Problemas com periodontite? Nossos especialistas explicam tudo sobre a doença!

7 minutos para ler

A saúde da gengiva é fundamental para que os dentes sigam firmes e fortes. Saiba mais!

Ao escovar os dentes, você já notou a sua gengiva sangrando? Ou então ela está inchada e causando um pouco de dor? Atenção aí, porque esses são alguns sinais de que você pode ter gengivite ou, até mesmo, periodontite. Essas doenças são mais comuns do que parecem, por isso, é importante conhecê-las.

Neste artigo, vamos explicar melhor como a gengivite pode evoluir para a periodontite. Confira, também, mais detalhes sobre as suas causas, a prevenção, o tratamento e outros pontos importantes sobre o assunto.

Continue a leitura deste artigo, que contou com a participação do dentista cirurgião geral, Luís Henrique Sessel. Vamos lá?

O que é periodontite?

A periodontite é uma inflamação grave na gengiva, capaz não só de danificar o tecido, mas também de destruir o osso maxilar que fica dentro dele. Sua causa está ligada a uma infecção bacteriana e pode desfazer o osso que sustenta a arcada, levando, inclusive, à perda desse dente.

Portanto, a periodontite ocorre quando a gengivite vai além e começa a destruir mesmo a sustentação dos dentes.

Quais são os primeiros sinais da doença?

O dentista Luís Henrique Sessel explica que é possível saber se há sinais de periodontite por meio de alguns indícios: “os primeiros sinais começam com a gengivite e a sensibilidade da gengiva — o paciente pode reclamar disso. Vai existir certo inchaço, sangramento espontâneo ou durante a higienização, seja com o uso da escova ou do fio dental”.

Mas não para apenas nisso! Vermelhidão e mau hálito também são alertas de que há algum problema na sua saúde bucal. Assim, vale a pena procurar um dentista já nesses primeiros sinais, justamente para evitar sofrer as consequências mais severas, que, como você viu, incluem até a perda dentária.

O que causa a periodontite?

O problema é uma consequência da gengivite, que é uma das doenças da gengiva, causada por acúmulos bacterianos, placa e biofilme envolta dos dentes.

Existem outras condições de saúde que deixam o quadro mais grave. A diabetes, por exemplo, assim como o tabagismo, que consegue acelerar a doença. No entanto, o principal fator continua sendo placa bacteriana e a má higiene bucal.

Outros quadros clínicos também agravam o cenário e a evolução da periodontite acontece de forma mais rápida, como obesidade, histórico familiar, alterações hormonais, consumo excessivo de bebida alcoólica, além do uso de medicamentos que diminuem a produção de saliva.

Ainda, quando o tratamento da gengivite não é feito, o dano no tecido gengival se intensifica e pode separar os dentes, criando os chamados bolsões que levam ao agravamento da placa bacteriana e infecções. Com isso, o osso da dentição começa a sofrer um processo de erosão, fazendo com que ele fique solto.

Quais as consequências de uma periodontite não tratada?

periodontite

Ao não tratar a periodontite, o paciente percebe que a doença vai evoluindo com o tempo, devido ao seu caráter crônico, como conta Luís Henrique Sessel.

“A característica principal da doença é a destruição do osso. Como isso acontece de maneira progressiva, o paciente perde toda a sustentação, o dente vai amolecer e a pessoa pode perdê-lo”, destaca o dentista.

O Guia completo da saúde da gengiva

Outras consequências incluem impactos na saúde em geral. Entre eles, problemas com mastigação e comunicação. Pense só, conforme acontece a perda de sustentação dos dentes, falar determinadas palavras e mastigar alimentos mais duros se tornam atitudes mais difíceis, certo?

Uma vez que os dentes onde existe a periodontite ficam mais soltos, partículas de comida podem ficar retidas entre eles, causando incômodos e favorecendo doenças como cáries e abscesso dentário.

Como é o tratamento da doença periodontal?

O tratamento varia conforme o grau de evolução da doença. Em casos de periodontite avançada, em que a gengiva já está bastante lesionada, há a necessidade de intervenção cirúrgica. Isso inclui procedimentos como enxerto de gengiva e ósseo, por exemplo.

Quando a descoberta é feita com antecedência, existem técnicas menos invasivas, como a curetagem, que é uma limpeza profunda dos dentes para remover o excesso de tártaro e placa bacteriana. O uso de antibióticos, que controlam o crescimento de bactérias na boca, é outra possibilidade que o dentista pode indicar.

Como podemos evitar o problema?

Algumas atitudes influenciam — e muito! — na sua saúde bucal. Nesse sentido, Luís Henrique Sessel destaca a importância de manter uma higienização correta e fazer visitas periódicas ao dentista, combinado?

Mas existem algumas dicas mais específicas para você levar para seu dia a dia. Começando pelo uso de pasta de dente com flúor para a limpeza de todos os lados dos dentes: faça a escovação com calma e leveza. Além de passar fio dental em todas as escovações — ele é fundamental para a higienização entre os dentes, o que a escovação tradicional nem sempre dá conta, viu?

Agora, se existe a questão de diabetes, o dentista dá outras dicas: “nesses casos, é preciso se consultar mais com o dentista e fazer o controle de radiografia para checar se existe essa perda óssea para que a gente possa interromper o processo o quanto antes”.

No geral, bons hábitos ajudam demais! “Eu aconselho evitar o tabagismo, porque a nicotina influencia demais, o ato de fumar causa uma série de alterações no ambiente bucal, o que traz uma piora do quadro clínico. O fumante está mais exposto à evolução da periodontite”, aconselha nosso especialista.

Qual é a relação entre a diabetes e periodontite?

A hiperglicemia causada pela diabetes, com o passar do tempo, gera diferentes alterações no organismo, interferindo em diferentes áreas, desde o sistema vascular até às respostas inflamatórias, especialmente na reparação dos tecidos. Então, os diabéticos estão mais vulneráveis às infecções, principalmente na boca.

A boa notícia é que, hoje, já existem estudos que mostram que o tratamento periodontal consegue ajudar na melhora do controle da glicemia em pacientes diabéticos. Por isso, consultar-se com seu dentista é muito importante!

Quem é o profissional que cuida dos casos de periodontite?

O responsável, nesses casos, é o periodontista. Esse profissional da odontologia se dedica a estudar, prevenir e tratar problemas que afetam diretamente os tecidos periodontais, que são aqueles que promovem a sustentação e a fixação dos dentes.

Aliás, ele não trata somente essa doença, mas também faz intervenções contra a gengivite, abscessos, infecções e também a perda do tecido. As visitas frequentes ao especialista ajudam a detectar esses problemas no começo, fazendo o tratamento ser mais eficaz, ok?

Clínicas como a Odontoclinic têm um papel importante nesse sentido, pois avaliam as necessidades dos pacientes por completo, considerando os melhores tratamentos. Por exemplo, imagine que você chegue para fazer uma restauração. Antes disso, nossos dentistas fazem uma avaliação completa da sua boca e detectam se existe alguma questão relacionada à saúde gengival. Assim, ela já começa a ser tratada e não traz consequências mais sérias. Tranquilizador, não é?

Como falamos, a periodontite é uma doença que acomete muitas pessoas, mas existem meios para preveni-la e evitar a sua evolução. Por isso, procure um profissional capacitado para fazer o check-up da sua saúde bucal com frequência.

Aqui, na Odontoclinic, você tem a possibilidade de tratar esse e outros problemas bucais com qualidade única. Agende sua avaliação agora mesmo!

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário