Veja 4 perigos do estresse e da ansiedade para a saúde bucal!

6 minutos para ler
Clínico geral: sempre uma solução ideal pra cuidar de você

Você sabia que existe uma forte relação entre estresse e saúde bucal? Isso mesmo! Fora os transtornos mentais e emocionais, os períodos conturbados de nossa vida conseguem influenciar — e muito —, a nossa saúde, especialmente a que diz respeito à boca.

O pior é que, quando não diagnosticada e tratada da maneira correta, a condição pode se agravar e causar sintomas devastadores, passando de uma simples afta para doenças como o bruxismo ou a gengivite.

É claro que você não deseja viver uma situação como essa. Por isso, decidimos vir até aqui e contar um pouco a respeito da relação entre o estresse e a saúde bucal, além de como evitar que esse problema comprometa o seu bem-estar e qualidade de vida. Não perca!

Qual a relação entre estresse e saúde bucal?

Há anos os especialistas vêm alertando sobre o perigo que o estresse pode causar em nosso equilíbrio vital. Muito presente entre aqueles que seguem um estilo de vida acelerado, essa condição já foi considerada como “o mal do século”, atingindo pessoas de todas as idades e em situações diferenciadas.

Em 2020, não foi diferente. Pelo contrário: com o surgimento da pandemia, causada pelo novo Coronavírus, houve um agravamento desse quadro. De acordo com um levantamento realizado pela UERJ, os casos de estresse e ansiedade aumentaram significativamente ao longo do isolamento social.

Com o novo cenário em que muitas pessoas estão vivendo, somado à preocupação com o trabalho e outros problemas, esses sintomas apresentaram uma elevação de 80%.

Afinal, como essas condições podem afetar a nossa boca?

Em períodos de estresse, o corpo humano libera alguns hormônios, como o cortisol e a hidrocortisona, produzindo também um alto índice de adrenalina.

Essa mudança é capaz de promover o chamado “efeito pró-inflamatório”, fazendo com que o organismo do indivíduo potencialize o surgimento de certas doenças periodontais.

Aliás, se esse quadro estiver aliado a maus hábitos de higiene, como é o caso da falta de escovação diária ou da ausência do fio dental, é provável que haja um desencadeamento de aftas e afecções gengivais.

Ainda não podemos esquecer que, em certos momentos estressantes, o paciente pode recorrer ao consumo excessivo de álcool, doces e fast foods, assim como de outro vilão, o cigarro.

Juntos, esses hábitos afetam diretamente a saúde bucal, assim como a produção de saliva. Como resultado, além de inúmeras complicações, é possível que surja mau hálito, ocorrência de dores, rachaduras nos lábios e diversos outros incômodos.

Quais são os perigos do estresse e da ansiedade para a saúde bucal?

estresse e saúde bucal

Até aqui, você já deve ter compreendido a forte relação entre o estresse e a saúde bucal. Agora, chegou o momento de conhecer quais são as principais complicações causadas por esses períodos de tensão psicológica e qual é a melhor maneira de combatê-las. Vamos lá!

1. Surgimento de aftas

Outro ponto interessante é que os indivíduos que estão passando por um período muito estressante tendem a morder as bochechas e os lábios com frequência. Tal situação, quando em excesso, pode ajudar no aparecimento das aftas.

Existem também aqueles que sofrem de problemas gástricos e que observam uma piora da situação nos momentos de estresse. Um bom exemplo disso, é o refluxo gastroesofágico.

2. Bruxismo

O bruxismo consiste no hábito de ranger ou apertar os dentes durante o sono. Em alguns quadros, o indivíduo ainda pode apresentar esse sintoma ao longo do dia — sem perceber.

A princípio, pode até parecer um quadro inofensivo, mas, com o passar do tempo, o bruxismo é capaz de afetar toda a estrutura dentária, assim como a famosa articulação temporomandibular.

A consequência disso tudo se apresenta em forma de dores de cabeça intensas, problemas faciais musculares, incômodos no ouvido, desgastes ou quebra dos dentes e, até mesmo, dor crônica na área da cervical.

3. Gengivite

Quem está passando por um momento extremamente estressante pode acabar se esquecendo de seguir com os seus hábitos de higiene bucal. Logo, a falta de limpeza correta resulta no acúmulo de bactérias que, posteriormente, formarão as cáries, além das inflamações na gengiva e demais doenças de cunho periodontal.

Ainda, é interessante ressaltar que o estresse, a depressão e a ansiedade podem facilitar o desequilíbrio do sistema imune — que é o grande responsável pela defesa do corpo humano contra certas inflamações, mantendo assim, a saúde bucal completamente desprotegida.

4. Boca seca

O estresse também pode provocar uma queda na produção de saliva, causando um quadro de boca seca. Contudo, a saliva é essencial para manter a boca protegida contra fungos e bactérias, prevenir inflamações e evitar o surgimento da temida cárie. Em outras palavras, esse pode ser mais um fator prejudicial e que comprometerá o desempenho da sua saúde bucal. Muita atenção!

Como fugir do estresse e da ansiedade?

Certamente, sabemos que não é fácil manter a mente sã em tempo integral. Contudo, se tratando de doenças bucais com origem emocional, a melhor saída é realizar uma boa avaliação e, se possível, procurar ajuda especializada para o seu tipo de transtorno.

Esse tratamento pode ser feito tanto com o auxílio de um psicólogo quanto de um psiquiatra. Em paralelo, é interessante seguir alguns passos para se tranquilizar durante a semana, sendo eles:

  • meditar diariamente;
  • praticar exercícios físicos, ao menos, três vezes por semana;
  • reservar momentos exclusivos para lazer e entretenimento;
  • ficar perto de pessoas queridas, como amigos e familiares;
  • sempre que puder, entrar em contato com a natureza, frequentando parques e praças, por exemplo;
  • investir em uma alimentação balanceada e saudável;
  • cortar hábitos nocivos. O consumo exagerado de álcool, o tabagismo e a ingestão excessiva de doces estão nesta lista.

Então, o que achou de conhecer a relação entre o estresse e a saúde bucal? Acredita que, com essas dicas, vai ficar mais fácil manter sua qualidade de vida e bem-estar? Esperamos que sim!

Sempre que houver qualquer sinal de irritação, incômodo ou dor, procure um profissional de confiança, como o dentista. E não se esqueça: o acompanhamento também precisa ser feito periodicamente, mesmo sem incômodos. Esse cuidado pode prevenir inúmeras complicações no futuro. Se possível, faça a sua avaliação o quanto antes.

Caso tenha gostado, aproveite ainda para compartilhar o post em suas redes sociais e manter os seus amigos atualizados no assunto. Até breve!

agendamento
Posts relacionados

Deixe um comentário