Tire as suas principais dúvidas sobre enxerto ósseo

7 minutos para ler

Cada vez mais a tecnologia está presente na odontologia, possibilitando grandes avanços nos tratamentos e procedimentos. Uma evolução que merece destaque é a cirurgia de enxerto ósseo, que viabiliza principalmente a realização de um implante dentário.

Por meio dessa cirurgia é possível repor o osso do paciente em casos de perda óssea devido a um tempo prolongado de ausência do elemento dentário, por exemplo. Assim, cria-se uma base de boa qualidade para a fixação do implante.

Esse procedimento pode ajudar muitas pessoas em sua reabilitação oral, e foi por isso que nós preparamos este artigo. Nele, explicaremos com mais detalhes sobre esse procedimento para você ficar por dentro de tudo. Continue com a leitura!

O que é o enxerto ósseo?

Existem muitos mitos e verdades sobre implante dentário que geram inseguranças e incertezas para quem precisa repor um dente perdido. Um assunto que ainda gera bastante dúvidas é a respeito da possibilidade ou não de realizar esse tratamento.

É verdade que existem casos em que o implante não é o procedimento mais indicado. Porém, também existem pacientes que não apresentam boas condições iniciais para realização do tratamento, mas que podem realizar intervenções pré-implante para viabilizar sua colocação.

O enxerto ósseo é um desses procedimentos, que prepara a base óssea para fixação do pino. Esse procedimento repõe o tecido ósseo, como se fosse uma reconstrução ou uma restauração de possíveis defeitos que existam nessa base.

As intervenções são feitas no osso alveolar, aquele no qual a raiz dentária se mantém fixa. Para que seja posicionado o implante, é necessário que esse osso tenha uma boa quantidade, altura e qualidade. Quando isso não acontece, é feito o enxerto para que ele tenha as características ideais.

Como funciona o procedimento?

O enxerto ósseo é uma pequena cirurgia, geralmente de baixa complexidade, que pode ser feita no consultório do cirurgião dentista. Para isso, é aplicada uma anestesia local, a fim de evitar desconfortos ou dores durante o procedimento.

O cirurgião fará uma pequena abertura na gengiva na área onde é necessário preencher o osso alveolar. Ali, ele posiciona o tecido ósseo que será enxertado, podendo ser em bloco ou em pó. Ele fixa esse tecido no local e faz a sutura da gengiva, juntamente ao curativo, se necessário.

O próprio organismo do paciente se encarrega de “cicatrizar” o tecido ósseo. Acontecerá o processo de osseointegração, no qual o bloco ou os fragmentos de tecido serão incorporados ao osso alveolar do paciente, formando uma só estrutura.

O enxerto ósseo é classificado de diferentes formas de acordo com a origem do tecido que foi utilizado:

  • enxerto autógeno: quando são utilizados os fragmentos do osso do próprio paciente;
  • enxerto alógeno: quando o tecido ósseo é doado por uma outra pessoa, proveniente de bancos de ossos;
  • enxerto xenógeno: quando o tecido provém de uma outra espécie, geralmente é utilizado bovino;
  • enxerto sintético: o material enxertado é produzido em laboratório, com polímeros, cerâmicas hidroxiapatita e outros.

Quando o procedimento é indicado para tratamentos dentários?

enxerto ósseo

Para que um paciente possa desfrutar de todos os benefícios do implante dentário ele precisa preencher os requisitos para realização dessa cirurgia. Entre eles está a boa saúde (bucal e orgânica) e a qualidade do osso alveolar.

Existem pessoas que não preenchem esse último requisito em função de condições sistêmicas como a osteoporose. O caso também pode ser decorrente de uma periodontite ou perda dentária que aconteceu há muito tempo.

Quando um indivíduo perde um dente e não faz a reposição dele, naturalmente o organismo reabsorve o tecido ósseo daquele lugar. Isso porque ele “entende” que já não existe mais a necessidade de ter o osso, pois não está sendo utilizado.

A perda óssea dificulta a fixação do pino porque a base é insuficiente para que ele seja posicionado ali. Sendo assim, é indicada a realização do enxerto ósseo para garantir largura e altura suficientes para instalação do implante dentário.

Portanto, o enxerto ósseo é recomendado principalmente para as pessoas que querem se submeter ao tratamento com implante dentário, mas têm essa baixa qualidade ou quantidade do osso.

Quais são os principais cuidados pós-enxerto ósseo?

Como você viu, o enxerto ósseo é um procedimento realizado antes da colocação do implante dentário. Assim, é preciso que aconteça a regeneração do osso alveolar para dar continuidade ao tratamento, e o que vai garantir o sucesso dessa cicatrização são os cuidados pós-operatórios.

O cirurgião dentista poderá fazer recomendações específicas para cada paciente, mas, de um modo geral, elas envolvem o que listamos a seguir.

Repouso

Principalmente nas primeiras 24 horas é importante se manter em repouso. O ideal é não realizar nenhum esforço físico nem praticar esportes, para permitir que o organismo tenha essa primeira recuperação e estabilize a região operada. Isso vai evitar que se manifestem dores e inchaços ou possíveis sangramentos.

Procure não abaixar a cabeça, para que não haja um aumento de pressão na área operada. Quando for se deitar, a mantenha mais alta do que o corpo, inclusive na hora de dormir e, se possível, evite se deitar sobre o lado operado.

Cuidados com alimentação e pressão

Assim como acontece em outras cirurgias bucais, nos primeiros dias é preferível ingerir alimentos frios. As temperaturas mais baixas são confortáveis para os tecidos operados, ajudam na analgesia e evitam estímulos inflamatórios.

Para minimizar as movimentações com a boca, dê preferência para os alimentos líquidos ou cremosos. Eles são mais fáceis de deglutir e vão evitar a necessidade de mastigar, reduzindo também possíveis pressões no local operado.

Cuidados Gerais

São necessários alguns cuidados gerais para garantir a boa cicatrização. Alguns exemplos são:

  • evitar a exposição ao sol;
  • não fazer bochechos vigorosos;
  • se abster do cigarro e das bebidas alcoólicas;
  • evitar movimentos de sucção;
  • falar o mínimo possível.

O cirurgião dentista também poderá recomendar algumas medicações e elas precisam ser administradas no horário correto e na dosagem indicada, a fim de garantir a total eficiência.

Acompanhamento profissional

O cirurgião dentista solicitará o agendamento de algumas consultas de retornos, realizadas para retirada dos pontos e monitoramento da região operada. É importante respeitar essas datas para que o profissional possa fazer as avaliações no tempo certo e realizar intervenções ou adequações nos cuidados pós-operatórios, se for necessário.

O sucesso do enxerto ósseo depende, também, da boa atuação do especialista. Por isso, procure um profissional experiente e que seja de confiança, com atenção às técnicas, materiais e produtos utilizados por ele. Assim você realizará um tratamento seguro e eficaz.

Quer mais detalhes a respeito desses e de outros tratamentos odontológicos? Então, entre em contato conosco e converse com os nossos especialistas.

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário