Diastema: entenda como resolver o problema de dentes separados

6 minutos para ler

Existe um espaço entre seus dentes que faz você pensar duas vezes antes de sorrir? Calma! É bem provável que você tenha um diastema. O problema é mais comum do que se pensa, ainda mais em crianças que ainda estão na fase do dente de leite, mas ele tem solução!

Neste artigo, vamos mostrar o que é o diastema, os problemas que ele pode desencadear, suas causas e como fazer o fechamento do diastema. Continue com a gente para entender melhor sobre o assunto e saber a hora certa de ir ao dentista! Vamos lá?

O que é diastema?

O diastema é considerado qualquer espaço existente entre dois dentes. Muita gente o encara como sendo a separação entre os dentes da frente, mas ele também acontece em outras partes da arcada dentária.

A condição afeta tanto adultos quanto crianças — detalhe que quase metade das crianças de 10 a 11 anos apresenta esse espaço entre dentes, sabia? Nessa fase da infância, é mais fácil tratá-lo. Caso ele permaneça na vida adulta, também é possível realinhar os dentes.

O diastema traz consequências?

Saiba que o diastema não é, necessariamente, um problema de saúde bucal, mas pode trazer um incômodo estético, ainda mais quando o espaço é grande. Além disso, esse espaço entre dentes pode causar distúrbios fonéticos — especialmente em crianças —, gerar inflamações na gengiva devido ao acúmulo de alimentos na cavidade e disfunções na mordida.

Vale lembrar que, caso os dentes separados apareçam após os 40 ou 50 anos, é muito importante procurar um dentista logo. Esse quadro pode indicar a presença de complicações gengivais, gerando, até mesmo, um grau de perda óssea mais grave.

Quais são as principais causas dos dentes separados?

É comum se incomodar com esse espaço entre os dentes, mas você sabia que o diastema tem várias causas? Inclusive, eliminar algumas delas pode reduzir bem as chances de ter o problema, ainda mais quando se trata das crianças. Veja só!

Tamanho diferente dos dentes

Se os dentes têm tamanhos diferentes, é bem provável que eles tenham grandes chances de desenvolver um diastema. Ter essa desproporção em dentes pequenos faz com que surja com mais frequência um espaço entre eles. Caso seja o contrário, ou seja, dentes grandes, há o aumento da possibilidade de eles ficarem apinhados.

Freio labial

O tecido que vai do lábio à gengiva e chega até os dentes superiores centrais é chamado de freio labial. O que costuma acontecer é que, em algumas ocasiões, ele cresce tanto que passa entre esses dentes, bloqueando o fechamento natural desse espaço e fazendo com que surja o diastema.

Pressão da língua

Espaços entre os dentes podem ser causados por meio do ato incorreto de engolir. A língua pressiona o palato, que é a parte de cima da boca, quando a pessoa engole alimentos. Isso é o meio mais comum.

No entanto, algumas pessoas têm um reflexo diferente: ao engolir, elas pressionam os dentes frontais e, com o tempo, isso faz com que eles se projetem para frente, além de gerar o espaçamento entre os dentes.

Doenças periodontais

Gengivite e periodontite são doenças bucais que ajudam na perda óssea da arcada dentária. Quando uma pessoa tem essa perda de forma mais acentuada, os dentes tendem a ficar mais fracos e soltos. Com isso, as chances de ocorrer um diastema são maiores.

Sucção do dedo

Crianças que costumam sugar o dedo têm mais chances de desenvolver diastema, viu? Isso porque, ao sugar, ela puxa para frente os dentes, o que origina as falhas e espaços. É muito importante conversar com o pequeno para que ele evite levar os dedos à boca, evitando que esse hábito gere problemas futuros.

Como tratar o diastema?

diastema

Juntar os dentes separados é uma possibilidade por meio de diversas técnicas. A gente conta quais são elas na sequência, acompanhe!

Aparelho

O aparelho ortodôntico é indicado para quem tem um espaço maior entre os dentes, exigindo mais movimentação para realinhar toda a arcada. Esse costuma ser um tratamento mais longo, pois corrige o problema gradualmente, mas, ao mesmo tempo, os resultados são excelentes! Existem três tipos que podem ser utilizados:

  • aparelho fixo: composto por diferentes partes do aparelho ortodôntico, como fios e brequetes. A opção é muito indicado para desalinhamentos e têm um resultado excelente;
  • alinhadores transparentes: são o modelo mais moderno — feito com tecnologia de ponta. São superdiscretos, o que ajuda bastante na questão estética, caso não queira colocar o fixo tradicional. Você pode usá-lo durante todo o tempo e retirar apenas para refeições e higiene bucal.

Resina ou porcelana

Caso o diastema não seja tão grande, há duas opções: resina ou porcelana. Nesse caso, a largura do dente é aumentada, diminuindo o espaço entre eles. Vale destacar que a resina, por exemplo, é um material bastante durável e que imita a estrutura natural do dente. Sem falar que o custo-benefício dela é superinteressante!

Facetas dentárias

As facetas dentárias são feitas de um material resistente e com aparência próxima aos dentes naturais. Cada paciente precisa de peças personalizadas, assim o dentista pode escolher o tipo mais próximo dos seus dentes naturais.

Essa é uma das opções mais indicadas para quem tem dentes pequenos e a mordida correta. O ganho estético é muito grande, pois ela modifica a face visível do dente, além de ser um tratamento relativamente simples.

Cirurgia

Caso o diastema seja causado pelo freio labial, uma das soluções para corrigir o espaço é a cirurgia oral, conhecida como frenectomia. Quando realizada em crianças, o espaço pode se fechar por si próprio. Caso seja feita em adultos, por exemplo, pode ser necessário o uso do aparelho ortodôntico para completar o fechamento.

Os dentes separados podem surgir de novo?

Quando é feito um tratamento por meio dos diferentes tipos de ortodontia, as chances de que o problema volte são muito pequenas. No entanto, nos casos de uso de aparelho, é importante usar uma contenção para manter os dentes no lugar. Agora, caso o tratamento seja feito com resinas, cirurgia ou facetas, é bem difícil voltar, ok?

De qualquer forma, é importante manter suas visitas periódicas ao dentista. Assim, qualquer mudança vai ser notada com rapidez e, logo, a questão pode ser tratada da melhor maneira.

Não se esqueça: o diastema tem solução, sim! Como vimos ao longo do texto, há maneiras tanto de preveni-lo quanto de tratá-lo. O mais adequado é sempre procurar um dentista especializado que o ajudará nesse momento.

A Odontoclinic é especialista nos mais diversos tratamentos ortodônticos e estéticos, com ótimos profissionais. Para saber mais sobre, confira a nossa página de tratamentos!

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário