O guia completo do clareamento dental

18 minutos para ler

Um sorriso saudável contribui para a estética e autoestima e é por isso que procedimentos como o clareamento dental tem ganhando muitos adeptos nos últimos anos. Os profissionais da área de odontologia, percebendo o aumento no cuidado e na manutenção de um sorriso branco, brilhante e com aspecto saudável, têm oferecido cada vez mais alternativas e serviços que atendam às necessidades dos seus pacientes.

Assim como cresce o número de pessoas interessadas no procedimento, também aumentam as dúvidas sobre o assunto, além de surgirem e surgem diversos mitos sobre o tema. Afinal, será que o clareamento realmente enfraquece os dentes? O procedimento afeta as resinas e restaurações dentárias? Será possível conseguir resultados em uma única sessão? O clareamento à laser é melhor que o clareamento caseiro?

Pensando nisso, elaboramos este artigo especial na forma de um guia completo sobre o assunto. Além de entender o conceito e descobrir como funciona o clareamento dental, você também descobrirá as indicações e contra indicações, os tipos de clareamento, os benefícios, os efeitos colaterais e os cuidados necessários para a manutenção dos resultados.

Você tem dúvidas sobre o assunto e quer saber as principais informações envolvendo o antes, durante e depois de um clareamento dental? Então continue a leitura deste post e descubra!

O que é clareamento dental?

Com o passar dos anos é natural que os nossos dentes sofram com o amarelamento. Além do tempo, fatores como a má escovação, o consumo de alimentos pigmentados — café, vinho, suco de uva, etc — o uso de aluns medicamentos e o consumo de cigarros, contribuem para que o amarelamento seja mais rápido e intenso.

Neste sentido, o clareamento dental é um procedimento odontológico que tem o objetivo de restaurar a cor original dos dentes, melhorando o seu aspecto estético e contribuindo para melhorar a autoestima do paciente.

Para isso, o dentista pode utilizar diferentes técnicas e agentes clareadores específicos. Independente da técnica escolhida, o tratamento sempre vai alcançar a cor original do dente. Esta informação é importante, pois o paciente deve ter em mente que o clareamento sempre seguirá a cor base original do paciente.

Desta maneira, se a pessoa já tem como base uma cor mais amarelada ou acinzentada, a técnica trabalhará dentro destas possibilidades e tonalidades, não sendo possível alcançar uma cor que esteja fora do seu padrão original. Caso o paciente queira modificar a cor base deverá conversar com o seu dentista para procurar outra técnica que se adéque as suas necessidades.

O clareamento funciona em qualquer tipo de mancha?

Essa é uma dúvida muito comum e de extrema relevância já que o clareamento não é indicado para determinados tipos de mancha, por exemplo, aquelas causadas por excesso de flúor.

Por isso que, antes de realizar um clareamento, é imprescindível buscar a orientação de um dentista. Este profissional fará uma avaliação dos seus dentes e verificará qual é o procedimento mais indicado de acordo com as suas necessidades e objetivos.

Além disso, o profissional poderá avaliar questões como: existência de restaurações, hábitos alimentares e higiene bucal já que eles influenciam nos protocolos e procedimentos a serem seguidos antes e durante o clareamento, por exemplo, a necessidade de uma limpeza profilática.

Como funciona o clareamento dental?

Os dentes são formados por várias camadas sobrepostas. A camada mais superficial é o esmalte do dente e a sua principal característica é a porosidade.

Em razão disso, ao longo do tempo, pedaços de alimento entram por essas microfissuras e ficam depositadas na camada que fica logo abaixo do esmalte, chamada dentina. É o acúmulo destes pequenos pedaços de alimento que causa o escurecimento dos dentes.

Quando o paciente busca um dentista para realizar o procedimento, o profissional vai iniciar com uma avaliação prévia com o propósito de identificar como está a saúde bucal bem como a causa das manchas.

Manchas causadas por alimentos são mais fáceis de serem removidas, já manchas causadas por produtos como o flúor demandam outro tipo de tratamentos. A avaliação é importante, pois será o ponto de partida para a definição do tratamento mais adequado de acordo com as necessidades do paciente.

Depois da avaliação, o profissional pode indicar a realização de uma limpeza básica na estrutura dos dentes. Vale destacar que isso vai depender muito de cada situação, por isso o procedimento poderá variar de acordo com a avaliação do seu dentista.

A seguir, elencamos os principais passos de um clareamento com gel em paciente com indicação de limpeza. Mas lembramos que o passo a passo poderá variar de acordo com as particularidades e a indicação de cada paciente.

Limpeza

Antes de começar o clareamento o dentista realiza uma limpeza na estrutura. Este procedimento pode ser feito com uma ferramenta chamada cureta, ela é utilizada para limpar a placa bacteriana e o tártaro depositado nos dentes.

O processo é importante, pois potencializa a eficácia do clareamento além de evitar danos em áreas sensíveis.

Clareamento em consultório

Se a aplicação do gel for realizada em consultório o profissional protegerá a gengiva com um líquido especial protetor. Após a cobertura ele é exposto a um feixe de luz que o deixa rígido, com o aspecto de uma borracha.

Feito isso, o profissional aplica o gel nos dentes com uma seringa. Os ingredientes ativos responsáveis pelo clareamento comumente utilizados pelos dentistas são o peróxido de hidrogênio e o peróxido de carbamida.

Ambas substâncias causam uma reação denominada oxidação, que quebra as moléculas orgânicas daqueles resquícios de alimentos que estão depositadas na dentina.

Em cada sessão o paciente fica entre 20 e 30 minutos com a substância na boca. Após, o dentista limpa os dentes com água, o que elimina as substâncias e reações químicas.

Clareamento em casa

Alguns dentistas recomendam aos pacientes a realização de tratamento em casa. Essa indicação vai depender muito de cada profissional e das particularidades do paciente.

No caso da aplicação doméstica, a substância clareadora será aplicada em um molde e não chega a tocar as gengivas, por isso o processo é bem mais simples.

Com a moldeira encaixada nos dentes, o paciente deixa o produto agir pelo período indicado pelo dentista, que poderá ser de uma até oito horas. Mais uma vez, o período de exposição dos dentes ao produto poderá variar de um paciente para outro.

Dependendo da cor dos dentes, o tratamento de clareamento caseiro poderá durar de duas a três semanas. Durante este período, o dentista poderá agendar consultas para acompanhar a eficácia do tratamento, bem como de eventuais efeitos colaterais.

Ao fim do tratamento, o paciente será orientado com relação aos hábitos que devem ser adotados para a manutenção da cor.

Ação do gel clareador

Mas, afinal, como age o gel clareador?

Na prática, a substância penetra nas fissuras dos dentes e, ao chegar no local onde se encontram depositados os alimentos, reagem com essas substâncias. A reação faz com que as moléculas de manchas sejam decompostas em substâncias menores.

Assim, elas se soltam da dentina e são eliminadas dos dentes. O processo é lento e justamente por isso se faz necessário realizar várias sessões. Entretanto, para quem busca resultados mais rápidos, é possível outros métodos.

Acelerando os resultados

Se o objetivo for acelerar os resultados, o profissional pode adotar um método de estímulo químico. Com um fonte de luz potente é possível estimular a reação da substância com as manchas.

O contato da luz com o peróxido produz mais oxigênio, contribuindo para a aceleração dos resultados. Entretanto, é importante destacar que alguns profissionais, baseados em estudos científicos, questionam a eficácia da técnica.

Dessa forma, é importante conversar com o seu dentista e avaliar qual é a opinião e as indicações que ele sugere no seu caso, considerando: tempo, eficácia e resultado a ser alcançado.

Para quem é indicado o clareamento dental?

De forma geral, não existem muitas restrições para o paciente que deseja realizar o procedimento de clareamento dental. Via de regra, o único requisito é que toda a cavidade bucal esteja saudável.

Além disso, o procedimento deve ser evitado por grávidas que estejam nos últimos meses de gestação. Por se tratar de um procedimento estético e não de saúde, os profissionais recomendam que as gestantes esperem para realizá-lo apenas após o parto.

Importante destacar ainda, que o clareamento dental não é indicado para crianças, bem como para pessoas que estejam passando por tratamentos de saúde mais sérios.

Neste contexto, o importante é ter em mente que o clareamento, assim como qualquer outro procedimento — seja ele estético ou não — deve sempre ser indicado e acompanhado por um dentista.

Muitas pessoas utilizam receitas caseiras ou compram substâncias pela internet, ministrando tratamentos de clareamento dental “por conta própria”. Os riscos deste tipo de conduta são grandes e podem levar a problemas irreversíveis.

Como exemplo de problemas associados a um tratamento inadequado, podemos citar inflamações nas gengivas, sangramentos, sensibilidade, ulceração e necrose (apodrecimento) da polpa do dente.

O dentista, avaliando as particularidades de cada paciente e identificando o melhor tratamento, define as quantidades de produto e a periodicidade do tratamento. Sem o auxílio do profissional, como poderia o paciente saber qual é o procedimento a ser adotado?

Os dentes, assim como várias outras partes do corpo, têm atributos únicos e que variam de acordo com a idade e com as características individuais de cada paciente. É por isso que o diagnóstico é sempre o primeiro passo. Por meio da análise individual, o dentista consegue identificar qual é a melhor posologia, as concentrações e modalidades de tratamentos mais adequados.

Não existe uma receita pronta de clareamento que pode ser utilizada em todas as pessoas, o clareamento é um exercício de análise, somado ao conhecimento técnico e ao estudo individual de cada caso, considerando o perfil, objetivos e as características do paciente.

Ainda, é importante salientar que dentes com restauração podem ter restrições na hora de aplicar o clareador já que o material restaurador não é passível de clareamento. A mesma regra vale para as próteses, que não podem ser clareadas.

Se você quer fazer clareamento e tem restaurações ou próteses, deverá conversar com o seu dentista para fazer a substituição das mesmas por modelos que acompanhem o novo tom dos seus dentes após o tratamento.

E quais são as contraindicações?

Como mencionamos, o clareamento dental é um procedimento que pode ser realizado em várias pessoas e as restrições são poucas. Entretanto, existem contraindicações sim e falaremos um pouco mais sobre cada uma delas a seguir.

Pacientes com cáries

Os pacientes com lesões de cárie não podem fazer o clareamento antes de tratar essas cáries. O tratamento é necessário, pois, se houver desmineralização do esmalte, o Ph das substâncias clareadoras poderá causar um impacto negativo no esmalte.

Além disso, se houver cavidades de cárie na dentina, o gel clareador poderá entrar em contato com o tecido gerando sensibilidade e, em casos mais graves, danos à polpa (tecido nervoso) do dente.

Pacientes com lesões dentárias

A mesma regra da cárie vale para lesões dentárias. Os pacientes que fazem clareamento sem supervisão e tem lesões pré-existentes, correm o risco de sofrer com sensibilidade ou ainda, com danos à polpa, gerando impactos graves na sua saúde bucal.

Pacientes grávidas e lactantes

Entre os profissionais, existem divergências com relação ao clareamento dental em grávidas e lactantes. Entretanto, o grande problema é que não existem estudos suficientes que comprovem a total segurança do procedimento durante o período gestacional.

Isso significa que não se sabe, com certeza, que as substâncias utilizadas para o clareamento, oferecem risco para a gestante e seu filho. Por isso, na dúvida, e considerando se tratar de um procedimento estético, a maior parte dos profissionais não indica a realização do clareamento durante a gestação e o período de lactação.

Crianças

Os dentistas recomendam aos pais que esperem para realizar clareamentos dentais em seus filhos. Geralmente, após os 13 anos, o paciente já está apto a realização do procedimento. Entretanto, a idade ideal depende do desenvolvimento dos dentes, por isso é essencial fazer uma avaliação profissional.

Pacientes com periodontite

A periodontite é uma evolução da gengivite. Pacientes com diagnóstico de doenças periodontais só podem fazer clareamento se estiverem com a doença controlada e realizando o acompanhamento regular com um periodontista.

Pacientes com sensibilidades aos componentes

Se o paciente tiver sensibilidade a qualquer um dos componentes utilizados no clareamento dental, ele não poderá realizar o procedimento.

Pacientes com enfermidades graves

No caso de pacientes com enfermidades graves, o tratamento só poderá ser realizado se houver liberação do médico que trata a doença e do seu dentista de confiança. Pessoas com saúde sensibilizada sempre devem avaliar a real viabilidade de tratamentos estéticos tendo em vista, eventuais riscos que podem ser causados à sua saúde.

Quais são os tipos de clareamento dental?

Além do clareamento em gel, que pode ser realizado em consultório ou em casa, existem ainda outros tipos como o clareamento a laser e as fitas clareadoras. Entenda como funciona cada um deles, nos próximos tópicos.

Clareamento em gel

O clareamento a gel, como já mencionamos neste artigo, é uma forma muito utilizada no branqueamento dentário. Ele é muito recomendado pelos profissionais em razão das suas vantagens, como é a caso da possibilidade de fazer o branqueamento em casa.

O gel é composto por substâncias que liberam oxigênio, favorecendo o branqueamento dos dentes. Na Odontoclinic o clareamento em gel é feito por meio de moldeiras de clareamento, confeccionadas em laboratório.

O paciente usa as moldeiras com o gel clareador prescrito pelo seu dentista, durante o período determinado pelo profissional e mediante o acompanhamento dos resultados e do surgimento de eventuais efeitos colaterais.

Clareamento a laser

No clareamento a laser, muito indicado para quem tem sensibilidade ou que procura resultados mais rápidos, o processo é feito pelo dentista em consultório.

Neste tratamento, após isolar os dentes para proteger a gengiva, o dentista aplica os agentes clareadores sobre os dentes. Após, os dentes recebem a aplicação do laser que, em contato com os agentes, branqueará os dentes.

O procedimento é rápido, confortável e indolor. Na prática, a sessão de clareamento a laser tem uma duração média de uma hora. O tratamento a laser pode ser realizado, inclusive, por pacientes com maior sensibilidade nos dentes.

Os tratamentos são rápidos. Já na primeira sessão, o paciente conseguirá ver resultados satisfatórios de branqueamento dos dentes. Graças à velocidade, o tratamento proporciona maior conforto para os pacientes.

Fitas clareadoras

Provavelmente você já viu na farmácia um produto chamado “fita clareadora”. Trata-se de uma opção mais barata, que pode ser adaptada aos dentes para obter um efeito clareador.

Apesar de ser eficiente, se comparada aos demais métodos, ela representa o menos eficaz. Além disso, ao usar fitas clareadoras, geralmente o paciente ignora a etapa de diagnóstico profissional, o que poderá causar efeitos negativos para a saúde bucal, especialmente a médio e longo prazo.

O agente clareador existente nas fitas clareadoras — peróxido de hidrogênio a 10% — é o mesmo utilizado na técnica do clareamento caseiro.

Todavia, o profissional, após análise individual de cada paciente, poderá optar por outros agentes clareadores e em diferentes concentrações.

clareamento dental

Quais são os benefícios do clareamento dental?

O clareamento dental costuma ser realizado principalmente com o propósito de obter resultados estéticos para os pacientes. Entretanto, além deste benefício, vale destacar que o paciente, após a realização do tratamento, costuma aumentar os seus cuidados com a saúde bucal, inclusive investimento em visitas mais frequentes ao seu dentista.

Outro aspecto interessante é que o clareamento supervisionado, contribui para o ganho de autoestima e influencia na saúde nutricional dos pacientes. Para manter os resultados por um período mais longo é importante adotar bons hábitos de alimentação, evitando consumir, por exemplo, alimentos com alta pigmentação e eliminando o consumo de substâncias como o cigarro.

Quais são os efeitos colaterais do clareamento dental?

No caso de clareamentos realizados sem supervisão de um dentista, como já destacamos nos tópicos anteriores, os efeitos podem ser graves e, em alguns casos, irreversíveis.

Entretanto, até mesmo o tratamento realizado mediante supervisão, pode ter efeitos colaterais, já que cada organismo se comporta de uma maneira distinta, frente às substâncias que são utilizadas durante o processo.

A grande diferença entre um e o outro é que o dentista acompanhará a evolução do paciente, avaliando e controlando os efeitos colaterais a fim de que não ocorra nenhum dano que possa prejudicar a saúde bucal.

Mas afinal, que efeitos colaterais são esses? Os mais comuns observados pelos profissionais que atuam com clareamento são:

  • sensibilidade dentária;
  • dores e desconforto;
  • irritação na gengiva; e,
  • alterações do Ph dos dentes.

Quais são os cuidados necessários?

Após o clareamento dental, o paciente deve ter alguns cuidados necessários a fim de garantir a manutenção dos dentes brancos por um período mais longo. Entre os cuidados e recomendações dos dentistas, vale destacar:

  • investir em uma boa higiene dental, usando fio dental e os produtos para higiene recomendados pelo seu dentista;
  • não fumar;
  • evitar alimentos ácidos e/ou com excesso de corantes;
  • sempre que consumir alimentos com essas características, o paciente deve realizar a higiene bucal imediatamente após o consumo.

Como você pode ver ao longo deste guia, o clareamento dental é um tratamento que traz diversos benefícios para os pacientes, tanto estéticos quanto para a saúde, já que estimulam o cuidado com os dentes.

Entretanto, o aumento na procura pelo tratamento e a popularização do assunto, tem feito com que muitas pessoas realizem o processo sem o suporte de um profissional da área de saúde o que pode representar muitos riscos aos pacientes.

A indicação é que qualquer procedimento, seja ele estético ou de saúde, seja realizado com o suporte de um profissional. O dentista poderá avaliar as particularidades de cada paciente, identificar a causa das manchas e prescrever o tratamento mais adequado para garantir bons resultados sem causar danos à sua saúde.

Por isso, antes de optar pelo clareamento faça uma consulta odontológica, solicite a avaliação do seu dentista e, com ele, escolha o tratamento mais seguro e eficiente para obter dentes mais brancos e saudáveis.

Você gostou deste artigo sobre clareamento dental? Então compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e mostre para outras pessoas as informações e dados mais importantes sobre o assunto.

 

clareamento dental tem contraindicações?

Existem contraindicações sim, em caso de: cáries, lesões dentárias, gravidez ou amamentação, periodontite e outros.

O que não comer durante ou após o clareamento dental?

Alimentos pigmentados, como café, refrigerante, vinho e suco de uva, são inimigos do clareamento dental. É na alimentação que encontramos a principal causa para o amarelamento dos dentes.

Como fazer clareamento dental

  1. Limpeza

    O processo é importante, pois potencializa a eficácia do clareamento além de evitar danos em áreas sensíveis.

  2. Aplicação do gel clareador

    O profissional aplica o gel nos dentes com uma seringa. Em cada sessão o paciente fica entre 20 e 30 minutos com a substância na boca.

  3. Remoção do produto

    Após, o dentista limpa os dentes com água, o que elimina as substâncias e reações químicas.

agendamento
Posts relacionados