Não confunda: quais os principais sintomas da herpes labial?

8 minutos para ler

Sintomas como uma bolinha nos lábios, pequenas feridas ao redor da boca, queimação e formigamento na região podem ser sinal de que você está com herpes labial. Mas o que é essa doença e como é possível tratá-la?

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), quase dois terços de toda a população do planeta sofrem com a herpes labial. Mas você sabe mesmo identificar esse problema e definir quais são seus principais sintomas? Mais do que isso: será que aquele machucado é realmente sinal de herpes?

Neste post, vamos ajudar você a identificar a doença e aprender como evitar o seu aparecimento. Você também vai descobrir quais são os outras patologias associadas ao surgimento de bolinha nos lábios e como identificar qual é o seu caso. Ficou curioso? Continue a leitura e descubra! 

O que é a herpes labial?

Embora seja mais conhecida pela manifestação nos lábios, a herpes é uma infecção causada por um vírus que pode atacar também a parte interior da boca e as gengivas. Geralmente, se manifesta por meio do aparecimento de bolhas ou pequenas feridas ao redor da boca.

Na maioria dos casos, o seu surgimento está relacionado à baixa imunidade. Dessa forma, é muito comum que ela aconteça quando a resposta imune do seu corpo está baixa.

Muito embora não seja um problema sério, a herpes labial é uma doença que ainda não tem cura, mas que pode ser tranquilamente controlada por meio de tratamentos específicos.

A principal forma de transmissão se dá por meio de contato pessoal direto. Pode ser pelo beijo e pelo compartilhamento de itens pessoais de higiene e de utensílios como copos e talheres.

Quais os principais sintomas da herpes labial?

Além das bolhas e bolinhas nos lábios, vermelhidão e pequenos machucados que podem surgir ao redor da boca, na parte interna ou nas gengivas, outras características comuns da herpes labial incluem:

  • formigamento na região dos lábios;
  • queimação na pele;
  • inchaço na região das lesões;
  • lábios doloridos;
  • surgimento de úlceras na região.

De forma geral, os pacientes relatam como sendo os primeiros sintomas a queimação e o formigamento. Depois, vermelhidão, seguida de inchaço, dor e surgimento de bolinhas e úlceras no local.

As primeiras manchas já começam a surgir em aproximadamente 24 horas após o início dos sintomas. Depois, elas evoluem para bolhas agrupadas, que geralmente se rompem entre três a cinco dias, deixando pequenas crostas na pele, que podem durar até 15 dias.

O ciclo de duração da herpes vai depender de diversos fatores. Entre eles, a imunidade do corpo e o tratamento que é realizado. Entretanto, via de regra, os pacientes que já tiveram a primeira crise costumam passar por todos esses processos.

Primeira manifestação da herpes

Você nunca teve herpes e agora surgiram algumas bolinhas nos seus lábios? No caso de pacientes que nunca tiveram herpes labial e que sofrem o primeiro surto, além dos sintomas mencionados, também podem surgir sinais como:

  • febre;
  • dor de garganta;
  • dor de cabeça;
  • dor muscular.

Para ter certeza quanto à existência ou não do vírus, é essencial passar por um atendimento dermatológico. O profissional médico terá condições de verificar se você realmente está tendo um surto de herpes ou se pode estar com um alergia ou outro problema.

Bolinhas nos lábios podem ser sinal de outro agravo?

Sim, é muito importante ter clareza com relação aos sintomas da herpes e a importância de buscar suporte de profissionais de saúde. Além de herpes, as bolinhas nos lábios podem denotar outros problemas, como alergias.

Elas são acompanhadas de outros sintomas, que podem variar de acordo com o paciente. Um diagnóstico adequado permite o direcionamento de ações específicas, dependendo das necessidades de cada pessoa.

Identificar qual é a causa do surgimento das bolinhas é o primeiro passo para começar o tratamento do problema. Além disso, é importante ter cuidado para não confundir herpes e afta, já que se tratam de duas situações completamente distintas e que demandam tratamentos diferenciados.

A diferença entre a afta e herpes labial

A estomatite aftosa recorrente, também conhecida como afta, é uma pequena lesão superficial que surge no interior da boca ou na base das gengivas. As duas principais diferenças entre a afta e a herpes é que a primeira não aparece nos lábios e, além disso, não é contagiosa.

Isso significa que a afta somente surge nas mucosas labiais, enquanto a herpes aparece na região dos lábios e na parte externa da boca. Para saber se você tem uma afta, basta avaliar o local onde a ulceração aparece e se ela dificulta a ingestão de bebidas e alimentos.

Em caso de dúvidas, é muito importante consultar um profissional, que poderá avaliar as particularidades do seu caso e indicar o tratamento mais adequado, de acordo com o seu diagnóstico.

Geralmente, as aftas desaparecem no período de sete a 15 dias e os tratamentos são realizados com pomadas, medicamentos e/ou enxaguantes bucais.

Como evitar a herpes labial?

Se você nunca teve herpes labial e o vírus não está presente no seu organismo, a melhor forma de evitar a contaminação é não compartilhar objetos pessoais, especialmente de higiene bucal/facial, e utilizar talheres higienizados. Evitar o contato direto com pessoas infectadas também é importante, já que o simples fato de encostar os lábios em uma pessoa com herpes manifestada pode causar a transmissão.

Por outro lado, se você já tem o vírus e já manifestou a doença em algum momento da vida, pode vir a ter o problema novamente. Nesse caso, a melhor forma de evitar a manifestação do vírus é ter uma boa alimentação, cuidar da saúde e evitar o estresse. Mantendo alta a resposta imune do seu corpo, as chances de o vírus se manifestar são muito pequenas.

Como tratar a herpes labial?

bolinha nos lábios

Uma vez diagnosticada a herpes labial, o paciente terá que conviver com o problema ao longo da vida. A boa notícia é que, com os devidos cuidados, é possível controlar o surgimento de crises em que o vírus se manifesta.

O primeiro passo para tratar esse problema é diagnosticá-lo corretamente. Para os casos mais comuns, ao redor da boca, o dermatologista poderá indicar medicamentos e medidas importantes para controlar o aparecimento das lesões.

Nas manifestações internas — gengivas ou dentro da boca —, é importante informar seu dentista, pois, em alguns casos, em que não há urgência no tratamento odontológico, ele poderá ser suspenso até que as lesões sejam tratadas, para a segurança do próprio paciente.

Após o diagnóstico, vale a pena seguir alguns cuidados para o controle da herpes labial:

  • use protetor solar, pois o excesso de exposição ao sol pode ativar o vírus.
  • mantenha os cuidados com a saúde bucal, mesmo em caso de manifestação do vírus, para evitar o acúmulo de bactérias nas regiões inflamadas;
  • não compartilhe escovas, aparelhos de barbear, toalhas e outros objetos de higiene pessoal;
  • mantenha uma boa alimentação para o fortalecimento da imunidade;
  • cuide do seu sono e dos níveis de estresse, pois eles também favorecem o aparecimento do vírus.

Durante o surto de herpes labial, é importante realizar o tratamento adequado e evitar o contato físico direto com outras pessoas. O uso de medicamentos específicos (pomadas e comprimidos) pode acelerar a cicatrização e reduzir a reincidência. Mas, além deles, é essencial investir na manutenção da saúde e no cuidado com a sua imunidade.

Como você pode ver, a bolinha nos lábios pode ser um dos sintomas de herpes. O vírus se manifesta por meio do aparecimento de bolhas ou pequenas feridas ao redor da boca. Na maioria dos casos, o seu surgimento está relacionado à baixa imunidade. É importante investigar a causa, já que este sintoma está associado a diversos outros problemas, como alergias e aftas.

Agora que você já se informou sobre este problema, não deixe de acompanhar nosso blog. Assine a nossa newsletter e receba dicas exclusivas sobre saúde bucal e novidades sobre o mundo da odontologia! 

Posts relacionados

Deixe um comentário