Extração de dente: entenda quando é realmente necessária

11 minutos para ler

Tirar um dente não é tão complicado quanto parece. Escolher um bom dentista e fazer uma boa limpeza após extração de dente garante um tratamento tranquilo

A extração do dente ou exodontia é um dos processos cirúrgicos mais antigos da história da humanidade. Mas, mesmo com técnicas e tecnologias avançadas, ela ainda impõe medo em muita gente, em partes pelas incertezas e inseguranças com o procedimento e na hora de fazer a limpeza após extração de dente.

O melhor jeito de perder o medo é buscar informação no lugar certo, para entender o tratamento e reduzir a ansiedade. Também é muito importante é procurar a equipe certa, pois assim você tem mais liberdade para tirar dúvidas e se sente confiante. Isso sem falar que com profissionais experientes a exodontia é muito mais simples (e menos dolorosa) do que parece.

Para “descomplicar” essa questão, preparamos este artigo algumas informações valiosas para você entender por que é preciso fazer a extração de dentes, como o procedimento é realizado e de que maneira cuidar da saúde da boca depois, para que a recuperação seja mais tranquila e livre de complicações. Acompanhe!

[e-Book] O Guia Completo do Aparelho Ortodôntico

Por que alguns dentes devem ser removidos?

Uma série de problemas dentários pode levar à necessidade de fazer a extração do dente. A seguir, listamos alguns dos motivos mais comuns para a realização da exodontia.

Dentes do siso

Os “dentes do juízo”, ou terceiros molares, são os últimos a nascerem, condicionados a fatores como a genética. A extração é recomendada quando:

  • o siso não nasce por estar mal posicionado na arcada dentária;
  • ele não tem uma posição correta;
  • não há espaço suficiente na boca.

Além disso, quando o dente nasce apenas parcialmente, restos de alimentos podem ficar presos na gengiva e nas cavidades dos dentes, dificultando a higienização e causando infecções graves.

Infecções, cáries, inflamações e periodontite

Cáries profundas ou infecções podem comprometer ossos, dentes e ligamentos. Se elas não forem tratadas com agilidade e da maneira correta, podem abrir espaço para contaminações e necrose do nervo. Nessas situações, a extração do dente é necessária.

As inflamações na gengiva, conhecidas como gengivites, comprometem da mesma forma as fibras e os ligamentos periodontais. Se não receberem o tratamento adequado, podem evoluir para uma periodontite, causando mobilidade (“dentes moles”), queda de dentes, formação de pus e, em casos extremos, endocardite bacteriana, que atinge o coração.

A extração é recomendada quando o problema já não pode ser controlado com medicamentos. Com uma remoção feita em tempo hábil, o paciente consegue manter a qualidade óssea para, no futuro, colocar prótese ou implante.

Traumas

Acidentes e outros fatores que impliquem na quebra ou remoção de dentes podem acontecer a qualquer momento e devem ser verificados de forma rápida.

Quando o dente cai por inteiro (casos conhecidos como “avulsão”), é possível reimplantar o dente no local, desde que ele seja armazenado com a devida higiene e agilidade. Esse cuidado é ainda mais importante para crianças, que não podem fazer implantes dentários.

Diabetes

Os pacientes que não recebem o tratamento correto de diabetes podem sofrer mais problemas na cavidade oral, o que pode provocar infecções. Nesses casos, dependendo da fragilidade do osso, o profissional responsável pode ter de optar pela remoção. É importante alertar que uma boa parte dos casos de extração de dente poderia ser evitada com a correta higienização.

Ortodontia

Em tratamentos ortodônticos, para proporcionar melhores funções fonéticas, mastigatórias e estéticas, pode ser indicada a extração. Esse procedimento é recomendado quando o paciente não tem espaço suficiente na boca, impossibilitando o encaixe dos dentes.

Felizmente, a odontologia passou por grandes avanços tecnológicos que permitem aos dentistas agir de maneira ágil, evitando a necessidade de remoção. Mesmo quando a extração é necessária, as técnicas avançadas e anestesias já contribuem para reduzir bastante o desconforto.

Como ocorre uma extração de dente?

Cada extração exige um cuidado específico. Além de ter atenção para que o procedimento traga bons resultados, o cirurgião-dentista precisa aplicar uma anestesia local para evitar dores e reduzir a ansiedade do paciente.

Na Odontoclinic, por exemplo, antes de extrair um dente, o dentista faz uma revisão do prontuário. A partir disso, ele providencia as radiografias necessárias, de modo que o tamanho, o formato e a posição do dente e do osso possam ser examinados com atenção. O grau de dificuldade e a melhor forma de remoção serão avaliados com base nessas informações.

Antes da extração, toda a área em volta do dente é anestesiada. Nas nossas clínicas, aplicamos um anestésico local para amortecer a área da boca onde acontecerá a extração. Assim, a remoção do dente se torna um procedimento simples e indolor.

Depois do procedimento, o paciente também recebe algumas instruções sobre cuidados que devem ser adotados para garantir uma boa recuperação. O dentista explica como fazer a limpeza após extração de dente, quais alimentos seria melhor evitar, medicamentos que podem ser usados em caso de dor ou desconforto, entre outros.

Qual é a diferença entre a extração simples e a cirúrgica?

Toda extração dental é um procedimento cirúrgico, no entanto, existem técnicas distintas que são aplicadas de acordo com a necessidade de cada paciente. Assim, conforme as características do quadro clínico, o dentista seleciona o método que melhor atende aquela situação. Essas técnicas são:

  • exo incluso, semi-incluso ou impactado: esse procedimento é indicado quando o dente não consegue nascer, de forma que ele não atinge a posição na arcada dentária dentro do tempo esperado;
  • exo raiz: esse tipo de procedimento se destina à retirada dos restos de raízes presos à gengiva ou dentro do tecido ósseo;
  • exo simples: a exodontia simples é realizada quando os dentes nasceram sem problemas, mas foram danificados. Também é o termo que se usa para extração dos dentes de leite.

Como explicamos, caso o dente não seja extraído, os demais podem nascer desalinhados. Isso também pode ocasionar a formação de cistos, tumores, infecções e doenças sistêmicas. Por isso, conte com um bom cirurgião-dentista, em quem você possa confiar.

Quais cuidados tomar após uma extração de dente?

A extração, apesar de relativamente simples, é um procedimento cirúrgico. Por isso, é muito importante que o paciente coopere com o próprio tratamento, tomando os cuidados necessários para manter a área limpa e evitar infecções.

Tenha atenção à limpeza

Na hora de fazer a limpeza após extração dos dentes logo nos primeiros dias, evite os bochechos vigorosos. Isso pode romper os pontos, deixando a região vulnerável ao acúmulo de resíduos de alimentos e às bactérias.

Faça uma dieta especial

Especialmente nos primeiros dois dias após a extração, é importante evitar alimentos e bebidas quentes. Esse cuidado diminui o fluxo sanguíneo na região, evitando sangramentos e inchaços. Nesse período, evite também alimentos crocantes e grãos, que podem ficar presos ou machucar a área de extração.

É hora de caprichar nos caldos frios, no açaí e no sorvete, evitando a mastigação. Com boas receitas, dá até para se deliciar!

extração de dente

Use uma compressa de água fria

A temperatura fria ajuda a reduzir os riscos de infecções, assim como diminui o fluxo sanguíneo e os inchaços. Nas primeiras 24 horas após o procedimento, coloque a bolsa de gelo na face por períodos de 15 minutos.

Evite álcool e cigarro

O álcool e o cigarro trazem grandes prejuízos à cicatrização da área operada. Eles prejudicam a microcirculação do local e comprometem a oxigenação e nutrição dos tecidos, aumentando a suscetibilidade para inflamações. Por isso, reduza o máximo possível o consumo desses produtos.

Fique de repouso

Como qualquer procedimento cirúrgico, a extração exige repouso. A área ficará sensível por alguns dias e, para facilitar a cicatrização, é importante que você movimente pouco a boca e não cometa abusos. Lembramos que, logo após a cirurgia, é importante manter a cabeça erguida para evitar um sangramento alveolar.

Como limpar a região que o dente foi removido?

A gente entende que depois de um procedimento como esse não dá nem vontade de chegar perto do local que foi operado, não é verdade? No entanto, é muito importante ter bastante atenção com a limpeza após extração de dente, porque o acúmulo de resíduos é a principal causa de inflamações e infecções após essa cirurgia.

A boca precisa ser mantida muito limpa para eliminar todos os resíduos de comida, pois são eles que servem de alimento para as bactérias que poderiam causar as complicações pós-operatórias.

Os dentes que não sofreram nenhuma intervenção podem ser higienizados usando a escova de costume e o creme dental do dia a dia. A quantidade de creme pode ser reduzida para evitar o excesso de espuma e a necessidade de muitos bochechos. O fio dental também deve ser utilizado.

A atenção maior com a limpeza após extração de dente é de fato no local que foi operado. Não é recomendado passar a escova ali porque os tecidos estão em processo de cicatrização. As cerdas, mesmo que muito macias, podem causar novas lesões, soltar os pontos, assim como provocar dor, desconforto e sangramentos.

Cada paciente pode receber uma instrução específica sobre a melhor forma de fazer a limpeza após extração de dente no seu caso, porém, algumas recomendações costumam ser recorrentes.

Pode ser utilizada, por exemplo, uma haste flexível (cotonete) umedecida com enxaguante bucal sem álcool para retirar resíduos e controlar a proliferação de bactérias. A finalização da higiene com o enxaguante também pode ser indicada pelo especialista. O ideal é deixar que o líquido percorra a boca sem fazer os bochechos para que a limpeza aconteça de uma forma mais delicada.

Mesmo assim, converse com o cirurgião-dentista porque ele pode indicar algum produto específico, como um enxaguante terapêutico, água oxigenada e cremes dentais especiais. Tudo vai depender da necessidade de cada um. O mais importante é não realizar métodos por conta própria e, em caso de dúvidas, sempre conversar com o dentista.

Qual a importância de higienizar o lugar da cirurgia adequadamente?

Deixar de fazer a limpeza após extração de dente não é uma alternativa. A higienização deve acontecer porque ela é primordial para evitar a proliferação de bactérias. Mesmo ingerindo alimentos líquidos ou pastosos, os resíduos vão se acumular na boca inclusive na região que foi operada.

Ainda que você não veja, a placa bacteriana começa a se formar, e os micro-organismos, durante o seu processo de alimentação, liberam substâncias nocivas para os dentes, em especial para os tecidos que estão se recuperando.

Se essas bactérias não forem controladas, o organismo vai reagir com sintomas inflamatórios, que são a vermelhidão, o inchaço, o sangramento e a dor. Esse quadro pode evoluir para infecções, condição mais grave com risco de invadir tecidos mais profundos, alcançando aqueles que sustentam a dentição.

Se isso acontecer há até mesmo o risco de prejudicar os dentes saudáveis. Portanto, a limpeza após extração de dente deve ser muito bem realizada para garantir uma recuperação mais rápida.

Vale lembrar que o excesso também faz mal. A higienização deve ser feita conforme a instrução do dentista também para que o próprio processo de limpeza não prejudique a cicatrização, causando lesões. É preciso que haja um equilíbrio, sem negligenciar nem exagerar.

Viu só como esse tratamento não é tão complicado quanto parece? Realizando o procedimento com um dentista de confiança e seguindo todas as recomendações dele de cuidados e de limpeza após a extração de dente, a cicatrização vai acontecer de forma tranquila. Logo, logo você terá um sorriso ainda mais bonito!

Na Odontoclinic você conta com os melhores profissionais para fazer esse tratamento com qualidade e tranquilidade. Entre em contato para agendar uma consulta e fazer a sua avaliação.

agendamento
Posts relacionados

Um comentário em “Extração de dente: entenda quando é realmente necessária

Deixe um comentário