Conheça os diferentes tipos de ortodontia

9 minutos para ler
agendamento

Existem diferentes tipos de Ortodontia, e cada um deles tem uma funcionalidade no tratamento de pacientes. Saiba mais

A ortodontia é uma parte da especialização dentro do ramo da Odontologia que ajuda a identificar a necessidade de uso de aparelho para corrigir a posição dos dentes e dos ossos da região maxilar. Você sabia que existem diferentes tipos de Ortodontia?

Neste artigo, além de entender melhor como funciona essa área da Odontologia, você vai conhecer a Ortodontia preventiva, a Ortodontia interceptativa e a Ortodontia corretiva. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

O que é a Ortodontia e quais são os seus benefícios?

tipos de ortodontia

A ortodontia é uma especialidade dentro da Odontologia que tem como objetivo fazer a correção da posição dos dentes e dos ossos maxilares. Essa especialidade envolve o tratamento de pacientes que tenham dentes mal posicionados.

Apesar de os dentes tortos serem considerados apenas um problema estético, na maioria dos casos, eles podem estar associados a problemas de mordida. Além disso, dentes tortos podem dificultar a higienização da boca, criando um ambiente favorável para o surgimento de gengivites e cáries.

Além disso, ter os dentes desalinhados pode ocasionar um estresse adicional aos músculos de mastigação, gerando dores de cabeça, na região do pescoço e nos ombros, Síndrome da Articulação Temporomandibular, (também conhecida como síndrome ATM), e, em casos mais graves, causar desconforto até mesmo nas costas.

A Ortodontia atua tanto na parte funcional quanto na estética, uma vez que os dentes tortos podem afetar, inclusive, a autoestima – em razão da aparência menos harmônica dos pacientes. Ela oferece, portanto, diversos benefícios aos pacientes.

O especialista nessa área é chamado de ortodontista. Além da graduação em Odontologia, esse profissional faz uma especialização na área de Ortodontia, que está dividida em três tipos, de acordo com sua função:

  • preventiva;
  • interceptativa;
  • corretiva.

Confira, a seguir, como eles atuam e as principais vantagens que oferecem aos pacientes!

Ortodontia preventiva

A Ortodontia preventiva tem o objetivo de preservar o desenvolvimento da oclusão ou minimizar possíveis alterações nos dentes e ossos da face, com o propósito de evitar a necessidade de extração de dentes permanentes e, sempre que possível, do uso de aparelho fixo.

Para que isso aconteça, o Ortodontista utiliza procedimentos clínicos que impedem a instalação de problemas na mordida.

A Ortodontia preventiva pode auxiliar em situações como:

  • sucção de dedo ou chupeta por crianças;
  • problemas de dicção, em que a língua empurra os dentes durante a fala;
  • problemas respiratórios, que fazem com que a criança respire pela boca.

Note, portanto, que o objetivo desse tipo de Ortodontia é evitar problemas na dentição na vida adulta. Dessa forma, os tratamentos se aplicam especialmente na infância — fase que os ossos da face ainda estão em formação.

Ortodontia interceptativa

A Ortodontia interceptativa, como o nome já sugere, é um direcionamento que visa interceptar uma situação anormal já existente, com o propósito de devolver ao paciente a oclusão normal. Ela é fundamental para corrigir problemas como mordida aberta, mordida profunda e mordida cruzada.

Problemas associados à perda precoce dos dentes são muito frequentes, por isso é fundamental identificar os riscos. Com a perda precoce dos dentes, há o risco de outras perdas, além da extrusão do dente antagonista e redução ou do fechamento do espaço original.

É fundamental que um ortodontista faça o acompanhamento dessas situações, visto que ele é capaz de avaliar as necessidades do paciente e, sempre que necessário, fazer a instalação de um mantenedor de espaço, — acessório usado para evitar que o espaço provocado pela perda dental provoque a movimentação dos outros dentes e crie condições para que a oclusão se desenvolva.

Para tratar problemas de oclusão precocemente diagnosticados o profissional que aplica a ortodontia interceptativa faz o manejo do paciente com uso de aparelhos ortodônticos especialmente utilizados para fazer a correção do mau desenvolvimento.

Ortodontia corretiva

Por fim, a Ortodontia corretiva é um procedimento que tem como objetivo principal realizar a correção da maloclusão por meio do uso de aparelhos ortodônticos — fixos e/ou removíveis — geralmente no final da dentição mista — em que há dentes de leite e dentes permanentes — e início da dentição permanente.

Quais são os principais problemas ortodônticos?

O aparelho ortodôntico consegue solucionar diversos problemas que comprometem a saúde bucal e estética do sorriso. Veja quais são os principais.

Diastema

Os diastemas correspondem ao espaço extra entre dois elementos dentários. Na maioria das vezes, o espaço surge entre os dentes centrais da arcada superior. Esse problema pode estar relacionado a diversos fatores, mas os mais comuns são:

  • freio labial baixo, que impede a junção dos dentes;
  • ausência de um ou mais dentes;
  • dentes com tamanhos diferentes;
  • má oclusão e falta de alinhamento.

Embora esse espaçamento não gere prejuízos à saúde, algumas pessoas que têm diastema se incomodam com ele, o que afeta a autoestima e o convívio social. Felizmente, com um bom planejamento ortodôntico, é possível fechar o espaço entre os dentes.

Mordida cruzada

Também conhecida como mordida invertida, a mordida cruzada se caracteriza pelo posicionamento incorreto das arcadas dentárias. Ela pode ser anterior — quando a arcada superior se encaixa por trás da inferior — ou posterior — quando um ou mais dentes ficam por dentro dos dentes inferiores.

Esse problema pode ter influência genética, mas também está associado a fatores externos — como chupar dedo ou chupeta por um longo período. Além de comprometer a harmonia do sorriso, a mordida cruzada gera muitas consequências desagradáveis, que comprometem, inclusive, a qualidade de vida. Algumas delas são:

  • favorece o surgimento do bruxismo (ato de ranger os dentes);
  • dificulta a mastigação;
  • compromete a respiração;
  • aumenta as chances de fratura e perda dentária.

O aparelho ortodôntico consegue alinhar os dentes, deixando-os em posição adequada para que as arcadas se cruzem de forma correta. Para isso, o ortodontista utiliza alguns acessórios ao longo do tratamento, tais como molas, elásticos e expansor de palato (dispositivo para ampliar o arco da maxila).

Mordida aberta

A mordida aberta ocorre quando os dentes superiores não entram em contato com os inferiores, o que provoca uma espaço no centro da boca. Adultos com essa característica costumam ter um sorriso mais infantil, e isso pode afetar a autoestima.

Além disso, são comuns problemas na fala, na respiração, na mastigação e na deglutição. A principal causa dessa maloclusão é o uso prolongado da chupeta e a sucção do dedo.

Apinhamento dentário

O apinhamento significa dentes tortos, que resultam, principalmente, da falta de espaço na boca para acomodar todos os elementos dentários. Esse problema é bastante comum e pode ser resolvido com o tratamento ortodôntico, evitando o acúmulo de tártaro pela dificuldade do uso do fio dental, inflamação gengival e outras consequências mais severas, como a periodontite.

Quais são os tipos de aparelho usados em tratamentos ortodônticos?

Agora que você já sabe quais são os tipos de Ortodontia, que tal conhecer melhor os tipos de aparelho usados em tratamentos ortodônticos?

Além do modelo metálico, que é bem conhecido, é importante saber que existem outros tipos de aparelho ortodôntico.

Cabe destacar que o uso do dispositivo depende do problema a ser corrigido, das características do paciente e da etapa do tratamento. Confira, a seguir, os principais tipos de aparelho indicados pelos ortodontistas:

  • alinhadores invisíveis — a correção é feita por meio do uso de placas transparentes, trocadas diversas vezes durante o tratamento, conforme os dentes do paciente se movem;
  • aparelho fixo estético — os já populares “aparelhos transparentes”, cujas peças são feitas de safira ou porcelana, são mais discretos que o modelo metálico;
  • aparelho fixo tradicional — movimenta os dentes por meio da força mecânica;
  • aparelho fixo autoligável — semelhante ao tradicional, porém mais moderno e eficiente, pois dispensa o uso das famosas borrachinhas, que perdem a elasticidade e tornam o tratamento mais longo.
  • aparelho móvel — indicado no final do tratamento, mas as crianças podem usar ainda em fase de crescimento, para a correção prévia de falhas.

Se você tem dentes tortos ou acredita que está com a mastigação afetada, consulte um ortodontista. Esse profissional tem condições de fazer uma avaliação completa da sua saúde bucal por meio de exames clínicos.

Se, nessa avaliação, ele identificar a necessidade de uso do aparelho, solicitará exames adicionais. Só a partir dos resultados desses exames será possível traçar o planejamento de um tratamento adequado para resolver o seu caso.

Aqui, vale destacar que, no caso de crianças, o acompanhamento odontológico deve ser feito desde a primeira fase de desenvolvimento. Quanto mais cedo começar o acompanhamento, melhor se desenvolverá a dentição da criança — algo positivo não só para a saúde, mas para a autoestima e a qualidade de vida dela.

Os problemas relacionados à mordida também podem ser identificados e corrigidos o quanto antes, incluindo estalos da mandíbula ou alguma assimetria facial causada por problemas na mordida. Além da questão estética, isso evita muitos desconfortos para a criança.

Visite o seu dentista com frequência, pois esse profissional tem condições de acompanhar a sua saúde bucal, diagnosticar problemas precocemente e minimizar a necessidade de tratamentos mais longos. Além disso, faça uma boa higiene bucal diariamente, use fio dental e procure consumir alimentos saudáveis. Uma rotina de boa alimentação e higiene adequada é fundamental para garantir a sua saúde.

Gostou deste artigo sobre os tipos de Ortodontia e deseja iniciar o seu tratamento ortodôntico para conquistar um sorriso ainda mais bonito? Então, entre em contato e agende sua consulta na Odontoclinic!

Aparelho na vida adulta: o guia completo e as principais dúvidas
Posts relacionados

Deixe um comentário