Nascimento dos sisos e pericoronarite: entenda a relação!

6 minutos para ler
Clínico geral: sempre uma solução ideal pra cuidar de você

Quando os dentes do siso estão nascendo, pode ocorrer a pericoronarite, uma infecção bacteriana que acomete o tecido localizada em cima desse dente

Você já deve ter ouvido falar bastante a respeito da gengivite e até mesmo da periodontite, mas essas não são as únicas doenças que afetam a gengiva e os tecidos ao redor dos dentes. Existe também a pericoronarite. Já conhecia?

Essa infecção bacteriana acomete o capuz pericoronal, ou seja, a porção de tecido que fica sobre os dentes que ainda estão nascendo, como no caso dos dentes de siso. Aliás, esses molares que nascem por último costumam vir acompanhados da pericoronarite, e é por isso que conversamos com uma especialista no assunto para entender melhor essa relação.

Juliana Nogueira Guimaraes Horst, Responsável Técnica, especialista em Dentística e Saúde Bucal Coletiva, Franqueada da Odontoclinic da Unidade de Rio Verde — GO, contribuiu para a criação deste artigo mostrando tudo que você precisa saber sobre pericoronarite. Acompanhe para conferir a relação que ela tem com o nascimento dos dentes de siso.

Quais são os sintomas da pericoronarite?

A pericoronarite é uma infecção bacteriana que atinge a membrana de tecido que fica sobre a coroa do dente quando ele está nascendo, ou seja, afeta o capuz pericoronal. Essa doença costuma ser aguda, aparece de forma súbita e tem um desenvolvimento rápido, sendo bastante comum nos dentes de siso.

Apesar dessa relação intensa entre os terceiros molares e a pericoronarite, essa doença bucal não afeta apenas esses dentes, como Juliana explica: “pode acontecer em qualquer idade, não é uma doença específica do dente siso, já que está relacionada à erupção do elemento dental, tanto de leite (decíduo) quanto permanente”.

Não é difícil identificar um quadro de pericoronarite, já que se localiza sobre o dente que está nascendo. É bastante comum observar um inchaço facial ou na gengiva; ela fica dolorida e pode acontecer um sangramento no local. Segundo a especialista, ocorre mau hálito, dificuldade para abrir a boca, para engolir, e até mesmo febre baixa.

Esses sintomas acontecem nos quadros mais leves de pericoronarite, mas a dentista conta que existem os quadros mais severos. Neles, os sintomas são mais intensos, manifestando febre alta, mal-estar, inchaço intenso e formação de abscesso. Alguns pacientes podem precisar de internação.

Por outro lado, existem algumas medidas que você pode adotar para aliviar os sintomas da pericoronarite. A especialista recomenda, assim que começarem os desconfortos, fazer compressas geladas porque as temperaturas baixas ajudam a interromper os processos inflamatórios.

Ela também sugere os bochechos com água morna e sal. Essa mistura contribui para drenar os fluidos acumulados no local e aliviar a pressão. Para promover o alívio da dor, Juliana sugere o chá de própolis, substância com propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e anti-sépticas.

Segundo ela, é interessante fazer algumas alterações na alimentação por enquanto, até que os dentes terminem de nascer ou os incômodos cessem. Vale evitar bebidas e alimentos muito quentes e optar por pratos mais fáceis de mastigar, como os pastosos.

O que causa a pericoronarite?

Talvez você esteja pensando que não é sempre que um dente nasce que a pericoronarite acontece, e isso é verdade. Ela é uma complicação da erupção dentária, mas a sua causa não é o nascimento do dente.

Segundo Juliana, essa inflamação ocorre quando o dente está parcialmente erupcionado, ou seja, ainda não terminou de sair completamente de dentro da gengiva. Fica “sobrando” um pedaço de tecido sobre ele, que pode ser lesionado enquanto escovamos os dentes ou mesmo mastigamos.

A baixa imunidade é mais uma causadora da pericoronarite. Ela provoca um desequilíbrio entre as bactérias e as defesas do organismo, permitindo que haja uma proliferação exagerada. Outro motivo é o acúmulo de alimentos embaixo do tecido pericoronal. Como ali é difícil de higienizar, esses resíduos favorecem a proliferação das bactérias.

É por isso que a pericoronarite está muito relacionada com o nascimento dos dentes de siso. Eles são os últimos da arcada dentária e ficam localizados bem fundo da boca, o que dificulta bastante o processo de higienização bucal.

O siso também cresce devagar, então, o capuz pericoronal permanece bastante tempo sobre ele, mantendo um pequeno espaço que permite a entrada de resíduos de alimentos e bactérias. Isso aumenta a suscetibilidade para a manifestação dessa infecção devido ao acúmulo de placa bacteriana, causado pela falta de cuidado na escovação ou por essa dificuldade de acesso.

Como esse problema é tratado?

Para tratar a pericoronarite, primeiro é preciso obter um diagnóstico. Como explicamos, os sintomas podem ser observados pela própria pessoa, em especial quando os terceiros molares estão nascendo. Mas é importante lembrar que apenas sentir dor no siso não significa que existe uma infecção. Afinal, o nascimento do dente é um processo incômodo.

Entretanto, se a erupção dentária vier acompanhada dos sintomas que citamos, é ainda mais importante procurar um dentista. Ele fará uma avaliação clínica, examinando o local e considerando os sintomas relatados. Assim, caso necessário, solicitará uma radiografia.

Se confirmado o quadro de pericoronarite, o tratamento será indicado de acordo com a gravidade e a causa. Segundo a especialista, os casos mais leves são tratados com medicação para aliviar a dor e antibióticos. Os antissépticos bucais também são receitados.

Nos casos mais severos, ela conta que primeiro é preciso tratar a infecção e depois recorrer a procedimentos cirúrgicos, como a gengivectomia e a lectomia. Se necessário, o dentista vai extrair os sisos. Nos demais dentes, a especialista conta que a remoção do tecido pericoronal é a medida adotada, mas no caso do siso a extração pode ser a melhor alternativa.

“Às vezes a remoção do excesso de tecido sob o dente do siso resolve temporariamente. Esse tecido tende a recobrir novamente o dente, causando outra pericoronarite. A maioria dos casos de pericoronarite em dentes sisos pode ser prevenida simplesmente com a extração do dente”, relata Juliana.

De toda forma, ela lembra que apenas o dentista, depois de fazer uma avaliação completa, é que poderá estabelecer o melhor plano de tratamento em cada caso. Por isso, se você sentir dor no siso acompanhada de sintomas típicos de pericoronarite, procure quanto antes o dentista para iniciar o melhor tratamento em seu caso.

Na Odontoclinic você encontra a melhor equipe de especialistas para cuidar da sua saúde bucal. Entre em contato para conhecer os tratamentos disponíveis em nossas unidades!

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário