Saiba quantos dentes temos na boca em cada fase de desenvolvimento

6 minutos para ler
Clínico geral: sempre uma solução ideal pra cuidar de você

Quer saber quantos dentes temos na boca? A resposta é diferente no caso de crianças e adultos. Entenda o porquê.

Você já parou para pensar quantos dentes temos na boca? A quantidade varia no decorrer da vida, já que os primeiros dentes de leite aparecem por volta dos 6 meses de idade. Já os últimos, chamados dentes do siso, só surgem por volta dos 18 anos.

Nesse contexto, continue conosco para entender melhor sobre a formação dentária. Veja também como ter uma boa higiene bucal para manter os seus dentes fortes e saudáveis até a terceira idade.

Quantos dentes temos na boca em cada fase da vida?

Para saber quantos dentes temos na boca é preciso considerar cada fase da vida. Enquanto na infância a arcada dentária apresenta 20 dentes, na vida adulta a quantidade aumenta para 32 dentes. Na terceira idade, espera-se manter essa mesma quantidade.

Neste tópico, vamos conferir como acontece a formação dentária desde os primeiros dentes de leite até os permanentes.

Infância

Na infância, a criança tem 20 dentes de leite (dentes decíduos ou primários), sendo 10 superiores e 10 inferiores. Até os 12 anos de idade surgem também os pré-molares e segundos molares, totalizando 28 dentes.

A erupção dentária tem início por volta dos 6 meses de vida, sendo os incisivos inferiores os primeiros dentinhos que costumam romper. Em seguida, surgem os incisivos superiores e o restante do conjunto, formado pelos incisivos laterais, caninos e molares (tanto superiores quanto inferiores).

Até os 3 anos de idade, a criança terá todos os 20 dentes de leite. Por volta dos 6 anos, surgem os pré-molares, 2 superiores e 2 inferiores. Também é nessa fase que os dentes de leite começam a cair, dando lugar aos permanentes. Aos 12 anos surgem os segundos molares, totalizando 28 dentes na infância.

Vida adulta

Com cerca de 18 anos nascem os 4 últimos dentes molares (mais conhecidos como dentes do siso), completando a dentição em definitivo. Assim, a pessoa passa a ter 32 dentes na vida adulta.

Embora os dentes do siso costumem surgir aos 18 anos, eles também podem aparecer entre a período de 16 até os 21 anos de idade. Porém, há casos em que esses terceiros molares não se rompam ou sequer existam, o que faz com que nem todos os adultos tenham os dentes de siso.

Por outro lado, se esse dente não se desenvolver de forma correta ou não encontrar espaço na arcada, pode infeccionar, sendo então necessária a remoção pelo dentista.

Terceira idade

Espera-se que, ao chegar à terceira idade, o idoso ainda apresente todos os dentes em sua mandíbula, já que os permanentes foram feitos para durar a vida toda. Ou seja, o ideal é a presença de 28 (no caso do não surgimento dos dentes do siso) a 32 dentes.

Para isso ser possível é fundamental manter os cuidados com os dentes a fim de evitar sua perda. A falta de tratamento, prevenção e de uma rotina de higiene bocal durante a vida adulta são as principais causas para o surgimento de problemas que resultem na perda dentária na terceira idade.

Como conservar os dentes até a terceira idade?

A falta de uma dentição completa na terceira idade traz uma série de problemas para a saúde e autoestima. Além da perda da capacidade de mastigação dos alimentos prejudicar a digestão, a vida social pode ser impactada devido ao constrangimento causado pela falta do dente.

Por esse motivo, não basta apenas saber quantos dentes temos. É fundamental conservá-los, mantendo a saúde bucal em dia para evitar que problemas causados por perda dentária se manifestem. Nesse sentido, confira algumas dicas importantes a seguir.

Escove os dentes todos os dias

Escovar os dentes, pelo menos, três vezes ao dia usando creme dental com flúor é fundamental para a remoção dos restos de alimentos que ficam presos durante a mastigação. Caso contrário, esses resíduos vão favorecer a proliferação de bactérias, resultando no aparecimento de cáries.

Além de prevenir a dor de dente e a perda de dentes com o passar dos anos, a escovação completa ajuda a evitar problemas na gengiva e a remover a placa bacteriana, que também pode causar mau hálito.

Passe o fio dental

Muitas pessoas só usam o fio dental de vez em quando. Porém, é importante utilizá-lo todos os dias para fazer a limpeza entre os dentes, já que nenhuma escova é capaz de fazer o seu trabalho. O fio dental ajuda a prevenir a placa bacteriana que se desenvolve sob a gengiva, evitando que ela endureça e se transforme em tártaro.

Evite o consumo exagerado de doces

A perda dentária está relacionada a complicações na gengiva e cáries. O hábito de consumir açúcar é uma das principais razões para que esses problemas aparecem, sendo importante diminuir a ingestão exagerada de doces, principalmente aqueles pegajosos que são mais difíceis de remover na escovação.

O açúcar faz com que os ácidos produzidos pela placa bacteriana prejudiquem o esmalte do dente. Por esse motivo, evite comer doces ou beber refrigerante entre as principais refeições, substituindo por água, leite, chá, iogurte natural ou frutas.

Elimine hábitos nocivos

Alguns hábitos são considerados nocivos para dentes e gengivas. Palitar os dentes, por exemplo, pode danificar e infeccionar a gengiva, sendo por isso preferível o uso do fio dental. Já o tabagismo provoca desde boca seca e mau hálito até cáries, além de aumentar os riscos de câncer de boca.

Outro hábito prejudicial consiste em abrir pacotes ou outras embalagens com os dentes. Isso pode tanto provocar uma lesão na sua mandíbula quanto levar a quebrar um dente.

quantos dentes temos na boca

Visite o dentista regularmente

Além dos cuidados na hora da escovação e manter hábitos mais saudáveis para a saúde bucal, você também deve consultar o dentista com regularidade. Procurar o profissional apenas ao sentir alguma dor ou desconforto não é o indicado, pois é importante sempre fazer um exame profissional detalhado ou uma limpeza.

Além das consultas regulares, é fundamental ir ao seu dentista de confiança nos casos de qualquer sintoma incomum, como no caso de sangramentos, infecções, inflamações ou úlceras.

Neste artigo, você conferiu quantos dentes temos na boca no decorrer da vida e a importância de manter uma boa higiene para preservá-los até a terceira idade. Afinal, todos eles são essenciais na mastigação, para engolir e até para falar, além de dentes bem cuidados serem sinônimo de saúde e autoestima.

Gostou de aprender sobre quantos dentes temos na boca e todos esses cuidados? Certamente, eles vão ser úteis para muitas outras pessoas. Compartilhe este artigo e propague a prevenção!

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário