Tire suas dúvidas sobre enxerto ósseo

6 minutos para ler
Implantes: para resgatar a alegria de sorrir naturalmente

Quem sofreu perda óssea também pode fazer o tratamento com implantes. Basta realizar antes um enxerto ósseo para recuperar o osso perdido. Nós te contamos mais!

Sabia que é comum as pessoas que não têm mais alguns dentes perderem também os ossos alveolares que os sustentavam? Isso porque a gengiva diminui, assim como outros tecidos que estavam ao redor da raiz. Para sanar esse problema, podemos fazer um enxerto ósseo.

Quanto mais tempo uma pessoa fica sem dentes naturais, maior será a perda óssea. O problema é que quando isso acontece fica cada vez mais difícil fazer o tratamento com implantes, já que é preciso ter uma boa base para fixá-los.

O objetivo do enxerto é repor esse tecido ósseo que foi reabsorvido pelo organismo. Parece complicado, mas não é. A gente explica tudo para você neste post. Confira!

O que é enxerto ósseo?

O enxerto ósseo é um tratamento que visa repor o osso alveolar perdido por causa da falta de dentes. Com ele, é possível aumentar a altura e/ou a largura do maxilar e/ou da mandíbula para viabilizar o implante.

A função do osso alveolar, assim como dos outros tecidos que estão ao redor do dente, é principalmente fazer com que, na colocação de implantes, ele se mantenha fixo na boca. Sendo assim, quando perdemos um ou mais dentes, essa estrutura já não tem tanta função.

Nosso corpo entende que não é preciso manter esses tecidos ali; então, aos poucos eles são reabsorvidos e ficam cada vez menores. Em especial no caso do osso, isso é um problema quando existe o desejo de fazer o tratamento com implantes. Afinal, é preciso ter uma boa quantidade e quantidade de tecido ósseo para prender os pinos.

Como é feito o enxerto ósseo?

quando fazer enxerto ósseo

Para fazer um enxerto ósseo, depois de identificar quais são as áreas que precisam desse tratamento, o dentista posiciona nessa região um material que vai estimular o osso a se regenerar. Pode ser um pedaço bem pequeno de osso do próprio paciente, extraído de outra parte, como da mandíbula.

É preciso fazer uma pequena abertura na gengiva para acessar a região que necessita do enxerto. Ali, o dentista acrescenta um pequeno bloco de osso ou uma porção dele em pó. Em seguida, protege a área com um tipo de curativo e fecha a abertura da gengiva.

Ao longo dos meses, o osso vai agregar esse material à sua estrutura. Existe o estímulo para que ele se multiplique, então, somando ao enxerto, temos mais uma vez uma boa quantidade de tecido ósseo.

Existem diferentes tipos de enxerto, classificados de acordo com a origem do material utilizado. São eles:

  • enxerto autógeno: quando a porção de osso é do próprio paciente;
  • enxerto homógeno ou halógeno: quando o material é proveniente de bancos de ossos humanos;
  • enxerto sintético: utiliza materiais produzidos em laboratório, como hidroxiapatita, polímeros e cerâmicas;
  • enxerto heterógeno ou xenógeno: quando o doador de osso é de outra espécie, podendo ser bovino ou suíno;
  • enxerto misto: quando uma porção do osso da pessoa é misturada com outros materiais.

Depois de fazer o enxerto, é preciso esperar cerca de 4 a 6 meses para avaliar o sucesso do procedimento. Porém, o tempo de recuperação antes de colocar os implantes costuma ser de 6 a 12 meses após a regeneração óssea.

Quando é preciso fazer o enxerto ósseo?

É preciso fazer um enxerto ósseo quando existe o desejo de realizar o tratamento com implante dentário, mas ocorreu a perda óssea. Também quando a mandíbula é muito estreita ou muito curta, dificultando instalar o pino do implante.

Embora a ausência do dente seja um dos principais fatores que levam à perda óssea, existem outras situações em que isso pode acontecer, como lesões, traumas e doença periodontal. O enxerto ósseo também é indicado para quadros como esses.

Quais são os riscos de não se fazer o enxerto ósseo?

Como a gente explicou, quanto mais tempo uma pessoa fica sem os dentes naturais, maior será a perda do osso. Por isso, o principal risco de não fazer o enxerto ósseo é desenvolver uma perda severa ao longo dos anos.

Na verdade, o ideal para que isso não aconteça é colocar o implante assim que o dente for perdido. Desse jeito, todos os tecidos ainda estarão preservados e será mais fácil fixar o pino sem a necessidade de tratamentos complementares.

Se você quiser colocar um implante dentário, mas estiver com um quadro de perda óssea, o risco é não poder fazer a substituição do dente. Sem uma boa base para fixar o pino, o implantodontista não realiza a cirurgia por causa dos riscos envolvidos e da alta chance de insucesso.

Pode ocorrer, ainda, um prejuízo para o restante da dentição. Os dentes podem parecer longos demais por causa da redução do tecido que estava ao seu redor. Isso afeta bastante a harmonia estética do sorriso, abala a satisfação com a imagem e impacta a autoestima.

Por que escolher a Odontoclinic para esse tratamento?

Escolher a Odontoclinic para fazer um enxerto ósseo é ter certeza de receber o suporte de um time de especialistas. A Odontoclinic conta com profissionais de diferentes especialidades. Por isso, você faz o seu tratamento completo sem precisar procurar várias clínicas.

Além disso, são dentistas experientes que utilizam tecnologia de ponta e os melhores materiais. Tudo isso é associado a um atendimento humanizado, com atenção às suas necessidades para atender exatamente aquilo que você precisa e deseja.

Mas tem ainda outro diferencial. Quando um paciente precisa fazer uma extração dentária na Odontoclinic, ele já recebe a indicação para realizar o implante dentário. Também existe um cuidado maior na hora de retirar o dente para não danificar as estruturas saudáveis, e assim garantir uma recuperação tranquila e um tratamento posterior mais eficiente.

Na Odontoclinic você encontra todo o suporte que deseja para cuidar da sua saúde bucal e da beleza do seu sorriso. Agende uma avaliação na unidade mais próxima!

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário