Mini implante dentário: entenda como funciona!

Sabia que existe um tipo de implante que é utilizado durante tratamentos ortodônticos? Trata-se do mini implante dentário, uma pequena peça de titânio que ajuda a fazer as movimentações dos dentes com mais precisão.

Ele é uma das tecnologias que surgiram para melhorar os tratamentos odontológicos. Possibilita alcançar resultados em menos tempo, além de proteger os tecidos da boca evitando que sofram sobrecarga. Com tudo isso, trazendo mais satisfação para o paciente.

Preparamos este artigo para que você conheça o mini implante dentário entendendo exatamente como ele funciona, quando é indicado, suas vantagens e a diferença em relação ao implante tradicional. Continue lendo!

O que é o mini implante dentário?

Quando falamos em implantes dentários esse tratamento é associado à substituição de dentes que foram perdidos. No entanto, existe uma variação desse procedimento que é mais aplicada na ortodontia: o mini implante dentário.

Ele é parecido com os implantes convencionais, mas tem a função de servir como uma ancoragem para que sejam realizadas as movimentações dentárias. O ortodontista usa essa peça para exercer força sobre os dentes que precisam ser corrigidos, mas sem a necessidade de trabalhar os demais.

Como funciona a sua instalação?

O mini implante dentário é instalado de uma forma diferente do implante convencional. O procedimento é simples e bastante rápido, durando cerca de 20 minutos e realizado com anestesia local. O paciente não precisa de cortes na gengiva, então, também não vai precisar de pontos.

A instalação inicia com a demarcação do local onde o mini implante deve ser posicionado. Depois, com o auxílio de uma broca odontológica, é feita uma pequena abertura na gengiva para ter acesso ao osso maxilar, onde o mini implante será fixado.

Essa peça tem o formato de um pequeno parafuso com estrutura autoatarraxante. Ou seja, não é preciso esperar a cicatrização do osso para dar continuidade ao tratamento ortodôntico, uma vez que o mini implante dentário não passa pela osseointegração.

Para quem o mini implante é indicado?

Nem todos os pacientes que precisam realizar um tratamento ortodôntico vão usar um mini implante dentário. Ele é indicado apenas para os casos em que há necessidade de fazer movimentações sem trabalhar outros dentes.

É o que acontece, por exemplo, para os pacientes com grandes espaços entre os dentes, com alterações da linha média, extrusão ou intrusão dos molares e algumas alterações na mordida, como aqueles que têm os dentes incisivos muito projetados para frente.

Porém, o mini implante dentário também pode ser utilizado em alguns procedimentos de implantodontia. Em determinados casos o paciente não pode ser submetido às técnicas convencionais, então, esse pequeno parafuso é instalado para servir, por exemplo, de sustentação para próteses do tipo overdenture, que substituem todos os dentes.

Qual a sua diferença para o implante tradicional?

Existem diversas diferenças entre o mini implante dentário e o implante dentário convencional, a começar pelo tamanho dessas duas peças. O mini é um parafuso muito pequeno que mede de 1,2 a 2 mm apenas, enquanto os demais implantes têm cerca de 7 mm a 1,5 cm. De toda forma, ambos são feitos de titânio.

No caso do implante dentário convencional, ele é instalado com o objetivo de criar uma raiz artificial. Como você viu pelo tamanho da peça, ela é introduzida de forma profunda no osso alveolar, como se fosse a raiz de um dente. Sobre ele é colocada uma prótese, chamada de coroa, que vai substituir o dente natural.

Já o mini implante dentário é pequeno demais para servir como base para uma peça do tamanho de um dente. Além disso, os implantes convencionais precisam passar por um processo chamado osseointegração.

Nele, o osso ao redor do implante se regenera, envolvendo a peça de modo que ela fica totalmente presa na boca e não pode mais ser retirada. O mini implante não é definitivo, e permanecerá na boca apenas pelo tempo necessário para corrigir os problemas ortodônticos, depois, ele é retirado.

A técnica de instalação desses dois tipos de implante também apresenta suas diferenças. O mini, por ser muito pequeno, requer um procedimento mais simples. No caso do convencional, é necessário a realização de uma cirurgia, com um planejamento mais complexo.

Quais são as vantagens do mini implante?

O mini implante dentário oferece diferentes vantagens, e uma delas é favorecer as intervenções do tratamento ortodôntico. Ele permite movimentar apenas áreas específicas, ou só um dente, e isso promove ganho de tempo.

Quando as movimentações são realizadas apenas com o suporte do arco ortodôntico, todos os dentes são trabalhados. Contudo, existem casos em que isso não é necessário, então, o ortodontista pode ter o trabalho extra de reposicionar toda a arcada, prolongando o tratamento.

Com o mini implante dentário é possível direcionar essas movimentações exercendo pressão apenas em um lugar. Além de manter o restante da arcada em sua posição atual, isso preserva a raiz dos dentes por não sobrecarregar os tecidos periodontais.

Assim, as movimentações são muito mais precisas, os resultados aparecem mais rápido, minimizando o tempo de uso do aparelho, e há uma preservação dos tecidos bucais, exercendo menos pressão no periodonto e na raiz dentária.

No caso da sua utilização na implantodontia, ele oferece alternativas para pacientes que não podem realizar outros procedimentos. Logo, mesmo em casos mais específicos, é possível fazer a substituição dos dentes sem a realização de cirurgias mais extensas.

Quais são os cuidados necessários com esse implante?

Em comparação com os implantes convencionais, o mini implante dentário é um tratamento bem menos invasivo e com uma recuperação muito rápida. O paciente pode voltar a sua rotina normal logo depois de passar pelo procedimento, mas alguns cuidados também precisam ser adotados.

Um dos principais é com referência à higiene bucal, que deve ser muito bem realizada para evitar a proliferação de bactérias, que poderiam desencadear inflamações. É preciso atenção ao redor do implante para remover todos os resíduos de alimento.

Outro cuidado é evitar tocar a peça ou exercer pressão sobre ela. Por isso, é interessante evitar os alimentos muito duros, aqueles com textura pegajosa ou fibrosa, porque assim como acontece com o aparelho ortodôntico, eles podem aderir facilmente ao implante ou acarretar danos e até a quebra dele.

Por fim, é necessário comparecer às consultas de retorno com o ortodontista para ser acompanhado no tratamento. O profissional vai analisar as condições do mini implante e também do aparelho ortodôntico em geral, além de conferir se os resultados pretendidos estão sendo alcançados.

Como explicamos, nem todas as pessoas precisam usar o mini implante dentário. O ideal é se consultar com um ortodontista experiente para que ele possa analisar detalhadamente o seu caso. Ele vai verificar se é preciso realizar esse procedimento e se é viável ou não.

Nossos especialistas podem ajudar você a descobrir quais são os melhores tratamentos para deixar o seu sorriso perfeito. Entre em contato conosco e agende uma avaliação!

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agende sua avaliação

Materiais Grátis

Posts relacionados

Inscreva-se para receber novidades

O que você procura?
Últimas publicações
Feridas no céu da boca? Leia o post para saber o que pode ser, quais são as principais causas e o que fazer!
Dente infeccionado ou inflamado? O que fazer se o dente estiver inflamado? Leia o post e tire suas dúvidas!
Piercing no smile é aquele que aparece quando a pessoa sorri, mas será que ele faz mal para os dentes? Tire suas dúvidas!