Fuja do mau hálito: saiba como se livrar da halitose

Ter mau hálito é muito desconfortável e chega a se tornar uma insegurança. A gente já não fala e ri como gostaria, com medo de incomodar as pessoas com o mau cheiro. Mas mau hálito tem tratamento! 

Nesse texto, vamos explicar as principais causas da halitose e como se cuidar para se livrar dela. Quer saber mais? Vem com a gente!

O que é halitose?

Halitose é outro nome para mau hálito. A halitose não é considerada uma doença mas sim uma situação que indica que algo está errado com a sua saúde.

Por isso, é considerada um sintoma comum de muitas doenças. Algumas pessoas não dão a devida atenção, o que acaba contribuindo para o surgimento de outros problemas a longo prazo.

O que causa mau hálito?

As principais causas do mau hálito são: falta de higiene bucal, gengivite, periodontite, cáries, boca seca, tabagismo, consumo de alguns alimentos (como cebola, alho etc.) e condições médicas, como veremos a seguir!

Quais doenças causam mau hálito?

Refluxo gastroesofágico, eructação gástrica, gastrite, sinusite, diabetes, problemas respiratórios, amígdalas inflamadas etc.

No entanto, é importante ressaltar que a maioria dos casos de halitose são, na verdade, originados na língua e dentro da boca, por conta de doenças periodontais, inflamação nas gengivas etc.

Causas do mau hálito

A língua é revestida por papilas. Essas papilas são responsáveis por entregar as informações sobre o sabor dos alimentos para o cérebro. Os restos de alimentos podem se acumular entre as papilas.

Você pode avistar um tom esbranquiçado na língua, é o que chamamos de saburra lingual, um acúmulo de bactérias na língua.

Além disso, ocorre também a descamação de células, tornando o ambiente bucal propício para bactérias. É o enxofre produzido por meio da fermentação dessas bactérias que causa o mau hálito. 

Quais são os tipos de halitose?

A halitose pode ser classificada em três tipos: objetiva, subjetiva e controlada. Entenda o que significa cada um deles!

Halitose objetiva

As características da halitose objetiva são: mau cheiro evidente, facilmente percebida por pessoas do entorno, geralmente o paciente sabe do problema e o diagnóstico pode ser feito por meio de testes realizados por um profissional da área de saúde.

Halitose controlada

O paciente com esse tipo de halitose tende a controlar o mau hálito com balas e chicletes. Veja que trata-se de uma forma de mascarar um problema.

A halitose controlada apresenta muitas consequências, como inseguranças e alterações no comportamento do paciente, que não se sente confiante ao falar, rir etc.

Halitose subjetiva

Esse tipo de halitose é um pouco diferente. Nela, o paciente acredita ter mau hálito, apresenta diversas consequências, entretanto, não existem sinais evidentes do problema.

Nesse tipo de quadro, é comum que a halitose não exista ou esteja controlada, razão pela qual o suporte de um psicólogo pode ser o tratamento mais adequado.

Como tratar halitose?

Vá ao dentista. Esse profissional é habilitado para avaliar sua saúde bucal, inclusive em casos de mau hálito. 

Ao investigar as causas a partir dos seus relatos e da avaliação técnica, o dentista pode indicar o tratamento específico para acabar com o mau hálito e encaminhar para outros profissionais quando for necessário. 

Capriche na higiene bucal

Você deve escovar os dentes após as refeições (depois de 30 minutos), usar o fio dental para uma limpeza mais completa e enxaguantes bucais sem álcool.

Além disso, limpe a sua língua, escovando ou usando o raspador. 

A manutenção da saúde bucal é o primeiro passo para deixar o mau hálito bem longe.

Cuidado com a boca seca

A boca seca, também conhecida como xerostomia, pode provocar o mau hálito em razão da descamação que ocorre nas células da língua.

A doença ocorre quando há redução na produção da saliva. Além do mau hálito, ela pode causar dificuldade para engolir, falar e dores de garganta.

Diversas doenças e hábitos estão associados à boca seca, por isso, quem sofre com o problema deve buscar o suporte de profissionais da área de saúde que podem fazer o diagnóstico e direcionar o paciente para o tratamento mais adequado.

Mude a sua alimentação

A alimentação também é importante no combate ao mau hálito. Medidas como evitar o excesso de alimentos condimentados, em conserva (pois aumentam a acidez na boca) e café, certamente contribuem para o controle da halitose.

Além disso, alimentos como alho, cebola e mariscos são verdadeiros vilões do hálito. Se você gosta de consumir esses alimentos a dica é: após o consumo, invista em uma boa higiene bucal.

Alimentos bons para mau hálito

O consumo de frutas como a maçã, laranja e de suco de limão; de legumes como o pepino e a cenoura; e de outros como o hortelã e o gengibre, são ótimas escolhas para quem deseja fugir do mau hálito.

Evite também longos períodos de jejum, já que eles também favorecem o mau hálito, e não deixe de se manter hidratado, bebendo água com frequência.   

Cuide da sua saúde gastrointestinal

Em alguns casos, o mau hálito tem origem em problemas gastrointestinais, como o refluxo, por exemplo, doença na qual o ácido do estômago retorna ao esôfago e em direção à boca.

Então, se você suspeita de algum transtorno dessa ordem, procure um gastroenterologista.

Tem remédio para mau hálito?

Sim. Champex, Champorus, extratos de semente de salsa etc. Medicamentos que aumentam o fluxo salivar também podem ser recomendados, bem como enxaguantes bucais oxidantes.

Atenção! Não use nenhum medicamento sem a indicação do dentista e/ou médico que acompanha seu caso. 

O que é bom para mau hálito?

Beba água. Essa dica parece óbvia, mas muita gente esquece de tomar água durante o dia. Você também pode usar receitas caseiras para acabar com o mau hálito:

  • folhas de salsa;
  • enxaguante de erva-cidreira, alecrim e tomilho
  • extrato de própolis;
  • óleo essencial de hortelã;
  • chá verde;
  • infusão de eucalipto;
  • chá de boldo;
  • chá de cravo-da-índia;
  • suco de limão etc.

Essas indicações não servem para tratar o mau hálito, mas podem ajudar a reduzir o odor temporariamente. Veja a seguir como usar cada uma delas!

Folhas de salsa

Mastigue algumas folhas de salsinha, principalmente após as refeições. Caso você não goste de comer as folhas, ferva e tome o chá. 

Enxaguante de ervas

Alecrim, erva-cidreira e tomilho podem ser consumidos em forma de óleo essencial. Coloque de duas a três gotas de cada em um copo de água. Faça bochecho por um minuto após escovar os dentes.

Aqui há um ponto de atenção: esse enxaguante não é algo para usar todos os dias para sempre. Faça uso durante três meses, no máximo. 

Extrato de própolis

O extrato de própolis é antibacteriano. Dissolva vinte gotas em um copo de água e faça gargarejos após escovar os dentes, cuspindo a mistura na sequência.

Óleo essencial de hortelã

O óleo essencial de hortelã-pimenta tem bastante mentol, ajudando a manter o hálito fresco. Dissolva três gotas num copo de água, fazendo o gargarejo e cuspindo na sequência, como na dica acima. 

Chá verde

O chá verde consegue desodorizar sua boca, pois a sua composição evita a produção de substâncias com enxofre. Use duas xícaras de água fervente para preparar o chá com duas colheres de folha.

Chá de boldo

O chá de boldo tem boa fama quando o assunto é aliviar problemas estomacais. Então, se você tem problemas relacionados à má digestão, consuma o chá logo após as refeições.

Chá de cravo-da-índia

O chá de cravo-da-índia também é refrescante e tem propriedades antibacterianas. Use cerca de dez cravinhos para uma xícara de água. 

Suco de limão

O limão tem propriedades para eliminar bactérias na boca e regular o intestino. Você pode consumir suco de limão, sem açúcar, nas suas refeições.

Como saber se tenho halitose?

Um jeito simples de sentir o mau hálito é cobrir a boca e o nariz com as mãos e exalar. A outra forma é perguntando às pessoas próximas. É importante não assumir que vão alertar você sobre o mau hálito, pois geralmente as pessoas acham indelicado comentar.

Se você sofre com esse problema, não perca mais tempo: agende uma avaliação gratuita com o dentista na Odontoclinic

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agende sua avaliação

Materiais Grátis

Posts relacionados

Inscreva-se para receber novidades

O que você procura?
Últimas publicações
Hiperdontia, dentes supranumerários ou dentes extranumerários: saiba mais sobre quando nascem dentes extras na boca!
Manchas nos dentes pode ser hipoplasia de esmalte. Saiba mais sobre essa condição e aprenda o que fazer para prevenir!
Ter lábios leporinos não é incomum. O tratamento envolve uma equipe multidisciplinas, incluindo o ortodontista. Saiba mais!