas devem ser recomendados pelo dentista. Além da abordagem inicial para o controle dos sintomas, o profissional ajudará você com dicas benéficas sobre alimentação saudável e higiene bucal.

Gostou de aprender mais sobre as causas e as maneiras de prevenir a gengiva inflamada? Reforçamos aqui a necessidade de visitar o seu dentista periodicamente para investigar sinais que nem sempre são visíveis, já que muitos podem evoluir para quadros que impactam a saúde e o bem-estar.

Já está em busca de atendimento especializado? Entre em contato com a nossa equipe e agende a sua consulta!

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário