Entenda o que é o aparelho autoligado e por que é uma evolução!

9 minutos para ler
agendamento

O aparelho autoligado é uma opção mais moderna de tratamento odontológico, que une funcionalidade e estética.

A tecnologia é uma grande aliada dos mais variados tratamentos ortodônticos. Um desses progressos é o aparelho ortodôntico autoligado, um modelo muito parecido com o tradicional, mas com algumas vantagens — oferecidas pelo uso de novos recursos, como o fio termoativado.

Se você quer ter um sorriso bonito e valoriza um tratamento menos doloroso, essa é uma das melhores alternativas! Como há casos em que o aparelho invisível não é uma opção para o paciente, o aparelho autoligado consegue ser uma solução eficiente.

O que acha, então, de descobrir o que é o aparelho autoligado, quais são as suas diferenças em relação ao modelo fixo tradicional e quando o seu desse dispositivo é indicado? Neste artigo, tiramos todas as dúvidas sobre o assunto, para você entender qual é a melhor opção para o seu caso. Confira!

O que é o aparelho autoligado?

O aparelho autoligado é uma versão parecida com o aparelho fixo tradicional, mas que não conta com as borrachinhas. Ele usa recursos mais inovadores nos bráquetes e no fio que liga todas as peças. Tudo isso proporciona um processo mais rápido e eficiente.

Mas afinal, por que não ter as borrachas é um ponto positivo, além da questão estética? Sem esse material, o contato entre fio e bráquete é mais suave, o que não exige o uso de muita intensidade sobre os dentes. Dessa forma, o paciente terá resultados mais rápidos, além de sentir menos desconforto a cada troca de fio na clínica.

Outro recurso torna esse tipo de aparelho ainda mais eficiente: o fio termoativado. Trata-se de um acessório inovador, que reduz a necessidade de manutenções frequentes, além de acelerar os resultados, como já mencionamos.

Quando o uso do aparelho autoligado é indicado?

As indicações do aparelho autoligado são as mesmas que o fixo convencional, ou seja, há uma infinidade de possibilidades, como:

  • correção de mordida (oclusão);
  • apinhamento (quando há falta de espaço na arcada para a acomodação dos dentes);
  • dentes tortos;
  • recuperação de espaços quando se perde um dente;
  • diastema (espaçamento entre dentes).

Vale dizer que também dá para optar pela versão estética do aparelho autoligado que, tal qual no aparelho convencional estético, tem bráquetes confeccionados em material transparente ou da cor do dente. Assim, o aparelho fica superdiscreto na sua boca.

Especialmente quando o tratamento envolve adultos que optam pelo uso de aparelho fixo, as borrachas — coloridas, cinzas ou transparentes — podem causar certo incômodo. Mesmo sem utilizar as cores mais chamativas, a aparência é de mais destaque no sorriso.

No caso do aparelho autoligado, o sistema é diferente, pois o próprio bráquete se liga ao fio, dispensando a necessidade de borrachinha. Isso previne alguns problemas estéticos ligados às borrachinhas, como o escurecimento decorrente dos pigmentos dos alimentos. No caso do aparelho autoligado estético, o material transparente ou da cor do dente é mais discreto.

Para se decidir ou não pelo aparelho autoligado, o ideal é que você tenha bastante abertura com seu ortodontista. Juntos, vocês definem qual é a melhor opção. Também ajuda muito fazer o tratamento em uma clínica odontológica — desse jeito, há mais alternativas.

Qual é a diferença do aparelho autoligado para o convencional?

Para saber quais são as principais características desse tipo de ortodontia, confira as informações que listamos a seguir.

Mais agilidade no tratamento

A grande diferença entre o aparelho autoligado e o modelo tradicional é a velocidade do tratamento. Sem representar um aumento da força utilizada no fio, a estrutura consegue realizar um movimento mais intenso nos dentes.

Causando menos desconforto por ter menos atrito entre fio e bráquetes, todo o processo é acelerado, gerando resultados em um prazo menor do que a versão tradicional do aparelho fixo.

De acordo com Tamara Vilela, ortodontista e franqueada Odontoclinic, uma das razões para a agilidade no tratamento é o fio termoativado.

“A principal mudança do aparelho autoligado é a ausência das borrachas, mas é muito mais do que isso. Ele segue com o bráquete com a portinha de metal, mas o fio desliza e traz uma rapidez maior. O fio também mudou: ele é termoativado, que expande e contrai de acordo com a temperatura. Como ele é mais eficiente, usamos menos fios. Isso reduz o tempo: se precisamos de 3 ou 4 anos com o tradicional, o autoligado tem duração de 2 anos ou um 1 e meio”. 

Claro que isso pode variar entre os casos, ok?

Menor número de manutenções

Outra diferença considerável entre os modelos está na frequência das idas à clínica. Como é a manutenção do aparelho autoligado? Por conta da liberdade que a tecnologia proporciona ao fio com a retirada das borrachas, o atendimento não precisa acontecer mensalmente.

Para Tamara, isso é uma forma de flexibilizar o tratamento. “O aparelho fixo tem uma manutenção mensal, enquanto o autoligado flexibiliza as manutenções, aumentando o prazo de ida à clínica para até 45 dias, sempre de acordo com o fio que é trocado ao longo do tratamento”.

Preço

Por ser considerado um dos aparelhos mais modernos disponíveis no mercado, é natural que o valor desembolsado para o tratamento seja um pouco maior do que ao usar o aparelho fixo. O aparelho autoligado, no entanto, é mais em conta que a opção do alinhador transparente.

Tamanho dos bráquetes 

Os bráquetes são parte fundamental dos tratamentos odontológicos. Eles são facilmente identificados quando olhamos para um aparelho, correspondendo às “pedrinhas” que ficam posicionadas sobre os dentes. 

No caso do aparelho autoligado, temos bráquetes menores, o que é uma boa alternativa para quem se incomoda com o tamanho deles nos aparelhos convencionais. É um plus para a sua estética!

Quais são as vantagens do aparelho autoligado? 

Agora, chegou a hora de conhecer as vantagens de investir em um aparelho autoligado para o seu tratamento odontológico. Confira!

Provoca menos dor 

Por conta de sua tecnologia, o aparelho autoligado costuma trazer uma sensação reduzida de dor para o paciente que está passando por esse tratamento. Isso acontece graças à aplicação mais suave de forças para a movimentação dos dentes.

Vale lembrar que isso não invalida o aparelho tradicional. Apesar de trazer um desconforto maior, ele é manejável e costuma estar mais presente apenas após a primeira colocação e algumas manutenções.

É mais discreto 

Os bráquetes menores fazem com que o aparelho autoligado seja uma alternativa muito mais discreta, sendo indicado para quem não se sente bem com opções muito chamativas ou simplesmente não pode (por razões de trabalho, por exemplo) tê-las em sua boca.

Você se encaixa nesses grupos? Se sim, converse com o dentista responsável pela sua avaliação e veja se essa é ou não uma opção viável para o seu tratamento.

Permite uma higienização mais eficaz 

O aparelho autoligado não usa os elásticos tão comuns no aparelho tradicional. Isso faz com que a higienização seja muito mais simples, minimizando, também, o risco de acúmulo de bactérias.

Isso não quer dizer que é possível descuidar da limpeza bucal, hein? Os cuidados permanecem os mesmos, e é fundamental seguir todas as orientações do seu dentista.

aparelho autoligado

Não acumula muita comida 

Por conta do fato mencionado anteriormente, esse aparelho também faz com que menos comida se acumule no aparelho e, é claro, nos dentes.

Esse é um grande benefício quando o assunto é a prevenção do tártaro e outros problemas, como as cáries e a gengivite

Os tratamentos são mais rápidos

Em boa parte dos casos, o tratamento feito com o aparelho autoligado é muito mais rápido do que o observado em alguns outros tipos de aparelho. A sua movimentação é mais fluida e traz ótimos resultados.

Outra vantagem é a necessidade reduzida de manutenções, mas fique de olho: apenas o seu dentista poderá passar uma estimativa de quanto tempo o seu tratamento vai durar — e, mesmo assim, esse período está sujeito a alterações.

Vale lembrar que a escolha do aparelho perfeito vem de uma parceria entre paciente e profissionais da Odontologia. É importante relatar quais são as preferências e decidir, juntamente ao seu dentista, a alternativa mais viável para a sua situação.

Onde colocar o meu aparelho autoligado?

Não há uma regra, mas a dica é sempre buscar clínicas que tenham diferenciais e reconhecimento no mercado, com boas opiniões de pessoas que já fizeram tratamento por ali.

O fato é que, quando você opta por clínicas com boa presença no mercado — como a Odontoclinic —, consegue formas facilitadas de pagamento, não importa qual modelo de aparelho seja escolhido por você e pelo dentista!

O aparelho autoligado é uma evolução significativa em relação ao modelo fixo tradicional. Sem comprometer a qualidade do tratamento, você pode ter ainda mais eficiência e conforto. É importante contar com o suporte de profissionais competentes, como os da Odontoclinic, que trabalham com o que há de mais novo no mercado.

Agora que você conhece tudo sobre o aparelho autoligado, que tal entender quais são os tratamentos ortodônticos mais indicados para pessoas adultas? Nessa fase da vida, há uma preocupação com a estética, mas a funcionalidade das arcadas dentárias também é favorecida com o procedimento. Saiba mais sobre o uso de aparelhos na vida adulta e veja se eles se aplicam ao seu caso!

Aparelho na vida adulta: o guia completo e as principais dúvidas
Posts relacionados

Deixe um comentário