Bruxismo: o que é, causas e como tratar

9 minutos para ler

De acordo com pesquisas recentes da Organização Mundial da Saúde, o bruxismo é um transtorno que afeta 30% da população mundial. Só no Brasil, de acordo com dados oficiais, 40% das pessoas sofrem com o problema. Inclusive, 15% das crianças avaliadas em um estudo da Faculdade de Odontologia da Unesp.

Apesar de não ter cura, o bruxismo pode e deve ser tratado para que os pacientes adquiriram uma melhor qualidade de vida e projetam seus dentes dos desgastes causados por esse problema.

No entanto, você sabe mesmo o que é bruxismo e quais os seus sintomas? Neste artigo, vamos apresentar um panorama completo sobre o assunto! Além de conhecer o conceito e os sintomas, você vai descobrir as causas, as consequências e os tratamentos indicados pelos profissionais de odontologia. Acompanhe e entenda!

O que é o bruxismo?

Caracterizado por uma disfunção que causa o ranger ou o apertar dos dentes, o bruxismo pode ter diferentes níveis de intensidade e, em alguns casos mais sérios, causar problemas até nas articulações mandibulares (ATM).

Se você acorda com dores no maxilar, nos músculos da mandíbula ou mesmo com dores de cabeça todos os dias, é importante considerar uma visita ao dentista para verificar a possibilidade de sofrer de bruxismo.

É importante destacar que o bruxismo é considerado como o comportamento parafuncional mais prejudicial entre todos os comportamentos relacionados ao sistema estomatognático, razão pela qual deve ser tratado com atenção por pacientes e profissionais.

Quais são os tipos de bruxismo?

Existem dois tipos principais de bruxismo, o chamado “bruxismo de vigília” e o “bruxismo do sono”. Entenda o que os diferencia e quais são seus conceitos.

Bruxismo de vigília

O bruxismo de vigília, como o nome já sugere, acontece quando o paciente está acordado. Sua principal característica fundamental é o apertamento dentário.

Bruxismo do sono

O bruxismo noturno, por sua vez, acontece durante o sono. Nele, podem acontecer tanto o apertamento dentário quando o ranger dos dentes.

Como diferenciar um do outro? Geralmente, o bruxismo de vigília é diagnosticado após a própria identificação do paciente. Normalmente é ele quem percebe o problema e procura ajuda de um profissional. Já no caso do bruxismo do sono, geralmente o seu diagnóstico está relacionado aos relatos de quem dorme com o paciente e a identificação dos sintomas associados ao problema.

 Quais são as causas do bruxismo?

Muito embora se trate de um problema comum, ainda não existem um consenso científico absoluto a respeito das causas exatas do bruxismo. Todavia, o que os profissionais percebem é que o transtorno está associado às questões como:

  • ansiedade, stress, excesso de tensão e outros problemas de ordem psicológica;
  • desalinhamento entre os dentes;
  • efeitos colaterais de medicamentos;
  • dores de ouvido ou de dente;
  • refluxo estomacal.

O bruxismo ainda pode ser sintoma de outras doenças, como o Mal de Parkinson. Por isso ao sinal de qualquer sintoma vinculado ao ranger de dentes é imprescindível buscar o suporte de profissionais especialistas na área odontológica. Além de avaliar as causas, são eles os responsáveis por direcionar o paciente para o tratamento.

 Quais os principais sintomas?

O principal problema na hora de diagnosticar o bruxismo é que, nem sempre, o paciente consegue identificar o problema, achando que os sintomas de dores de cabeça ou maxilares são frutos de outros problemas.

Muitas vezes, o problema só é percebido por parentes ou amigos, já que o bruxismo, na maior parte dos casos, se manifesta apenas durante o sono.

Além do principal sintoma (ranger, bater ou pressionar os dentes principalmente durante a noite) é importante ficar atento aos seguintes sintomas que podem sinalizar que algo está errado e contribuir para o diagnóstico do bruxismo:

  • desgaste nos dentes e, em casos mais severos, até fraturas ou amolecimento;
  • aumento da sensibilidade nos dentes;
  • fortes dores de cabeça;
  • dores na mandíbula ou maxilar;
  • dores na face;
  • problemas na gengiva;
  • dores ou zumbido no ouvido;
  • dores no pescoço;
  • alterações no sono.

Quais são as consequências do bruxismo?

Algumas pessoas só vão buscar ajuda após um longo período com o problema e a identificação de efeitos avançados, como o caso do desgaste dentário. Entre as consequências mais comuns já mencionadas, também é importante destacar a ocorrência de fraturas, dores nas têmporas e rigidez da musculatura facial.

O paciente que tem bruxismo tem mais dificuldade de manter uma boa noite de sono, razão pela qual as alterações nos hábitos noturnos podem ser outro indicativo importante no diagnóstico do problema.

Como tratar o bruxismo?

Hoje, o principal tratamento nos consultórios de odontologia, utilizado para restringir os movimentos dos dentes na hora das crises de bruxismo, consiste no uso das placas de acrílico miorrelaxantes, popularmente conhecidas como “placas de mordida”.

Esses instrumentos auxiliam no combate ao desgaste dos dentes, no relaxamento dos músculos da mandíbula e, consequentemente, contribuem para a redução de dores e outros problemas associados ao bruxismo.

Nas situações mais severas, o bruxismo pode ser tratado de modo multidisciplinar, com o apoio de odontólogos, psicólogos e até fonoaudiólogos.

Em todo caso, é fundamental consultar seu dentista para verificar qual o tratamento mais adequado, contribuindo para a sua saúde bucal e melhora da qualidade de vida.

Qual é a relação entre o Bruxismo e a Disfunção Temporomandibular?

As disfunções temporomandibulares são problemas nas articulações que ligam o maxilar à mandíbula. Geralmente, as DTMs ocasionam dores no local, dores de cabeça, zumbidos e até mesmo dificuldade de movimentar a boca. Casos graves da disfunção podem indicar a necessidade de intervenção cirúrgica.

O Bruxismo pode ser uma causa da Disfunção Temporomandibular?

Sim! O bruxismo está associado à DTM. Entretanto, é válido destacar que o diagnóstico da Disfunção Temporomandibular é complexo e, em muitos casos, as razões para o surgimento desse transtorno são desconhecidas.

Por isso, é essencial buscar o suporte de um dentista caso você sinta qualquer um dos sintomas abaixo:

  • estalos durante a movimentação da mandíbula;
  • dificuldade para abrir, fechar a boca ou mastigar alimentos;
  • inchaço no rosto;
  • dores de cabeça, ouvido ou dores localizadas na região do maxilar;
  • zumbidos.

Apesar de ser difícil identificar as causas da disfunção temporomandibular, algumas delas podem estar relacionadas ao bruxismo, estresse e tensões musculares. Por isso é tão importante tratar o bruxismo, se diagnosticado cedo o paciente evita a evolução para outros problemas como a Disfunção Temporomandibular.

Para diagnosticar uma disfunção temporomandibular, o dentista poderá solicitar uma série de exames, como uma radiografia odontológica da mandíbula, ressonâncias magnéticas e tomografias.

Como tratar a Disfunção Temporomandibular?

Somente seu dentista poderá definir qual o tratamento ideal para a cura e o controle da disfunção temporomandibular. Em casos mais graves o tratamento poderá envolver outros profissionais de saúde, como cirurgiões.

Como é produzida a placa de bruxismo?

A placa de bruxismo também é chamada de placa miorrelaxante ou placa de mordida. Ela é feita sob medida de acordo com a arcada do paciente e sua função é evitar o contato entre as arcadas dentárias.

Via de regra, as placas de bruxismo são produzidas a partir do acrílico, o que as tornam um dispositivo móvel e rígido. Entretanto, existem no mercado as placas macias que são produzidas com silicone.

Via de regras, as placas de acrílico são mais indicadas, já que o silicone pode ser facilmente perfurado em razão da força empregada no apertamento ou ranger dos dentes.

Além disso, o uso da placa pode ser apenas noturno, mas em alguns casos a recomendação é de uso diurno. A indicação vai depender da necessidade de cada paciente e das características do seu bruxismo, como já mencionamos, há dois tipos, um noturno e o outro diurno.

Com o uso da placa o paciente evita o contato entre os dentes, dessa maneira eles não sofrem atrito e não sofrem desgastam. Mas não apenas isso, a placa também tem a função de inibir movimentações involuntárias o que contribui para evitar os sintomas do dia seguinte.

Como você pode ver, o bruxismo é um problema muito comum e que pode trazer consequências graves para o paciente. De difícil diagnóstico, a orientação é que o paciente observe os movimentos durante o dia e peça para um familiar fazer o mesmo quando ele está dormindo.

Se não tratado, o bruxismo pode vir a causar problemas como a disfunção temporomandibular, já mencionada, entre outros.

Ou seja, um bruxismo que não é controlado pode causar danos tão graves que podem fazer com que o paciente necessite de uma intervenção cirúrgica.

Por isso, o cuidado com a sua saúde e realização de visitas frequentes ao dentista podem contribuir para uma boca mais saudável e maior qualidade de vida. Agende consultas regulares com o dentista, informe qualquer alteração na sua rotina que possa afetar sua saúde bucal e mantenha um controle rigoroso da sua higiene.

E se você suspeita de bruxismo, aproveite para agendar uma avaliação na Odontoclinic. Contamos com dentistas que prezam pela excelência e que, certamente, irão auxiliar no diagnóstico e tratamento desse problema.

Gostou deste artigo sobre bruxismo? Então, aproveite para assinar a nossa newsletter e fique por dentro de dicas e conteúdos exclusivos envolvendo o cuidado com a saúde bucal.

Posts relacionados

Deixe um comentário